Huffpost Brazil

Este garoto de 9 anos vende limonada e cookies para bancar a própria adoção

Publicado: Atualizado:
TRISTAN
reprodução/fox
Imprimir

Tristan Jacobson foi abandonado quando tinha apenas 4 anos. Sua mãe biológica engravidou aos 15 anos, resultado de um relacionamento efêmero com um homem 16 anos mais velho. Mas felizmente Jacobson encontrou em seu caminho Donnie Davis, moradora da cidade de Springfield que, na época, era casada com o pai biológico do menino.

Davis, que se separou do marido e casou de novo, acabou se conectando com o garoto e hoje eles buscam regularizar a adoção dele. Mas o processo burocrático custa US$ 10 mil, em meio às taxas, documentos e advogados. Eles tentaram algumas alternativas, como reduzir os custos domésticos, vender objetos que não são extremamente necessários e até um financiamento coletivo no site YouCaring.

Donnie Davis expôs toda a história sobre Tristan no depoimento da sua página de financiamento coletivo. Ela resolveu contar toda a trajetória para que pudesse receber ajuda de outras pessoas e, assim, conseguir financiar o processo legal de adoção do garoto.

"Tristan já é o nosso filho, em nossos corações. Mas nós queremos torná-lo oficial. Ele quer ter o nosso último nome. Na verdade, ele decidiu que ele quer mudar o seu primeiro nome. E estamos deixando ele fazer isso. Ele escolheu o nome de Quill Tristan Davis. Ele é tão animado; ele tenta dizer a seus professores para chamá-lo assim agora. Ele é um garoto incrível."

Mas o garoto viu a dificuldade dos pais em arrecadar a quantia e resolveu pôr a mão na massa: cookies e limonada por US$ 1 dólar. Ao fim de cada compra, o cliente escutava a a frase que validava a ação: Obrigada por ajudar na minha adoção.

Passado difícil, futuro promissor

"Quando Tristan tinha 3 meses, seu pai biológico foi sentenciado a 22 anos de prisão. Sua mãe biológica não tinha lugar para morar ou apoio da família. Eu aceitei ajudá-la com o bebê e obtive a guarda temporária da criança. Eu me apaixonei por ele, casei novamente com meu atual marido e formamos uma família até ele completar 1 ano e meio. Enquanto isso, sua mãe biológica voltou a estudar, arrumou um emprego e teve outro filho. Quando ela estava estabilizada, Tristan voltou para a guarda dela. Eu sempre mantive o contato com ele e estive presente o quanto pude. Pouco após ele completar 4 anos, comecei a notar uma mudança brutal em sua condição física. Conversava com a mãe biológica para entender o que estava acontecendo ou até convencê-la de trazer o Tristan para casa. Mas ela recusava. Dizia que se alguém o tirasse dela, ela mataria os dois."

Isto aconteceu há 5 anos. Donnie Davis começou a se preocupar ainda mais com a situação do garoto. Não demorou muito para ela descobrir que a situação financeira da mãe biológica a conduziu para a prostituição e para o uso de drogas pesadas, de acordo com o depoimento.

"Tristan foi exposto a tudo isso. Ele estava no mesmo quarto enquanto ela aplicava metanfetamina e recebia homens desconhecidos, que, por vezes, batiam no garoto. Ele presenciava as violências de que ela era alvo dos seus supostos namorados."

Davis não conseguia imaginar o pequeno passando por tudo isso. Ela entrou em contato com organizações da sociedade e com os vizinhos da família para que eles pudessem "ficar de olho na situação deles".

Em janeiro de 2012, Davis foi acordada durante a noite por dois policiais que estavam com Tristan. Eles alegaram que o garoto foi abandonado na frente de um orfanato antigo da cidade. Davis, então, passou os dias, e os anos, seguintes cuidando do garoto.

Os cuidados não foram poucos. Da parte externa, Tristan teve que lidar com uma infecção nas partes genitais que resultou em uma circuncisão - consequência de sua saúde que foi negligenciada durante. Mas internamente é que se escondiam os maiores problemas. Davis relata que o garoto passou a apresentar comportamentos difíceis e que ainda estão sendo trabalhados, como chorar sem motivo, ficar muito bravo, além de desenvolver depressão e transtorno desafiador de oposição.

Mas hoje ele conta com o apoio amoroso de seus pais quase-adotivos. A limonada de Tristan ganhou o mundo e o coração das pessoas. Alguns chegaram a dirigir por mais de duas horas só para ajudar o garoto, afirmou Davis ao The Washington Post. Em pouco tempo, o garoto arrecadou 7 mil dólares vendendo a bebida e mais 6,9 mil dólares em doações no crowdfunding.

O mais importante, segundo Davis, é como tudo isso acabou impactando positivamente o garoto:

"Eu acho que isso ajudou a mostrar a ele que existem pessoas boas no mundo. Muitas pessoas só queria poder dar a ele um abraço."

Agora Tristan pode ficar tranquilo, pois terá o seu nome e a sua família para sempre. <3

LEIA MAIS:

- André, a superação em pessoa: A história de um ex-morador de rua que entrou no doutorado na UnB

- Dia do Sorriso: Turma do Bem faz triagem em 300 cidades para tratamento gratuito de adolescentes de baixa renda

- Esta garotinha não só sabe o nome do lixeiro de sua rua: Ela guardou um cupcake de aniversário pra ele

Também no HuffPost Brasil

Close
Artista captura o herói dentro de cada criança com série de ilustrações
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção