Huffpost Brazil

Letícia Sabatella não reconhece Temer como presidente: 'É só para tolos, ignorantes ou mal intencionados'

Publicado: Atualizado:
SABATELLA
Reprodução/TVPoeira
Imprimir

A atriz e ativista Letícia Sabatella, que já tinha se posicionado contra o processo de impeachment, desabafou nas redes sociais sobre a decisão do Senado desta manhã, de afastar Dilma Rousseff por 180 dias da presidência.

Sabatella classificou o ocorrido como "golpe" e disse que os direitos dos cidadãos serão prejudicados. "O ódio já fez este Golpe contra todos os direitos dos cidadãos", escreveu em uma resposta a um seguidor no Facebook, segundo o jornal Extra.

Ela também diz não aceitar Michel Temer como presidente interino, uma vez que, em sua opinião, o peemedebista foi responsável pelo "pior do governo".

A atriz acrescenta ainda que só quem o reconhece como presidente são "tolos, ignorantes ou mal intencionados".

"O ódio já fez este Golpe contra todos os direitos dos cidadãos. E aceitar Michel Temer com menos de 1% de popularidade, simplesmente inelegível, Michel Temer, responsável pelo pior do Governo, é só pra tolos ignorantes, ou mal intencionados. A Democracia deve ser defendida pelo povo sim!"

Letícia se encontrou com o papa Francisco na última segunda-feira (9) e pediu a ele orar pelo povo brasileiro neste momento de "turbulência".

"Esse clima de intolerância é como uma doença, acho que é pertinente pedirmos o auxílio e levar ao papa o que está acontecendo. Existe uma sombra, um ódio, uma busca pelo bode expiatório que não vai resolver a situação sistemática do país", disse Sabatella ao papa, segundo o Diário de Pernambuco. Ontem (11), Francisco afirmou que estava rezando pela harmonia e paz no Brasil, neste "momento de dificuldade."

Após uma longa sessão de votação, o Senado aprovou a admissibilidade do impeachment por 55 votos favoráveis e 22 contrários. Estavam presentes no plenário 78 senadores.

A partir de agora, dará início à segunda fase da votação, presidida pelo presidente Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski. Será julgado se a presidente cometeu ou não crime de responsabilidade fiscal.

A votação deve ocorrer em seis meses e poderá culminar em sua cassação.

LEIA MAIS:

- O homem cordial: Como o jeitinho brasileiro explica Michel Temer

- 'Posso ter cometido erros, mas não cometi crimes', afirma Dilma Rousseff após ser afastada da Presidência da República

Também no HuffPost Brasil

Close
Manifestações contra votação do impeachment no senado
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção