Huffpost Brazil

'O cuidado agora é pra que ela não se machuque ainda mais', diz advogada de jornalista demitida do iG após assédio

Publicado: Atualizado:
BIEL
Reprodução/Instagram
Imprimir

A repórter que foi demitida pelo portal iG após denunciar o assédio sexual que sofreu ao entrevistar o MC Biel se manifestou sobre o ocorrido nesta quinta-feira (23).

Um comunicado oficial, feito pelos advogados que acompanham o caso, foi encaminhado a alguns veículos de imprensa pelos advogados que estão cuidando do processo da jornalista. Sua identidade continua sendo preservada.

A nota afirma que foi o portal iG quem determinou a licença da repórter logo após a divulgação do caso na mídia, mas ela optou por voltar ao trabalho poucos dias depois e agora "busca entender o motivo de sua demissão e os possíveis reflexos disto em sua carreira":

"Seu objetivo sempre será o de defender a sua honra como mulher e também de sua classe profissional. A jornalista agradece todo o apoio que tem recebido e a mobilização de diversos grupos indignados com o ocorrido, reiterando sua vontade de ter todos os fatos esclarecidos ao público no momento oportuno."

Você pode ler a nota na íntegra abaixo:

Ex-repórter do IG, por seus advogados, vem apresentar nota de esclarecimento sobre os últimos acontecimentos:

Após a divulgação pela mídia, dia 03/06, do episódio envolvendo a repórter e o MC Biel, o portal IG determinou que a mesma se licenciasse de suas atividades por tempo indefinido. A jornalista optou por voltar ao trabalho poucos dias depois.

Neste momento, diante de sua demissão no dia 17/06, busca entender o porquê desta atitude e os possíveis reflexos em sua carreira. Seu objetivo sempre será o de defender a sua honra como mulher e também de sua classe profissional.

A jornalista agradece todo o apoio que tem recebido e a mobilização de diversos grupos indignados com o ocorrido, reiterando sua vontade de ter todos os fatos esclarecidos ao público no momento oportuno.

Em contato com o HuffPost Brasil, Ana Paula Cortez, advogada da repórter, contou que a decisão de fazer um comunicado oficial veio da pressão que a jornalista vem sentindo:

"Algumas pessoas acabaram descobrindo quem ela é e tem mandado mensagens e a pressionado por um posicionamento. Por isso conversamos e decidimos, em comum acordo, que algo deveria ser feito de modo a não deixá-la exposta, pensando na preservação de sua identidade e de sua moral."

Ela ainda falou sobre a necessidade de levantar esse assunto, que é fruto de um machismo que não pode mais acontecer:

"A única coisa que ela quis é que o mundo soubesse que esse tipo de comportamento existe e que não pode mais ser assim. Uma jornalista e qualquer outra mulher tem que ter o direito de trabalhar e não passar por uma violência dessas. Se fosse um repórter homem isso jamais teria acontecido. O cuidado agora é pra que ela não se machuque ainda mais."

Entenda o caso

O assédio aconteceu em maio com uma repórter do portal iG, durante uma entrevista com o cantor Biel sobre o seu novo CD. A notícia foi divulgada inicialmente pelo iG em 3 de junho e ganhou repercussão nacional.

Gabriel Araújo Marins Rodrigues, de 20 anos, foi denunciado pela profissional na 1ª Delegacia da Mulher de São Paulo por assédio sexual. De acordo com o relato, ele chamou a jornalista de “gostosinha” e disse que “a quebraria no meio” se mantivessem relações sexuais.

Durante a conversa, a repórter menciona que tem quase a mesma idade do cantor. Ele responde: "Idade não significa nada. Se te pego, te quebro no meio". Depois, ela questiona se ele é bissexual, em menção às buscas no Google sobre "Biel é bi?". O artista retruca: "Por quê? Você quer que eu te mostre com atos e ações? E eu sou heterossexual. Eu gosto é de boceta".

Em outra parte do vídeo, Biel pede que a jovem atenda a uma ligação em seu celular. Ela fala ao telefone e explica que ele não pode atender, pois está em uma entrevista. Em seguida, Biel retorna a ligação. Ouça os trechos originais de conversa entre Biel e repórter do iG.

E não para por aí

Cinco dias após a repercussão, o cantor pediu desculpas à mulher que sofreu abuso, aos fãs, familiares e a quem mais "se sentiu ofendido" com suas ações.

"Nunca imaginei que minhas palavras poderiam machucar quem me entrevistava, então estou aqui para me desculpar não só com a repórter, mas com todas mulheres que se sentiram ofendidas com as minhas palavras. Acho que estou em dívida com a minha família, não foi a educação que eles me deram e isso não vai acontecer de novo."

Mas a rejeição foi tanta que até o Comitê Internacional Olímpico Rio-2016 desconvidou Biel da lista de participantes do revezamento da tocha olímpica, alegando que o Comitê quer que revezamento passe "uma mensagem de paz e não quer aliar o evento ou os conceitos de olimpismo a esse acontecimento", disse o COI em nota.

Além disso, programas globais como "Caldeirão do Huck" e "Fantástico" suspenderam exibição de quadros com participação do funkeiro. A sua música, Química, também foi retirada da novela das 7h da emissora, Haja Coração. A Tilibra, empresa de itens de papelaria, também cancelou um contrato de R$ 400 mil com o cantor.

No entanto, para a surpresa de todos, a jornalista foi demitida na sexta-feira (17).

O jornalista Fernando Oliveira tuítou sobre o caso e a notícia se espalhou rapidamente pelas redes sociais, o que suscitou questionamentos de páginas feministas e de usuários em geral, como: "Qual é a justificativa para deixar sem emprego uma mulher que enfrenta a Justiça contra um homem famoso após relato de assédio? Uma mulher que vocês prometeram ajudar?".

As pessoas passaram a cobrar uma posição do iG sobre o ocorrido e a comentar na página oficial do portal no Facebook, até mesmo em matérias que não tinham relação com o caso.

1

2

O iG ainda não se pronunciou sobre o caso. Mas, segundo o BuzzFeed e o MdeMulher, o portal deu uma explicação para a demissão da repórter em um comunicado interno emitido para os funcionários, que diz:

"A empresa está seniorizando nossa equipe no intuito de melhorar nosso conteúdo próprio. Trata-se de uma reestruturação normal em função dessa necessidade. A repórter continuará recebendo todo o apoio da empresa e dos funcionários no caso".

Não foi uma única vez

Na noite de sexta-feira (17), momentos antes da notícia da demissão da jornalista ser divulgada, Biel tinha sido denunciado novamente, também por uma jornalista.

O nome da repórter e do veículo permanecem em sigilo, mas de acordo com informações do Ego, a denúncia foi acolhida pela titular da 1ª Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo, Giovanna Valenti. Segundo ela, o cantor agora irá responder a duas investigações.

Jornalistas Contra o Assédio

Depois que o portal iG demitiu a repórter, mulheres jornalistas criaram um movimento espontâneo de indignação e empatia que tomou conta das redes sociais nesta semana do dia 20.

Mais de 4 mil jornalistas se mobilizaram em um grupo de discussão no Facebook em apenas dois dias, com o objetivo de mostrar que casos como o que ocorreu com a repórter são mais recorrentes do que se imagina.

E o mais importante: Não será aceito que as vítimas sejam culpabilizadas ou punidas.

As jornalistas Janaina Garcia e Thais Nunes tiveram a ideia de transformar a indignação em luta e campanha, daí surgindo a hashtag #JornalistasContraOAssédio e o vídeo-manifesto abaixo:

LEIA MAIS:

- Você está fazendo todas as perguntas ERRADAS sobre o caso Amber Heard e Johnny Depp

- 'Ele é assim mesmo': Esta é a justificativa para assédio de Biel a jornalista

- Repórter que denunciou assédio de Biel é demitida. E as pessoas querem saber o porquê

Também no HuffPost Brasil

Close
Famosos que reforçam a cultura do estupro
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção