Huffpost Brazil

Novos áudios mostram ministro da Transparência orientando Renan sobre inquérito na Lava Jato

Publicado: Atualizado:
FABIANO
Agência Senado
Imprimir

Em mais uma saga de áudios revelados de conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, desta vez o ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, foi o alvo. O ministro que deveria lutar pela transparência do governo e pelo prosseguimento da Lava Jato, aparece em uma reunião na casa do presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB, criticando a própria Lava Jato.

Na época, Fabiano era ainda conselheiro do Conselho Nacional de Justiça e foi indicado ao cargo pelo próprio Renan Calheiros. Nos áudios divulgados pelo Fantástico, o atual ministro faz críticas à condução da Lava Jato pela Procuradoria e também dá conselhor e consultorias aos investigados na operação.

Neste mês, ele assumiu o Ministério da Transparência - pasta criada pelo presidente em exercício Michel Temer no lugar da antiga Controladoria-Geral da União.

Mas no dia 24 de fevereiro, durante as tratativas do acordo de delação premiada, Sérgio Machado foi até à casa de Renan para conversar sobre äs providências e ações que ele estava pensando acerca da Operação Lava Jato" e disse que participaram da conversa dois advogados de Renan: Bruno e Fabiano.

Sérgio Machado disse que o tom da conversa foi de "reclamações gerais sobre a Justiça e sobre a Lava Jato". O ministro da Transparência, de acordo com a gravação, orienta Renan e Sérgio Machado a como se comportar em relação à Procuradoria-Geral da República.

Leia o diálogo:

Sérgio Machado: Esse foi o motivo, Fabiano... (inaudível) As explicações que estão aí, você vê que são todas contundentes.

Bruno: Tudo que eles falam, p..., a imprensa só dá... Rapaz, você acredita que os caras tinham a cara de pau de dizer no noticiário que o (inaudível) ia ser julgado? (inaudível)

Em seguida, Fabiano faz um comentário sobre a situação de Sérgio Machado. Diz que ele deve procurar o relator da medida cautelar para prestar esclarecimentos.

Fabiano Silveira: Eu concordo com a sua condição de tendo sido objeto de uma medida cautelar, simplesmente, não... Dizer assim: 'olha, não é comigo isso...' acho que tem dizer, tem que se dirigir ao relator prestando alguns esclarecimentos, é verdade. (inaudível)

Sérgio Machado: Sobretudo Fabiano... Não tem nada. (inaudível)

Bruno: Nós não temos um movimento pra fazer agora.

Em um momento da conversa, Renan Calheiros diz a Fabiano que está preocupado com um dos inquéritos a que responde no Supremo, o que investiga se o presidente do Senado e Sérgio Machado receberam propina - em forma de doações eleitorais - para facilitar a vitória de um consórcio de empresas em uma licitação para renovar a frota da Transpetro. Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef citaram o negócio em depoimento.

A campanha de Renan teria sido contemplada com duas doações no valor total de R$ 400 mil. Renan diz a Fabiano que está preocupado com um recibo. Machado diz que ele foi incluído em um processo de R$ 800 mil. Uma voz que não é possível identificar pergunta se foi Youssef quem disse que o dinheiro foi para Renan. Machado diz que não.

Renan Calheiros: Cuidado, Fabiano! Esse negócio do recibo... Isso me preocupa pra c...

Sérgio Machado: Eles me botaram num processo lá de 800 mil que o Youssef tinha dito que era pra... (inaudível) Estaleiro. Que eles tão de acordo se tem certeza que era pra você (inaudível).
Voz não identificada: Youssef disse?

Fabiano Silveira: A única ressalva que eu faria é a seguinte: tá entregando já a sua versão pros caras da... PGR, né. Entendeu? Presidente, porque tem uns detalhes aqui que eles... (inaudível) Eles não terão condição, mas quando você coloca aqui, eles vão querer rebater os detalhes que colocou. (inaudível)

Mais à frente, Fabiano chega a fazer críticas à condução da investigação pela Procuradoria. Diz que Janot e os procuradores estão perdidos.

Sérgio Machado: Diz que o... Janot não sabe nada. O Janot só faz... (inaudível) Cada processo tem um procurador.

Fabiano Silveira: Eles estão perdidos nesta questão.

Durante as dezenas de fases da Operação Lava jato, Fabiano teria procurado integrantes das investigações para buscar informações de inquéritos contra Renan. Em nota ao Fantástico, Fabiano Silveira disse que esteve apenas "de passagem" na residência oficial do Senado e que não sabia da presença de Sérgio Machado. Segundo Fabiano, ele esteve involuntariamente, em uma conversa informal, e jamais fez gestões ou intercedeu junto a instituições públicas em favor de terceiros.

Exoneração

O Sindicato Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle (Unacon Sindical) defendeu hoje a exoneração do novo ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira. Segundo o sindicato, Silveira "demonstrou não preencher os requisitos de conduta para estar à frente de um órgão que zela pelo combate à corrupção".

Para a Unacon Sindical, as gravações "exigem respostas rápidas e assertivas" do presidente em exercício, Michel Temer.

"O Sr. Fabiano Martins Silveira, ao participar de reuniões escusas para aconselhar investigados na operação Lava Jato, bem como ao fazer gestões junto a autoridades e órgãos públicos a fim de apurar denúncias contra seus aliados políticos, demonstrou não preencher os requisitos de conduta necessários para estar à frente de um órgão que zela pela transparência pública e pelo combate à corrupção"

LEIA TAMBÉM


- Movimentos feministas do País vão lutar contra os retrocessos do governo de Temer

- 'A ditadura da Justiça tá implantada. É a pior de todas!', diz Sarney em gravação

- PMDB, PSDB, DEM e Solidariedade financiaram movimento pró-impeachment, diz site

Também no HuffPost Brasil

Close
Entenda a Operação Lava Jato
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção