Huffpost Brazil

5 motivos pelos quais Cher é um ícone feminista e LGBT

Publicado: Atualizado:
CHER SINGER
Cher no evento Milken Institute Global Conference, no hotel Beverly Hilton, na Califórnia, em maio deste ano | Alberto E. Rodriguez via Getty Images
Imprimir

Quando Cher se tornou famosa na década de 1960, algo ficou bem claro para o mundo naquele momento: estávamos diante de uma estrela, e das mais genuínas.

Autêntica, direta em suas opiniões e carismática, ela iniciou a carreira no entretenimento cantando com seu então marido Sonny Bono (1935-1998), na dupla Sonny & Cher. Além da música, ambos apresentaram programas de TV juntos. Ela já era fabulosa:

Há muitos anos, Cher se manifesta a favor dos direitos de minorias, e tornou-se um grande ícone para mulheres e pessoas LGBT. Até hoje em atividade e a todo vapor, a cantora – que também é filantropa e atriz – já assumiu diversos estilos musicais e visuais. E também conquistou seu lugar em uma indústria comandada principalmente por homens.

Nesta sexta-feira (20), a vencedora do Grammy completa 70 anos de idade.

Para celebrarmos o aniversário, a carreira – já são 25 álbuns de estúdio lançados, para você ter uma ideia – e o legado deste furacão chamado Cherilyn Sarkisian, seguem abaixo cinco motivos porque ela é um ícone para o feminismo e os LGBT.

  • 1
    Cher não se importa com o que você pensa sobre ela
    Julian Wasser via Getty Images
    Esta é Cher no Oscar de 1986. O icônico vestido dela foi um dos assuntos mais comentados daquela cerimônia (sim, ela é um ícone fashion também). A ousadia é algo que a artista jamais dispensou. O jeito espalhafatoso e rebelde de se vestir, as incontáveis perucas, as tatuagens, romances com homens mais jovens, cirurgias plásticas, discriminação etária – Cher desafiou inúmeras regras e contrariou muitos padrões de comportamento.
  • 2
    Cher não tem medo de se reinventar
    ASSOCIATED PRESS
    Se ela iniciou a carreira fazendo pop rock em Sonny & Cher, ao iniciar a carreira solo – paralelamente à dupla – , ela apostou no folk. Entre o fim dos anos 1970 e início dos 1980, ela fez a transição da disco music para o rock. Nos anos 1990, ela abraçou a dance music, gênero no qual ela trabalha até hoje. Não há limites para a Rainha do Pop.
  • 3
    Falando em se reinventar...
    ASSOCIATED PRESS
    Cher também conseguiu desenvolver uma das carreiras de atriz mais bem sucedidas que uma cantora pode ter. Frustrada por participar apenas de filmes que tiveram mau desempenho em crítica e bilheteria no início da carreira, ela decidiu mudar isso nos anos 1980, um dos seus períodos de maior sucesso. Ela interpretou uma lésbica apaixonada pela personagem de Meryl Streep no filme Silkwood - O Retrato de uma Coragem (1983). Pelo papel, ela recebeu sua primeira indicação ao Oscar, na categoria de melhor atriz coadjuvante. Em 1988, ela venceu o prêmio de melhor atriz por Feitiço da Lua. Outros sucessos dela atuando são Marcas do Destino (1985), As Bruxas de Eastwick (1987) e Minha Mãe É uma Sereia (1990), entre vários outros. Ela já venceu três Globos de Ouro, um Emmy e um prêmio de melhor atriz do Festival de Cannes.
  • 4
    Ela apoia os direitos LGBT há muitos anos
    Danny Moloshok / Reuters
    Quando o filho de Cher e Sonny, Chaz (nascido Chastity), se assumiu como lésbica para a mãe aos 17 anos, não foi fácil para a cantora. Mas com o passar do tempo, ela se acostumou com a ideia de ter uma filha gay, e percebeu que pessoas LGBT não têm muitos dos direitos que heterossexuais têm. Ela se engajou na luta. Chaz, mais tarde, se assumiu como homem trans, e adotou seu nome atual. Mais uma vez, ele pode contar com o apoio da mãe para fazer a transição.
  • 5
    Ela está na luta pela igualdade de gênero
    Reprodução
    Nessas cinco décadas de carreira, Cher tem cantado muitas letras que tratam de temas relacionados a amor, como superação de medos, autonomia, decepções e esperança – tudo do ponto de vista feminino. Além disso, ela é uma ferrenha defensora da igualdade salarial entre mulheres e homens e descriminalização do aborto. Um exemplo de como Cher apoia a diversidade é o videoclipe de Women's World.


Feliz aniversário, Deusa do Pop!

LEIA MAIS:

- Não podemos nos esquecer disto: David Bowie também é um ícone LGBT

- Representatividade LGBT em Hollywood piorou, diz estudo

- Em novo clipe da banda de Joe Jonas, quem rouba cena é uma modelo plus-size

Também no HuffPost Brasil:

Close
Frases inspiradoras de famosas sobre o feminismo
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção