Huffpost Brazil

Após insistência de Janot, Gilmar Mendes reabre investigações contra Aécio Neves

Publicado: Atualizado:
Imprimir

Após o procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, insistir com o Supremo Tribunal Federal que é preciso investigar o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o ministro Gilmar Mendes decidiu retomar as investigações contra o tucano por suposto envolvimento em esquema de corrupção de Furnas.

De acordo com a Folha de S.Paulo, isso significa que, em 90 dias, as diligências pedidas pelo Ministério Público serão feitas e o senador terá que prestar depoimento.

As investigações foram suspensas, no último dia 12, com um pedido de mais informações ao MP. No documento entregue ao STF, Janot manteve o pedido original que fez ao STF, baseado na delação premiada do senador cassado Delcídio do Amaral. Janot também pediu o desarquivamento da citação feita pelo doleiro Alberto Youssef sobre o parlamentar.

Em nota, Aécio afirmou que ter "absoluta convicção de que, ao final, ficará provado mais uma vez a inocência, como já aconteceu no passado, o que levou, inclusive, ao arquivamento dessas mesmas acusações”.

"É claro que ninguém gosta de ser injustamente acusado, como é o caso, mas eu tenho serenidade para compreender que esse é o papel do Ministério Público, investigar as citações e acusações que ali chegam, e o da Justiça, de dar prosseguimento a essas investigações. (…)

Eu estou convencido, de que depois de tudo isso, não apenas desse caso em especial, mas do que vem acontecendo com o Brasil, nós teremos um país diferente, onde os culpados sejam punidos e punidos exemplarmente, e aqueles que são inocentes terão a sua inocência reconhecida, para que possam continuar o seu trabalho em favor do Brasil."

LEIA TAMBÉM:

- Não fica um? MPF estuda pedir afastamento de Renan Calheiros do Senado

- 'A ditadura da Justiça tá implantada. É a pior de todas!', diz Sarney em gravação

- Renan diz que Lava Jato é 'intocável' e que não tentou dificultar as investigações

Mais no HuffPost Brasil:

Close
Impeachment e Renúncias na América do Sul
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção