Huffpost Brazil

Lesbofobia não passará! Uber demite motorista que ameaçou casal

Publicado: Atualizado:
CASAL
reprodução/twitter
Imprimir

Lucy Thomas e sua namorada Chelsea Lang precisavam de carona para voltar para casa após um jantar entre amigos em um bairro de Melbourne, cidade da Austrália. Elas não pensaram duas vezes e solicitaram um Uber.

No entanto, durante o serviço, o motorista se incomodou com a opinião das garotas enquanto eles discutiam sobre futebol. Como ele reagiu? Insultando o casal de "faggots" ("sapatão" em tradução literal) e ameaçando arrastá-las para fora do carro.

Thomas comentou o caso em entrevista ao BuzzFeed:

"É como se uma nuvem estivesse sobre ele. Ele já tinha sido agressivo, mas estava alegre. Mas depois ele partiu para atacar a minha namorada. Ele estava chamando a gente de 'sapatão' repetidamente, e foi bastante agressivo em seu tom."

Segundo a garota, foi só nesse momento que o motorista percebeu que elas estavam juntas, depois do clima tenso que foi criado.

"Ele me disse: 'você só pode ser um sapatão caso contrário você não se importaria'. Talvez ele não tivesse percebido antes, pois não seguimos o estereótipo esperado para duas mulheres em um relacionamento."

Quando chegaram ao destino final, Thomas e Lang disseram que o carro parou, mas ele não destrancou as portas. Nesse momento elas se sentiram bastante ameaçadas e resolveram usar o celular para gravar a conversa. Depois, elas disponibilizaram o áudio na internet.

Na gravação é possível ouvir o motorista dizer frases como "eu posso fazer o que eu quiser, estou preparado para sofrer as consequências" e "o que você vai fazer? Me avaliar com uma estrela? E quando eu escrever o meu relatório sobre duas pessoas que não gostam de ser chamados de bichas, então, o que é que eles vão dizer?".

Depois, o motorista ameaça arrastar as duas mulheres para fora do carro.

Assustadas, elas recorreram à empresa Uber imediatamente. Thomas elogiou a rapidez da resposta da empresa, que em comunicado ao BuzzFeed afirmou ter afastado o motorista.

No entanto, as garotas continuam com medo de sair de casa, temendo que o motorista esteja na vizinhança.

"A política da empresa é realmente confusa e problemática. É centrada na privacidade - tanto do motorista, quanto a minha -, mas é desequilibrado, porque o motorista já tem o meu endereço."

A história do casal está gerando discussões nas redes sociais. Em seus perfis no Twitter, as garotas agradecem ao apoio de outros usuários.

"Eles demitiram o motorista"

Outro motorista da Uber enviou uma mensagem para Thomas pedindo desculpa por seu colega, mas reforçando quem nem todos os motoristas do aplicativo são preconceituosos e agiriam assim.

LEIA MAIS:

- Policial militar gay do RS será o primeiro a se casar de farda em 178 anos

- PROGRESSO! Irlanda do Norte autoriza gays a doarem sangue

- Austrália se desculpa por leis antigas que criminalizavam a homossexualidade

* Nota: A editora-chefe do The Huffington Post, Arianna Huffington, é membro do board de diretores da Uber e se recusou a ter qualquer participação na cobertura do site sobre a empresa de tecnologia.

Também no HuffPost Brasil

Close
Protesto de taxistas em SP
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção