Huffpost Brazil

J.K. Rowling defende o direito de Donald Trump ser 'ofensivo' e 'preconceituoso'

Publicado: Atualizado:
JK ROWLING
Reprodução
Imprimir

J.K. Rowling sabe exatamente por que é importante Donald Trump ter o direito de expressar seus pontos de vista preconceituosos e ofensivos sobre minorias.

Na última segunda-feira (16), em discurso para receber um prêmio especial da associação PEN International, por defender a liberdade de expressão e ajudar mulheres e crianças, a autora da série Harry Potter falou sobre o pré-candidato republicano à presidência dos Estados Unidos.

Ele foi alvo de uma petição, em 2015, que propõe banir Trump do Reino Unido. Ao mencionar que o abaixo-assinado conseguiu meio milhão de assinaturas, a plateia aplaudiu. "Só um momento", reagiu Rowling, rindo. A escritora disse:

"Eu acho que quase tudo que o Sr. Trump diz é condenável. Eu o considero ofensivo e preconceituoso, mas ele tem meu total apoio a vir a meu país e ser ofensivo e preconceituoso nele. Sua liberdade de expressão protege a minha liberdade de chamá-lo de 'preconceituoso'. Sua liberdade garante a minha".

Rowling – que já se referiu a Trump como "pior" que Lorde Voldemort, o sombrio e temido vilão de Harry Potter – argumentou que, caso não o fizesse, não teria "embasamento moral" para apoiar a defesa de quem faz campanha pelos direitos das mulheres, das pessoas transgêneras e o voto universal.

"Se você busca a remoção de liberdades de um oponente com os mesmos fundamentos que aqueles que te ofenderam, você cruzou a linha para ficar ao lado de tiranos que prendem, torturam e matam com a exatamente a mesma justificativa."

Premiação

Na cerimônia ocorrida no Museu Americano de História Natural, em Nova York, Rowling prestigiou a PEN International por seu papel na luta pela liberdade de expressão. "É triste refletir sobre o quão necessária a sua defesa de escritores é hoje", ponderou, alertando sobre diversos acontecimentos antidemocráticos mundo afora.

Ela ponderou que "não tem do que reclamar", pois sempre foi privilegiada para se expressar sem restrições.

"Uma vez, fui confrontada por um cristão fundamentalista em uma loja de brinquedos aqui em Nova York", contou, enquanto a plateia riu. Grupos religiosos já acusaram várias vezes a inglesa de disseminar o satanismo entre crianças. "Eu não tinha ideia que a frase 'eu rezo por você' poderia soar tão intimidadora."

"Uma ameaça de bomba foi feita uma vez em uma livraria em que eu estaria. As proximidades foram revistadas, nada foi encontrado e o evento seguiu em frente. E os livros de Harry Potter têm aparecido frequentemente em lista dos mais banidos, mas como essas listas têm muitos dos meus autores favoritos, eu me sinto lisonjeada ao ser incluída."

Rowling foi ganhadora do PEN/Allen Foundation Literary Service. Você pode ver o discurso dela por inteiro aqui.

LEIA MAIS:

- Expecto patronum! J.K. Rowling desenha tatuagem para fã que se automutila

- Estátua de Clarice Lispector é a 1ª de uma artista mulher no Rio

- Para rebater Estatuto da Família, campanha muda significado de 'família' no Dicionário Houaiss

Também no HuffPost Brasil:

Close
13 livros infantis sobre direitos humanos
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção