Huffpost Brazil

Sonoros 'Fora, Temer!' embalam noite de sábado da Virada Cultural

Publicado: Atualizado:
FORA TEMER
Reprodução Facebook/Jornalistas Livres
Imprimir

Os protestos contra o presidente interino, Michel Temer, ecoaram nas ruas do centro de São Paulo neste sábado (21) e marcaram a largada da Virada Cultura, que acontece neste fim de semana.

Os primeiros "Fora, Temer!" vieram no show do Ney Matogrosso, que abriu oficialmente o evento. O grande público reunido na praça Júlio Prestes puxou o coro com palavras de ordem contra o presidente em exercício. Também foi ouvido, com menor força, "Fora PT".

O cantor, conhecido por fortes posicionamentos, não entrou na onda do público e não se manifestou sobre o assunto no palco.


Os gritos contra Michel Temer também foram ouvidos na apresentação de Valesca Popozuda. "Fora, Temer? Temer jamais?", perguntou a cantora, após os gritos contra o presidente ficarem mais fortes. "Tá tudo uma palhaçada, né gente? Onde nosso País vai parar, hein?", questionou Valesca. "Desistir jamais, porque somos brasileiros."


Durante o show de Elza Soares, o público também pediu a saída de Temer.

Cartazes com os escritos "Fora, Temer!", "Não ao golpe" e "Temer jamais!" pipocavam durante toda a noite. Pequenos grupos contra o novo governo também fizeram manifestações no evento.

#foraTemer

Uma foto publicada por Marcus Preto (@marcuspreto) em

Acontece agora.Virada cultural. Ney Mato Grosso. #foratemer

Uma foto publicada por Jornalistas Livres (@jornalistaslivres) em

A cantora Ellen Oléria também se pronunciou sobre o assunto durante seu show. "O MinC é nosso, o Prouni é nosso, a Secretaria das Mulheres é nossa, a Secretaria da Igualdade Racial, tudo nosso. Nada disso foi presente. Isso é fruto de luta, muito sangue derramado. Não daremos um passo atrás!", disse Ellen, ovacionada pelo público, segundo a Folha.

O evento, que teve um "esquenta" na sexta-feira (20), acontece também neste domingo, a partir do meio-dia.

LEIA MAIS:

- Após críticas, Michel Temer decide recriar Ministério da Cultura

- A resposta do povo a Michel Temer tem sido rápida. E não vai parar