Huffpost Brazil

Deu no NYT: 'Partido que criou bagunça no Rio, agora governa o Brasil'

Publicado: Atualizado:
PMDB
Ueslei Marcelino / Reuters
Imprimir

“O mesmo partido que criou uma bagunça no Rio de Janeiro, agora, está no comando do Brasil." É deste jeito que críticos ouvidos pelo New York Times avaliam o PMDB, sigla do presidente em exercício Michel Temer e do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.

A reportagem destaca como o Rio prometeu ser um caso de sucesso com as Olimpíadas, mas está caindo em um conto do que o PMDB pode significar para o resto do País.

“O Rio está se desenvolvendo em uma mini-Venezuela enquanto seus líderes encontram um jeito de desperdiçar a bonança de petróleo”, diz o economista Marcelo Portugal ao jornal.

Com a proximidade dos jogos no Rio, o New York Times ressalta que atletas estão enojados com a baía contaminada pelo esgoto que gostariam que a provas de regatas mudasse de local. Destaca ainda que no mês passado uma ciclovia desabou após ser atingida por uma onda do mar.

A reportagem afirma ainda que líderes do partido, como o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), são acusados de receber propina. Além de Renan, o NYT cita o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). Ele é acusado de ter recebido cerca de 5% do custo da renovação da marca do Maracanã e de outros projetos públicos.

“O Rio está em crise por causa do PMDB”, diz Leonardo Siqueira, distribuidor de cosméticos. “São políticos que governam para eles e não para os cidadãos”, acrescenta.

O PMDB é descrito como um partido de centro, com ideologia maleável.

LEIA TAMBÉM:

- Ministro de Temer diz que não disse nada do que disse

- Na rua de Temer, PM usou jato d'água e bombas para evitar acampamento

- Partidos pressionam e Jucá pode ser o primeiro ministro a cair no governo Temer

Mais no HuffPost Brasil:

Close
Impeachment e Renúncias na América do Sul
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção