Huffpost Brazil

O post franco desta mãe sobre acidentes e falhas é uma leitura obrigatória

Publicado: Atualizado:
ME E OS FILHOS
Jennifer nos faz pensar sobre nossas cobranças de que mães devam ser perfeitas | MAMA LION FORTE / JENNIFER CAMPBELL
Imprimir

Uma blogueira, mãe de três filhos, anda recebendo muita atenção por seu post sincero e honesto no Facebook sobre acidentes e falhas cometidos por pais.

Jennifer Campbell postou uma foto de seus filhos sujos de barro e uma história reveladora.

Ela escreveu que, certa tarde, estava sentada no sofá de frente para o quintal, amamentando seu bebê.

“Eu estava vendo meu filho de 4 anos brincando no escorregador, mas não estava vendo meu menino de 2 anos. Não é incomum, já que temos um quintal muito grande, cujo portão fica fechado”, ela contou. De repente uma mulher apareceu, vinda da lateral da casa e segurando o garotinho de 2 anos pela mão. A mulher gritou com a mãe: “Sabe onde acabei de encontrar seu filho?”

Ela disse que o menininho estava na rua e poderia ter sido atropelado. “Você tem MUITA sorte que eu apareci naquela hora”, disse a mulher.

Acidentes acontecem, e, quando isso ocorre, as pessoas precisam de amor e compaixão, não de sermões e recriminação.

Jennifer Campbell não sabe até hoje como foi que seu filho conseguiu sair pelo portão do quintal. Mas a bronca furiosa que ela recebeu daquela desconhecida não lhe saiu da cabeça.

“Chorei, é claro”, ela escreveu no post. “Fico doente de pensar que algo de terrível poderia acontecer com meu filho, especialmente quando ele estava sob os meus cuidados. Isso se chama acidente. E apesar de um acidente ser acidental, as mães ainda se culpam quando isso acontece e carregam o sentimento de culpa pelo resto da vida.”

Campbell – cujos três filhos estão com 6, 4 e 2 anos hoje – apresentou uma lista das ocasiões em que eles tiveram acidentes ou quase acidentes. Ela escreveu:

Alguns meses depois daquilo, meu filho mais velho levou um tombo no quintal e abriu a cabeça.

Um ano depois daquilo, estávamos morando no Canadá e nosso filho do meio (que com certeza deve ser mago das fugas misteriosas) foi encontrado andando lá fora de bota e camiseta sob um frio de 20 graus C negativos.

Seis meses mais tarde, estávamos numa rua muito movimentada do centro e eu perdi meu filho mais velho. Ele simplesmente se afastou de nós, andando de bicicleta (alguns de vocês talvez se lembrem desta história).

Algumas semanas atrás eu entrei na cozinha e encontrei meu filho menor (que agora está com 2 anos) com uma faca de churrasco na mão, tentando cortar um queijo no chão.

E no mês que vem será outra coisa. E no ano que vem, outra. Não sabemos se algum dia nossa família vai sofrer alguma tragédia terrível – por falta de supervisão nossa, por alguma medida de segurança que esquecemos de tomar, por um erro de julgamento, pela curiosidade de uma criança, o risco de um menino adolescente...

Não sabemos. Porque acidentes acontecem.

No final, a mãe concluiu: “Acidentes acontecem, e, quando ocorrem, as pessoas precisam de amor e compaixão, não de sermões e recriminação”.

Mais de 23 mil pessoas gostaram do post de Campbell no Facebook, e ele foi compartilhado 11 mil vezes. Ela contou ao Huffington Post que recebeu alguns comentários negativos e mensagens particulares, mas que, de modo geral, a reação tem sido “tremendamente positiva”.

“Se alguém tem filhos que já não estiveram a um triz de sofrer um acidente em algum momento, é porque deve manter os filhos embrulhados em plástico-bolha.”

Ela acrescentou que se sentiu motivada a escrever o post depois de assistir às reações negativas na mídia social contra um casal canadense cujo filho de 2 anos, Chase, morreu recentemente em um acidente.

“Estavam dizendo que o incidente poderia ter sido evitado e que os pais foram negligentes. Algumas pessoas chegaram a falar que esse menino deveria ter sido criado em um lar adotivo, sob os cuidados de pessoas que ‘se importavam com ele’”, disse Campbell.

“Como mãe de três meninos, fiquei horrorizada ao ler esses comentários. Há três anos escrevo blogs e compartilho coisas nas mídias sociais. Vejo que essa história de pôr a culpa nas mães é uma mania que saiu de controle. Por acaso existe acidente que não poderia ser evitado? É por isso mesmo que se chamam acidentes.

Eu poderia ser essa mãe que acaba de perder seu filho. E qualquer outra pessoa também poderia ser.”

mãe e os filhos

“Se alguém tem filhos que já não estiveram a um triz de sofrer um acidente em algum momento, é porque deve manter os filhos embrulhados em plástico-bolha”, ela concluiu.

Campbell espera que a mãe de Chase leia seu post e os comentários de apoio de outros pais.

E ela espera que suas palavras sirvam para lembrar aos pais que a perfeição não é uma meta realista. “Em última análise, sou ‘apenas’ uma mãe comum que tenta todos os dias fazer o melhor possível”, ela disse ao HuffPost.

“Tenho me esforçado muito nos últimos anos para me aceitar como sou: ser humano imperfeito, mãe, esposa, amiga imperfeitas. Isso liberou muito espaço em meu coração para amar e aceitar outras pessoas como os seres humanos falhos que elas também são.”

“Somos todos falhos. Temos mais em comum do que as coisas que não temos em comum. E em última análise, a única opção que temos neste mundo é nos apegarmos uns aos outros.”

Belas palavras.

H/T Cosmopolitan

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Em resposta ao 'Desafio da Maternidade', feministas desconstroem a imagem idealizada do que é ser mãe

- Adele sobre amamentação: 'A pressão em cima de nós é absolutamente ridícula'

- Divertida Mente: sobre o desenvolvimento emocional das crianças

Também no HuffPost Brasil:

Close
29 fotos exemplificam a convivência com crianças de +- 2 anos
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção