Huffpost Brazil

Parlamentar britânica é assassinada e campanhas para referendo são suspensas

Publicado: Atualizado:
JO COX
Handout . / Reuters
Imprimir

Uma parlamentar britânica morreu após ter sido baleada no norte da Inglaterra nesta quinta-feira (16), causando grande comoção em toda a Grã-Bretanha e a suspensão das campanhas para o referendo sobre a permanência britânica na União Europeia na próxima semana.

Jo Cox, 41 anos, do partido de oposição Trabalhista e defensora da permanência britânica no bloco europeu, foi atacada enquanto se preparava para um encontro com eleitores de Birstall, perto da cidade de Leeds.

A polícia de West Yorkshire disse que um homem de 52 anos foi preso nas proximidades e armas, incluindo uma arma de fogo, foram recuperadas. O motivo do ataque ainda não é conhecido.

A porta-voz da Polícia disse que ainda não se confirmou o relato de várias testemunhas que afirmaram que o agressor gritou "Britain First!" ("O Reino Unido primeiro"), uma referência a uma legenda de extrema-direita contrária à imigração, e pediu às pessoas com informação nesse sentido que entrem em contato com as autoridades.

"Nós perdemos uma grande estrela", disse o primeiro-ministro, David Cameron. O premiê cancelou o discurso que faria em Gibraltar.

Segundo a agência britânica Press Association, uma testemunha, Hithem Ben Abdallah, disse que a deputada se envolveu em uma briga entre dois homens em Birstall, cidade 320 quilômetros ao norte de Londres. Abdallah disse que um homem brigou com Jo Cox e então houve dois disparos e a deputada caiu sangrando. Outra testemunha, Clarke Rothwell, disse à rede BBC acreditar que a legisladora tenha sido baleada e levado várias facadas.

Joe Cox havia trabalhado em entidades humanitárias, era casada e mãe de dois filhos pequenos. Ela foi eleita para a Câmara dos Comuns na eleição geral de maio de 2015