Huffpost Brazil

Manifestantes ocupam as ruas contra Temer: 'Nenhum direito a menos'

Publicado: Atualizado:
MANIFESTAO
Centrais de trabalhadores participaram de protestos | reprodução/Twitter
Imprimir

"Fora Temer! Nenhum direito a menos"

Essas são as palavras de ordem das pessoas que ocuparam as ruas nesta sexta-feira (10) em diversas cidades do Brasil e também do exterior em atos convocados pelos grupos Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Ao longo do dia, 24 municípios registraram manifestações contra o presidente em exercício, Michel Temer.

Os atos foram convocados por movimentos sociais e sindicatos de trabalhadores. Eles pedem o retorno da presidente afastada Dilma Rousseff e fazem reivindicações dos direitos de cada categoria. Ainda, os pronunciamentos criticam as reformas propostas por Temer, como da Previdência.

A CUT informa que 100 mil participaram da manifestação em São Paulo.

Presença mais esperada no ato da Paulista, o ex-presidente Lula amenizou o tom das críticas a Michel Temer. Segundo o site da Folha de S.Paulo, o petista disse que não poderia pedir "Fora, Temer". Mas opinou: "Temer, você é um advogado constitucionalista, você sabe que não agiu correto".

Ainda de acordo com a Folha, Lula fez críticas à divulgação de suas conversas captadas pela Operação Lava Jato e deixou claro que está pronto para ser candidato do PT nas eleições presidenciais de 2018:

"Eu não perdoo a atitude de vazamento ilícito de conversas minhas de telefone. Aquilo teve o objetivo de execrar minha imagem para que eu não seja presidente. Quanto mais eles provocarem, mais eu corro o risco de ser candidato."

lula

Em capitais como Belém, Belo Horizonte e Rio de Janeiro houve manifestações artísticas como batucadas e concertos.

Fora do Brasil, manifestantes se reuniram em capitais como Paris e Dublin para se posicionar contra o governo interino.

Close
Manifestação contra Michel Temer
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

LEIA MAIS:

- Se sobreviver ao impeachment, Dilma quer 'consulta popular' para destino do País

- Estatal do estado de Minas fez parceria com empresa de pai de Aécio em 2010

- Vai, STF! Supremo decide se abre 2ª investigação contra Eduardo Cunha