Huffpost Brazil

Este homem lavou, secou e dobrou mais de 2 toneladas de roupas de sem-teto em sua lavanderia

Publicado: Atualizado:
Imprimir

samuel van de cruz

Samuel Van De Cruze, que abriu recentemente a lavanderia Mr. Bubbles, no Queens, Nova York, passou 60 horas lavando, secando e dobrando roupas para famílias de sem-tetos.

Segundo suas estimativas, Van De Cruze, um ex-assistente social, fez cerca de 2,3 toneladas de lavanderia depois do horário de funcionamento da loja, entre 28 e 31 de março.

As peças pertencem a 75 pessoas acolhidas pelo albergue The Landing, próximo da lavanderia. Ele até mesmo buscou e entregou as roupas.

Van De Cruze disse que agiu “no espírito da Páscoa” e que esta foi a primeira vez que ele fez algo do gênero.

“Sou cristão e me ensinaram a fazer boas ações”, disse ele ao The Huffington Post. “Uma manhã, quando estava rezando, veio a ideia.”

Segundo o comunicado de imprensa da CAMBA, a entidade que administra o albergue, a ideia de Van De Cruze foi inspirada pelas dificuldades dos sem-teto da região.

Eles têm de andar grandes distâncias carregando o peso das roupas, além das crianças. E o custo das lavanderias também pesa muito para essas famílias. Como ex-assistente social, ele imediatamente reconheceu o problema e ofereceu ajuda prática.

“Normalmente gasto 30 dólares de lavanderia por semana”, diz Catina B., uma moradora do The Landing, em um comunicado enviado ao The Huffington Post. “E cuidar das roupas com uma filha de 3 anos é difícil para nós duas. Essa doação significa que tanto ela como eu não teremos de passar por isso – e vou economizar 30 dólares para alguma outra despesa.”

Essa outra despesa não costuma ser um luxo, mas sim alguma necessidade básica.

“Temos de economizar o que for possível para comida, transporte, fraldas e outras necessidades”, disse Amber, outra moradora do albergue, em comunicado. “Estava lavando as roupas na banheira para economizar o dinheiro da lavanderia.”

Amber, o marido e o filho tiveram de se mudar para o The Landing depois da morte do pai dela. A casa em que a família morava foi vendida.

“Estou grata por nos aliviarem esse peso – você se sente mais ‘alguém’ quando usa roupas limpas”, disse ela.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Projeto transforma lama de rompimento de barragem em tijolos para a reconstrução de Mariana

- Com apostilas achadas no lixo, Antônia deixou de ser doméstica e se tornou juíza

- Esta garotinha não só sabe o nome do lixeiro de sua rua: Ela guardou um cupcake de aniversário pra ele

Também no HuffPost Brasil:

Close
Entrega por SP leva carinho a moradores de rua
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção