Huffpost Brazil

Crise? Câmara manda deputados à NY de classe executiva e paga diária de US$ 300

Publicado: Atualizado:
JOSE CARLOS ALEULUIA
Reprodução/Facebook
Imprimir

Apesar do discurso no plenário ressaltar a crise econômica, a Câmara dos Deputados não poupou recursos para enviar dois deputados da oposição para acompanhar o discurso da presidente Dilma Rousseff na Organização das Nações Unidas, em Nova York.

Os deputados José Carlos Aleluia (DEM-BA) e Luiz Lauro Filho (PSB-SP) foram de classe executiva e ficaram hospedados no Marriot East Side.

Ambos estão recebendo uma diária de US$ 300. A Câmara dos Deputados alega falta de recursos para não convocar o lobista Fernando Baiano para depor no pedido de cassação de Cunha.

Aleluia disse que o gasto foi justificável, enquanto Lauro Filho considerou "estranho" o argumento de falta de recursos para a não convocação.

"O orçamento é o mesmo e há recursos para enviar parlamentares a Nova York", disse. "O depoimento de Fernando Baiano é importante e ele tem que ser convocado." O deputado do DEM disse que não viajaria a Nova York de classe econômica. "Não tenho mais saúde para isso."

A viagem foi organizada às pressas e os deputados dizem ter ido com a missão de inspecionar o que a presidente iria dizer à comunidade internacional sobre o momento de instabilidade política que o País vive.

Nas redes sociais, Aleluia assumiu uma postura de que o discurso da presidente foi “moderado” graças a presença deles e as últimas falas de ministros do Supremo Tribunal Federal que afastaram a tese de que impeachment é golpe.

(Com Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM:

- Mais uma derrota no horizonte de Dilma: Maioria dos senadores da comissão é pró-impeachment

- 'Nosso povo saberá impedir qualquer retrocesso', diz Dilma na ONU

- Dilma recorre à ONU e à comunidade estrangeira na tentativa de barrar o impeachment

Also on HuffPost:

Close
Frases de impacto sobre o impeachment
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção