Huffpost Brazil

Fim dos Beatles, começo da depressão: nem tudo foram flores para Paul McCartney

Publicado: Atualizado:
PAUL MCCARTNEY
Mat Hayward via Getty Images
Imprimir

Tocar em centenas de países, testemunhar milhões de pessoas cantando suas canções, ser reconhecido pela realeza, conquistar público e crítica com a mesma unanimidade. Não faltam emoções intensas na vida de Paul McCartney, 73 anos.

E uma delas, a tristeza, se acentuou quando os Beatles chegaram ao fim, culminando em uma depressão. Ele pensou em desistir de tudo, confidenciou à BBC em entrevista exclusiva para a BBC Radio 4's Mastertapes.

“Eu estava deprimido. Você também ficaria. Eu estava me separando dos amigos da minha vida. Então, recorri à bebida.”

Falar das conquistas, sucessos e certezas de McCartney é praticamente automático. Imagine ser o responsável por canções como Let it Be, Hey Jude, Yesterday, Live and Let Die, She Loves You, I Want to Hold Your Hand, Love Me Do e tantas outras.

Mas esse terreno firme ruiu quando a banda acabou, em 1970, com o lançamento do álbum Let It Be. Os desentendimentos entre os integrantes quanto à escolha do empresário na época ficaram latentes e o relacionamento deles ficou insustentável.

Um investimento emocional e profissional de anos se tornou memória e aprendizado, e foi complicado lidar com a falta de perspectiva. “Era difícil saber o que fazer depois dos Beatles. Como se segue a vida depois disso?”, ele conta ao apresentador John Wilson.

McCartney diz ter ficado tão deprimido que considerou desistir da música.

Foi quando ele se mudou para a Escócia e começou a beber. O que no começo parecia uma solução divertida passou dos limites. “Eu estava muito doente”, ele argumenta.

A esposa, Linda, foi quem puxou o freio e disse que ele precisava se recompor. Assim surgiu a nova banda dele, a Wings, que também tinha Linda na formação.

A entrevista foi gravada no Studio 3, da BBC, onde os Beatles gravaram diversos programas de rádio nos anos 60. O público foi bastante seleto: Brad Pitt, Paul Weller (The Jam), Noel Gallagher e Martin Freeman (ator que interpreta Bilbo na trilogia O Hobbit) foram alguns dos famosos que puderam fazer perguntas para McCartney.

LEIA MAIS:

- Baixista do U2, Adam Clayton diz estar mais feliz por superar seus problemas de saúde mental

- Beyoncé pede que as mulheres falem sobre sua saúde mental sem se sentirem culpadas

- Atriz e modelo Cara Delevingne abre o jogo no Twitter sobre depressão e ódio de si mesma

Também no HuffPost Brasil

Close
Famosos que falaram abertamente de saúde mental
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção