Huffpost Brazil

Apoiador de Pedro Paulo, Eduardo Paes adere à campanha contra cultura do estupro

Publicado: Atualizado:
PEDRO PAULO E PAES
Reuters/GettyImages
Imprimir

Apoiador da candidatura de Pedro Paulo Carvalho (PMDB), acusado de violência contra a mulher, para prefeitura do Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes, do mesmo partido, aderiu à campanha nas redes sociais contra a cultura do estupro.

Nesta sexta-feira (27), ele passou a usar um filtro na foto de perfil do Facebook, com a frase “eu luto pelo fim da cultura do estupro”. A campanha foi uma resposta ao estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no Rio.

Pedro Paulo é acusado de agredir a ex-esposa, a turismóloga Alexandra Mendes Marcondes entre 2008 e 2010. Ele admitiu o crime em novembro do ano passado e foi exonerado do cargo de Secretário de Coordenação do Governo municipal do Rio.

Na época, Pedro Paulo tratou o episódio como uma “briga de casal” e disse que não se enquadrava na Lei Maria da Penha. “Quem não tem uma briga, um descontrole, quem não exagera numa discussão? A gente às vezes exagera, fala coisas que não deve. Quem não tem essas discussões e perde o controle?”, questionou.

Os registros de agressão apontam que ele deu socos no rosto e corpo da ex-mulher. Há também relatos de ofensas verbais a Alexandra, com xingamentos de “vagabunda” e “piranha”, entre outros.

As agressões de 2010 teriam sido motivadas por uma traição de Pedro Paulo. Após a divulgação da história, a ex-esposa minimizou o caso em entrevista à imprensa.

Paes sustentou o apoio à candidatura do ex-secretário e disse que a situação trata-se de uma problema pessoal e não da dimensão pública. “Aspectos da vida dele, das brigas, do casamento, são um problema dele”, disse ao Globo em novembro.

O nome do ex-secretário na disputa da prefeitura foi confirmado pelo partido em janeiro. “As pessoas podem sair de uma situação adversa para um exemplo. O perdão é bíblico. O homem público está sempre sujeito ao julgamento popular. Pedro está plenamente preparado para governar a cidade. Com humildade, aceitaremos o julgamento da população”, afirmou o presidente do PMDB no Rio, Jorge Picciani.

Na defesa entregue à Procuradoria-Geral da República, Pedro Paulo diz ter sido vítima da ex-esposa. Ele encaminhou um vídeo em que Alexandra diz que as agressões partiram dela. Há também um lado em que a defesa que contradiz as conclusões da Polícia Civil do Rio.

LEIA TAMBÉM


- Acusados de estupro negam versão da vítima e dizem que sexo foi consensual

- Principais movimentos feministas do País vão lutar contra os retrocessos governo Temer

- Ministro da Justiça sobre estupro coletivo no Rio: 'É um atentado à dignidade de todas as mulheres'

Também no HuffPost Brasil:

Close
Opiniões chocantes sobre estupro
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção