Huffpost Brazil

ONU critica baixa representatividade de negros no governo do Brasil

Publicado: Atualizado:
Imprimir

temer juca

A Organização das Nações Unidas (ONU) se queixa da falta de negros na cúpula do governo brasileiro e aponta que, com mais de 150 milhões de afrodescendentes na América Latina, essa população ainda está pouco representada nas decisões políticas.

Em discurso, o Alto Comissário de Direitos Humanos da ONU, Zeid Al Hussein se disse "preocupado com a baixa representação política de afrodescendentes na América Latina e no Caribe ".

"Existem cerca de 150 milhões de pessoas de descendência africana na região, somando quase 30% da população. Eles são mais da metade da população do Brasil e mais de 10% da população de Cuba", afirmou Zeid. "Mas sua representação nos altos níveis do governo, incluindo nos ministérios, é muito inferior", alertou.

"A representação importa", insistiu o jordaniano. "Esse déficit de representação na cúpula do poder afeta toda a sociedade: parlamentos, locais de trabalho no setor público e privado, escolas, tribunais, na imprensa - todos lugares em que às vozes dos afrodescendentes são dados muito pouco peso", disse.

"As vozes, as escolhas, as experiências e os rostos dos afrodescendentes precisam ser melhor refletidos", afirmou. "Peço que esses governos tomem ações para refletir a diversidade de sua população dos órgãos de tomadas de decisão, incluindo a consideração de políticas de ação afirmativa", completou.

LEIA TAMBÉM:

- ‘Mulheres não querem se tratadas como fetiche decorativo', diz Dilma sobre ministério de Temer

- Secretária da Mulher diz que Temer tem sensibilidade para pautas femininas

- 'Não é questão de gênero, mas de qualificação', diz ministro de Temer

- 'Tentamos buscar mulheres, mas não foi possível', diz ministro de Temer

Também no HuffPost Brasil

Close
8 negros icônicos refletem sobre a influência incomparável de Muhammad Ali
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção