Huffpost Brazil

China diz que é 'irmã' da África após comercial extremamente racista de empresa chinesa

Publicado: Atualizado:
COMERCIAL RACISTA
Reprodução/YouTube
Imprimir

Um anúncio de uma marca chinesa de sabão considerado o mais racista já veiculado rendeu tantas críticas que as relações entre a China e a África tiveram de ser reafirmadas. "Bons irmãos", disse o governo chinês, reforçando que a China respeita todos os povos independentemente de raça.

O comercial da marca Qiaobi está causando revolta nas redes sociais desde que foi divulgado no YouTube, neste mês. Nele, um homem negro é "lavado" em uma máquina de lavar e sai dela com pele clara.

A propaganda começa com uma chinesa lavando roupas. Um homem negro aparece e olhares são trocados. A mulher, então coloca um tablete de sabão na boca dele e o empurra para dentro da máquina de lavar. Após isso, o homem que sai da máquina está transformado em um asiático de pele clara e a jovem aparece feliz com a mudança.

A propaganda foi transmitida na TV chinesa em abril e não recebeu muita atenção dos espectadores. O vídeo começou a ser alvo de críticas nos últimos dias, depois que a peça foi divulgada no YouTube. Usuários das redes sociais se mostraram perplexos com a discriminação do comercial e o classificaram como "o mais racista" já transmitido na TV.

"Os profissionais de marketing na China não tiveram nenhuma aula sobre racismo?", perguntou um usuário no Twitter, segundo a CNN. "Se você não vê racismo neste comercial, parabéns, você é o racista", escreveu outro, rebatendo as pessoas que defenderam a propaganda.

A empresa chegou a deletar o vídeo no canal de YouTube, mas ele acabou viralizando e foi postado em outros canais:

Reação "exagerada"

Após a grande repercussão, a empresa por trás do comercial disse no fim de semana que a discriminação está "nos olhos de quem vê" e culpou a mídia estrangeira por uma reação "exagerada" sobre a peça.

"Nós expressamos nossas desculpas pelo dano causado ao povo africano pela propagação do anúncio e a amplificação dos meios de comunicação", afirmou a Shanghai Leishang Cosmetics, empresa proprietária da marca Qiaobi, em um comunicado divulgado no final de semana.

"Esperamos sinceramente que os muitos usuários da Internet e da mídia não enxerguem muita coisa nisso."

(Com informações da Reuters)

LEIA MAIS:

- Um recado para Maria: não queremos mais voltar para o Brasil de Debret

- Autor de comentários racistas no Instagram de Ludmilla confessa crime e se apresenta à polícia

Também no HuffPost Brasil

Close
Humor x racismo em Os Trapalhões
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção