Huffpost Brazil

Suíços votam em referendo adoção de renda básica de 2.300 euros

Publicado: Atualizado:
SWISS FLAG
M Swiet Productions
Imprimir

Os suíços votam neste domingo (5) uma iniciativa popular que pretende instituir uma renda mínima de 2.300 euros mensais (mais de 9.200 reais) à qual todos os residentes do país teriam direito a fim de levar uma vida digna.

Os promotores da iniciativa consideram que a Suíça perde cada vez mais postos de trabalho em decorrência da robotização dos setores produtivos e que há um grande número de pessoas que realiza funções não reconhecidas ou remuneradas, como cuidar dos filhos ou de parentes doentes e idosos.

Nesse contexto, uma renda mínima garantida para todos os suíços poderia acabar com situações de pobreza e dependência de alguns cidadãos dos serviços sociais, em um país onde o custo de vida é um dos mais elevados do mundo.

A ideia, no entanto, não convenceu os eleitores, que nas últimas pesquisas realizadas no país se mostraram majoritariamente contra.

Segundo esses levantamentos, a nova renda será rejeitada por cerca de 70% dos eleitores, que consideram que uma renda mínima universal não poderia ser mantida de forma sustentável. Além disso, os opositores acreditam que a ideia de ter garantida tal remuneração seria um incentivo a não trabalhar.

A iniciativa não especifica um valor para esta renda, mas alude ao fato de que o rendimento teria que ser suficiente para garantir uma vida digna. Segundo os idealizadores da ideia essa quantia é similar ao estabelecido para o salário mínimo e, se for aprovada, deverá ser fixada pelos legisladores suíços.

Nenhum partido político apoia abertamente a proposta, que, mesmo reduzindo as despesas nas quais incorre atualmente o sistema de assistência social, exigiria receitas adicionais para os cofres públicos de mais de 22 bilhões de euros ao ano, valor equivalente a 88 bilhões de reais.

(Com EFE)

Também no HuffPost Brasil

Close
Países menos corruptos do mundo
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção