Huffpost Brazil

'Cabe a Deus punir os gays', diz Seddique Mateen, pai de atirador de Orlando

Publicado: Atualizado:
PAI ATIRADOR
Reprodução/Facebook/Reuters
Imprimir

Pai do autor do massacre que deixou pelo menos 50 mortos na madrugada de domingo (12) em Orlando, Seddique Mateen afirmou em um vídeo que "cabe a Deus punir os homossexuais. Não corresponde a seus servos".

Mateen também descreve o jovem, de 29 anos, como um filho "muito digno e que respeitava seus pais" e afirma que não entende quais foram as motivações de Omar Mateen para cometer o atentado. Segundo o jornal Metro, o material foi publicado no Facebook de Mateen.

Procurado pela CBS, ele tentou esclarecer o que disse antes: "Ele não tem o direito, ninguém tem o direito de ferir nada, nem ninguém", afirmou à emissora, dizendo ainda que "cada um define seu estilo de vida".

"Este é um país livre. Todos têm o direito de viver como querem".

Mateen, nascido no Afeganistão mas que afirma se considerar americano, por viver há muitos anos nos EUA, disse que o filho ficou "furioso" quando, há alguns meses, viu dois homens se beijando em Miami. Palco do pior atentado envolvendo armas de fogo da história dos EUA, a boate Pulse promovia festas e defendia a causa LGBT.

"Ele viu dois homens se beijando na frente da sua mulher e do seu filho, e ficou furioso. Eles estavam se beijando e se tocando, e ele disse: 'Olhe para isso. Na frente do meu filho, eles estão fazendo isso", contou Mateen à NBC.

Em depoimento gravado do jornal Washington Post, Mateen conta que viu Omar na noite de sábado, e que o jovem não parecia nervoso ou agitado e repete que o ataque não foi motivado pela religião.

"Eu acho que ele só queria contar vantagem", afirmou ao jornal, sobre o fato de que o filho jurou lealdade ao grupo extremista Estado Islâmico. Ele também diz se questionar porque o ataque foi cometido justamente no mês do Ramadã, considerado sagrado pelos muçulmanos.

Na última semana, líderes do Estado Islâmico incentivaram seus seguidores a perpetrarem ataques nos EUA e na Europa durante o Ramadã. O grupo disse ainda que Omar era "um de seus soldados".

De acordo com o chefe do FBI, James Comey, a investigação trabalha com a possibilidade de que o atirador tenha sido inspirado por "organizações terroristas" estrangeiras. Tudo leva a crer, no entanto, que ele agiu sozinho e apenas motivado pela ideologia do grupo.

"Há fortes indicações de radicalização por parte deste assassino e de possível inspiração em organizações terroristas estrangeiras", disse Comey.

De acordo com informações da agência France Presse, Seddique é uma "espécie de celebridade nos círculos políticos afegãos nos EUA, e apresenta um programa de TV em um canal afegão baseado na Califórnia."

O programa, chamado Durand Jirga Show, é uma plataforma na qual Seddique expressa suas opiniões gerais, às vezes usando traje típico ou uniformes militares". De acordo com a CBS, o homem também manifesta apoio ao grupo extremista Taleban, referindo-se aos combatentes do grupo como "irmãos guerreiros", e faz severas críticas ao Paquistão.

Ele chegou a entrevistar o atual presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, de quem atualmente é crítico severo. A entrevista tocou em temas como o desenvolvimento econômico e o desemprego no Afeganistão. O material teria sido gravado em Cabul e transmitido a partir da Califórnia.

De acordo com o staff do atual presidente afegão, a entrevista foi concedida em 2009, quando ele foi candidato mas não se elegeu. A entrevista, no entanto, foi transmitida em 2014.

Em 2015, o próprio Seddique anunciou sua candidatura à presidência do Afeganistão, mesmo sem eleições previstas para aquele ano. Ele também se autodeclara líder de um "governo revolucionário de transição" no país, além de afirmar ter sua própria agência de inteligência e fortes contatos no Congresso americano.

Em um vídeo publicado no dia 11 de junho, véspera do atentado perpetrado pelo filho, Mateen afirma que o Afeganistão deve "punir os traidores".

"Eu gostaria que um herói arrancasse o turbante de Ashraf Ghani e desse um tapa neste homem louco", diz ele, afirmando ainda que "este traidor arregaçou as mangas para destruir o nosso país".

No Twitter, Ghani condenou o crime "hediondo e imperdoável" em Orlando, e disse que o massacre foi um "ato covarde de terror".

(Com informações da Reuters)

LEIA TAMBÉM:

- Foi homofobia, sim! Massacre em Orlando mistura ódio e fácil acesso às armas

- Papa chama massacre de Orlando de 'loucura homicida e ódio sem sentido'

- 'Ele está vindo. Eu vou morrer': Vítima manda mensagem para mãe minutos antes de morrer em massacre

Também no HuffPost Brasil

Close
Atentado em boate de Orlando
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção