Huffpost Brazil

As 15 maiores vilãs de novelas de todos os tempos (do Brasil e do México)

Publicado: Atualizado:
Imprimir

Quem é noveleiro sabe: uma boa vilã faz toda a diferença em uma telenovela. Quando ela rouba a cena e passa a brilhar tanto quanto a mocinha, acompanhar a narrativa fica ainda melhor.

A seguir, o HuffPost Brasil apresenta um ranking das maiores vilãs de novelas, focado justamente na popularidade das personagens que se projetaram além do convencional. Aquelas que todos amavam odiar, sabe?

A ideia foi compilar as antagonistas de tramas brasileiras e também mexicanas. Visto que o flerte do Brasil com a teledramaturgia do México é de longa data, deixar uma figura como Paola Bracho fora de uma lista como essa seria um erro imperdoável.

Aproveite para relembrar toda a divertida mistura de egoísmo, ambição, cinismo, armações, crimes, mentiras e trapaças que já passou na tela da sua TV.

15ª - Malvina - Maria Mercedes (1993)

malvina

A vida da mocinha Maria Mercedes virou um inferno nas mãos desta megera. A atriz Laura Zapata foi quem deu vida à gananciosa Malvina que queria a todo custo o dinheiro da família. Ao final da trama, a vilã armou um esquema para enlouquecer a protagonista, mas o feitiço virou contra a feiticeira. A própria Malvina foi quem perdeu a sanidade mental.


14ª- Laurinha - Rainha da Sucata (1990)

laurinha

Interpretada por Gloria Menezes, a vilã Laurinha de Albuquerque Figueiroa caiu nas graças do público em 1990. Elitista, porém falida, trapaceira e assassina, ela consagrou uma frase que saiu da TV para fazer parte do dia a dia dos brasileiros. Toda vez que Laurinha aprontava alguma, os personagens diziam: “coisas de Laurinha”. A frase acabou virando um bordão para falcatrua.


13ª - Angélica - Marimar (1994)

angélica

Sórdida até o último fio de cabelo, a vilã Angélica não media esforços para afastar a pobre Marimar do enteado apaixonado. Ela forjou um roubo para incriminar a jovem, a fez pegar uma pulseira da lama com a boca e chegou a queimar a choupana da moça com seus avós dentro. O fim da antagonista vivida por Chantal Andere foi marcado por um acidente de carro que a deixou completamente queimada - seguido de uma morte dolorosa.


12ª - Soraya Montenegro - Maria do Bairro (1995)

Mais que vilã, Soraya foi uma verdadeira psicopata na rotina da mansão dos De La Veja. Sua presença na trama era marcada por um tema instrumental próprio, seguido sempre de muita confusão e gritaria. Interpretada por Itatí Cantoral, a megera tentou em vão separar o herdeiro da família, Luis Fernando, da catadora Maria do Bairro. Ao longo da trama, ela maltratou com requintes de horror a enteada (a quem chamava de Aleijada) e como última cartada tentou seduzir o filho do casal Maria e Luis Fernando.


11ª - Laura - Celebridade (2003)

"Cachorra" foi como ficou conhecida a vilã interpretada pela atriz Cláudia Abreu. Em busca de fama e fortuna, Laura infernizou a vida de sua rival, Maria Clara, vivida por Malu Mader. Em uma das cenas memoráveis do embate entre as personagens na novela, Laura leva uma bela surra no banheiro da boate.


10ª - Branca - Por Amor (1997)

branca

Branca Letícia de Barros Mota era uma madame e vilã carioca. Interpretada por Susana Vieira, Branca odiava pobres e fazia questão de humilhar o filho caçula, Leonardo. Ao longo da trama, ela soltou inúmeras pérolas que demonstravam toda a sua arrogância. Um exemplo? “Quando eu sou boa, eu sou boa. Mas quando eu sou má, eu sou ÓTIMA!”. Seu fim foi a solidão dentro de uma enorme mansão.


9ª - Maria Altiva - A Indomada (1997)

maria

Maria Altiva Pedreira de Mendonça e Albuquerque era o nome completo da vilã interpretada por Eva Wilma. Ao longo de A Indomada, a megera humilhou muito o filho adotivo, Artêmio (Marcos Frota), e não perdeu chances de brigar com a sobrinha Helena (Adriana Esteves). Seu fim foi um dos mais inusitados da história das novelas: Maria Altiva virou fumaça e cobriu o céu da cidade de Greenville - jurando que se vingaria de todos.


8ª - Raquel - Mulheres de Areia (1993)

raquel

Falsa e egoísta, a vilã vivida por Gloria Pires não media esforços e trapaças para alcançar uma posição social de prestígio e muito dinheiro. Ao longo da trama, ela infernizou a vida de sua irmã gêmea, Ruth (também interpretada por Gloria), tentando de todas as formas afastá-la de Marcos (Guilherme Fontes) e de Tonho da Lua, outro personagem que ganhou popularidade na época, interpretado por Marcos Frota.


7ª - Rubi - Rubi (2004)

Atraente e sem caráter, Rubi é dos raros casos de vilã protagonista. Ela usava a beleza para conseguir tudo o que queria. Venenosa, a personagem vivida por Bárbara Mori fez mil e uma armações para se dar bem, chegando a roubar o noivo da melhor amiga. Entre a ambição e o amor verdadeiro, acabou totalmente desfigurada e com uma perna amputada.


6ª - Perpétua - Tieta (1989)

perpétua

Falsa católica, Perpétua caiu nas graças do público por conta do talento da atriz Joanna Fomm. A beata com ares caricatos andava sempre enlutada e cometia os mais sórdidos pecados, sempre usando a defesa da família como justificativa. Uma característica curiosa da antagonista na trama: ela guardava em seu armário uma misteriosa caixa branca, cujo conteúdo foi revelado somente no final da história: trata-se do órgão genital embalsamado do seu falecido marido.


5ª - Paola Bracho - A Usurpadora (1998)

Paola descobriu que tinha uma irmã gêmea, Paulina, muito meiga e bondosa. Decidiu chantageá-la de todas as formas para que ficasse no seu lugar, para que pudesse curtir uma louca vida paralela. Ao retornar, a vilã vivida por Gabriela Spanic descobriu que a irmã queria ficar com seu marido. A partir de então, a megera investe todas as forças para acabar com a irmã bondosa, fazendo inclusive com ela vá para a cadeia. Maquiavélica, a personagem ficou conhecida por suas gargalhadas.


4ª - Carminha - Avenida Brasil (2012)

A vilã interpretada por Adriana Esteves não está nesta lista à toa. Com seu jeito explosivo e desequilibrado, Carminha caiu rapidamente nas graças do público. A lista de crimes e armações da vilã tinha de tudo um pouco: ela abandonou o filho e a enteada em um lixão, tentou simular um assalto para roubar o próprio marido, Tufão (Murilo Benício), além de forjar seu próprio sequestro para conseguir dinheiro dele, entre várias outras tramóias.


3ª - Nazaré Tedesco - Senhora do Destino (2004)

nazaré

Maria de Nazaré Esteves Tedesco marcou a história recente das novelas brasileiras. O Brasil amou e riu muito com a sórdida vilã vivida por Renata Sorrah. Prostituta em um bordel quando jovem, ela raptou a recém-nascida Lindalva da mãe, Maria do Carmo (Susana Vieira), e a criou como sua própria filha. Escondeu o crime durante anos, enquanto maltratava a enteada Claudia (Leandra Leal). Perversa, ela assassinou o marido quando este descobriu toda a farsa. Seu fim foi o suicídio: fugiu da prisão e se jogou de uma ponte.


2ª - Catalina Creel - Ambição (1987)

catalina

Considerada uma das maiores vilãs da teledramaturgia mexicana, Catalina Creel infernizou e matou muita gente na novela Ambição. No entanto, o que mais chamava atenção na personagem era seu visual excêntrico, composto por um penteado sempre impecável e um tapa-olho que combinava com a cor de suas roupas. A vilania da personagem vivida por María Rubio tinha duas justificativas: sede de dinheiro e a manutenção de um grande segredo (ela enxergava dos dois olhos).


1ª - Odete Roitman - Vale Tudo (1988)

odete

Se existe uma vilã que merece estar no primeiro lugar desta lista, esta vilã se chama Odete Roitman. Com suas tiradas clássicas e um desprezo extremo pelos pobres, a malévola interpretada por Beatriz Segall mexeu com os ânimos de todo o Brasil até o último capítulo de Vale Tudo, quando todo mundo se perguntava: Quem matou Odete Roitman?

Faltou alguma vilã inesquecível nessa lista? Deixe nos comentários! ;)

Close
As maiores vilãs: Como estão as atrizes hoje
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

LEIA MAIS:

- Conheça Thaynara OG, a advogada maranhense que é fenômeno no Snapchat

- 6 provas de que Fatmagül é a novela mais feminista já feita