Huffpost Brazil

Faz sentido ficarmos de luto pelas mortes de celebridades?

Publicado: Atualizado:
PRINCE
“Quando elas morrem, é como se fosse alguém da nossa família estendida.” | CAPMAR/MEDIAPUNCH/MEDIAPUNCH/IPX
Imprimir

A morte repentina de Prince deixou os fãs chocados e de luto.

Enquanto muitos expressaram sua dor, outros ficam surpresos por sentir uma reação tão pessoal: “Eu nem o conhecia”, pensaram alguns, “então por que estou tão abalado?”

A verdade é que não existem regras quando se trata de luto, explica David Kaplan, da American Counseling Association.

A emoção é tão envolvente e vasta que é difícil apontar por que ela se manifesta assim. Mas só porque não conseguimos explicar o luto não significa que ele não seja validado, diz Kaplan – e isso vale especialmente para o luto pela morte de celebridades.

“Crescemos com essas pessoas”, disse Kaplan ao The Huffington Post. “Vemos seus filmes, ouvimos suas músicas regularmente e realmente os conhecemos. De certa forma, eles se tornam membros de nossa família – especialmente as celebridades de que realmente gostamos —, então quando elas se vão é como se um membro de nossa família estendida tivesse morrido.”

Essas mortes também parecem tão pessoais porque ressoam em um nível mais profundo e psicológico. Podemos sentir luto por causa de um desejo de emular a carreira da celebridade, ou porque as mortes de pessoas famosas nos lembram da nossa própria mortalidade, observa Kaplan.

Na era da mídia digital, esses sentimentos de perda – e, depois, de cura – são intensificados pela torrente de novas informações, posts nas redes sociais, artigos e depoimentos pessoais. “Somos criaturas sociais, queremos estar com os outros quando enfrentamos adversidades”, diz Kaplan.

“Isso significa coisas diferentes para gerações diferentes. Pode significar estar fisicamente próximo das pessoas... ou então estar juntos online. Você pode ter centenas de pessoas dizendo: ‘Sei o que você está passando’. E isso ajuda a aliviar a dor.”

Como escreve a coach e blogueira do Huffington Post Samantha Jeffries, a enorme quantidade de postagens no Twitter e no Facebook só aprofundam a perda de uma celebridade – mas também oferecem uma arena pessoal de apoio.

“Com o possibilidade de compartilhar a morte e o luto nas redes sociais, existe a sensação de necessidade de participar”, teorizou ela.

“Há um senso de comunidade naqueles que passam juntos pelo luto, postando seus sentimentos nas mídias sociais. É quase como se fôssemos parte daquilo, compartilhando nossos pensamentos e experiências para que os outros leiam.”

A morte de alguém tão admirado, que viveu a vida na esfera pública, também cria automaticamente uma conexão humana universal, disse Kaplan. A maioria de nós sabe dizer onde estava quando morreu Michael Jackson, por exemplo.

“Queremos saber que não estamos sozinhos”, disse ele. “Então, quando fico triste com a morte de uma celebridade, quero saber que outras pessoas estão sentindo o mesmo. Essa [conexão] ajuda muito.”

Kaplan oferece os seguintes lembretes e dicas para quem está de luto pela morte de uma celebridade:

Não existe um jeito certo de sentir luto

O fato de lamentar a perda de uma celebridade não significa que seu luto seja menos importante, diz Kaplan. Algumas pessoas podem sentir ligações mais fortes com certas pessoas – sejam os pais, um amigo, um bicho de estimação ou uma pessoa pública. “O luto é muito diferente para cada um”, explicou ele.

“Temos a tendência de compartimentar o luto e dizer que deveríamos nos comportar de certa maneira dependendo da pessoa. Mas luto é luto, e cada um reage da sua maneira.”

Procure ajuda se a dor for forte demais

Kaplan ressalta a importância de procurar ajuda profissional se o luto for avassalador. “Luto é uma função normal e natural”, disse ele. “Mas, se ele começa a interferir com a sua vida, ele merece cuidados.”

Aproveite certas oportunidades para expressar suas perdas

Conectar-se com os outros, seja por meio de pessoas que você conhece ou pelas redes sociais, faz uma diferença enorme no processo de cura, explicou Kaplan. Mas também não há mal em procurar serviços profissionais. Conselheiros, psicólogos, psiquiatras e até mesmo sites estão disponíveis se você precisar falar com alguém, disse Kaplan.

Preste atenção nas suas palavras

A característica fundamental da depressão, disse Kaplan, é a falta de vontade e energia para fazer coisas cotidianas, como trabalhar. Embora cada pessoa sinta o luto de maneira diferente, é importante prestar atenção – pode ajudar no processo de cura. “As pessoas gostam de falar em ‘depressão’”, disse ele.

“Depressão é um termo clínico – e muitas vezes, quando dizemos que estamos deprimidos, na verdade estamos tristes. As palavras que usamos são muito poderosas, e é importante fazer essa distinção.”

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Por que precisamos falar sobre o luto? (VÍDEO)

- A complexidade do luto por um ídolo acusado de abuso sexual

- Guia de Virginia Woolf para o luto

Também no HuffPost Brasil:

Close
Apenas Prince ARRASANDO em capas de revista
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção