Huffpost Brazil

Após atrasos, agora custo da Linha 4 do Metrô vai ficar ao menos R$ 381,6 milhões maior

Publicado: Atualizado:
Imprimir

alckmin metro

Após nove meses paralisadas após rescisão contratual, as obras da Linha 4-Amarela da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) devem ser reiniciadas.

Mas uma coisa é certa: o valor vai subir. Segundo levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, a linha que prevê ligação entre a Luz, na região central, e a Vila Sônia, nas imediações do Morumbi, na zona sul, ficará 54% mais cara.

A nova licitação fechada em abril prevê o custo R$ 381,6 milhões maior para a conclusão de quatro estações, um pátio de trens, um terminal de ônibus e um túnel.

Até os contratos entre a empresa estatal e a Isolux Corsán serem rescindidos por atrasos, o custo previsto das obras eram de R$ 706,9 milhões. Entre as quatro estações previstas, somente a Fradique Coutinho entrou em funcionamento - com atraso - em novembro de 2014.

alckmin metro

Agora, somando os valores já desembolsados pelo governo Geraldo Alckmin, o custo da extensão da Linha 4 chegará a R$ 1,08 bilhão. Mas podem ficar ainda mais caras.

As estações Higienópolis/Mackenzie e Oscar Freire seguem longe da meta para entrarem em funcionamento. As previsões são de que as obras estejam concluídas em 36 meses.

LEIA TAMBÉM:

- FOTOS: Projeto fotográfico mostra a beleza escondida no caos paulistano

- 'Na estação do Brás abrem a porta da senzala, sou o contraste do vagão'

- A cada 48 horas, uma mulher se queixa de assédio sexual nos trens de SP

Também no HuffPost Brasil

Close
#BanhoNaCasaDoAlckmin
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção