Huffpost Brazil

Reclaim! HuffPost cria uma campanha para acabar com o desperdício de comida

Publicado: Atualizado:
RECLAIM
Huffington Post
Imprimir

Há algo fundamentalmente errado quando cerca de um terço de todos os alimentos produzidos para consumo humano é perdido ou desperdiçado.

Ainda assim, mais de 800 milhões de pessoas vão dormir com fome toda noite.

Esta não é uma injustiça que se limita aos países em desenvolvimento. Nos Estados Unidos, até 40% dos alimentos não são consumidos, e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos estima que 15,3 milhões de crianças vivam em lares em situação de insegurança alimentar.

As consequências do desperdício de alimentos não param por aí:

São geradas anualmente 3,3 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa em todo o mundo, segundo a Organização para a Alimentação e Agricultura, e usa mais de um quarto das terras cultiváveis disponíveis do mundo, levando ao desperdício de água doce valiosa e abrindo um buraco negro de US$ 750 milhões (R$ 2,48 bilhões) na economia global.

A comida que desperdiçamos também pode agravar as tensões políticas em todo o mundo. O Fórum Econômico Mundial alertou que a escassez de alimentos representa um dos maiores riscos para a estabilidade global durante a próxima década, quando os países serão cada vez mais afetados pela mudança climática.

Por todas estas razões e mais, The Huffington Post lança hoje uma campanha para ressaltar a escala do desperdício de alimentos e, mais importante, trabalhar em colaboração com você, nosso leitor, para reduzi-lo.

O nome da nossa campanha é “Reclaim”, que significa recuperar o que foi perdido. Neste contexto, tem um duplo significado. Recuperar o poder dos cidadãos para precipitar mudanças reais na sociedade e recuperar o nosso amor pela comida.

Isso significa ir além dos mais de 175 milhões de posts de #comida no Instagram, para restabelecer uma apreciação e uma conexão mais profundas com a magnífica generosidade da Terra, da qual dependem todas as nossas vidas.

Acreditamos que este seja o momento de atacar porque, depois de anos de inação, governos, instituições e indivíduos estão finalmente acordando para o desafio e estão começando a agir.

ugly food

Em escala global, 193 países subscreveram os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que incluem o compromisso de reduzir pela metade o desperdício global de alimentos per capita no nível do varejo e do consumidor no prazo de 14 anos, além de reduzir as perdas de alimentos entre as cadeias de produção e de fornecimento, incluindo as perdas pós-colheita.

Também vemos países e empresas de toda a Europa começando a atacar o problema. No início deste ano, a França mostrou o que é possível, tornando-se o primeiro país do mundo a proibir os supermercados de jogar fora alimentos não-vendidos. Em vez disso, a comida deve ser doada para instituições de caridade e bancos de alimentos.

Enquanto isso, a Tesco, maior cadeia de supermercados do Reino Unido, está divulgando publicamente quanto de sua comida vai para o lixo.

Em março a empresa começou a vender vários produtos “feias” chamados Perfeitamente Imperfeitos em 200 de suas lojas.

A rede também se comprometeu a doar todos os alimentos não-vendidos para a caridade até o final de 2017.

Em contraste, os Estados Unidos são um gigante adormecido. Queremos mudar essa situação, pedindo seu apoio para alcançar dois objetivos chave iniciais que podem ajudar a precipitar mudanças maiores no futuro.

O primeiro é incentivar o Walmart, maior supermercado do país, a seguir os exemplos de liderança da Europa, começando a vender frutas e legumes imperfeitos costumam ir para o lixo.

Quando você pensa no assunto, é loucura imaginar que alimentos perfeitamente bons e nutritivos sejam rejeitados por cadeias de supermercados simplesmente porque não têm o tamanho ou o formato ideal. Para o cliente, existe a vantagem adicional de que esses produtos costumam custar um terço menos.

Estamos fazendo uma parceria com a plataforma de petições Change.org e a organização EndFoodWaste.org para angariar assinaturas suficientes a fim convencer o Walmart a voltar a amar frutas e vegetais “feios”, oferecendo-os em suas lojas de todo o país.

ugly food

A razão pela qual estamos nos concentrando no Walmart é que ele já é um líder no movimento de sustentabilidade empresarial. Acreditamos que a empresa quer fazer a coisa certa. O que ele precisa é de um pouco de incentivo, além de perceber que seus clientes se preocupam com a questão.

O segundo motivo é que o Walmart tem um enorme poder de compra, o que significa uma capacidade de criar ou transformar mercados inteiros.

Temos provas suficientes de que as petições funcionam. Jordan Figueiredo, o fundador da UglyFruitandVeg.org, já conseguiu convencer a rede de supermercados Whole Foods a começar um programa piloto de venda de produtos “feio” depois de garantir mais de 110 mil assinaturas.

“Com mais de 4,2 mil lojas nos Estados Unidos, estamos pedindo que o Walmart, um dos maiores varejistas do país, faça algo simples, eficaz e bom para as contas da empresa e dos clientes”, diz a petição.

“Um em cada seis americanos vive em situação de insegurança alimentar, e mais de quatro em cada cinco não tem acesso adequado a alimentos frescos. Com estatísticas como esta, é simplesmente irresponsável incentivar o desperdício de comida boa, saudável e perfeitamente comestível.”

A segunda parte da nossa campanha, que terá início no próximo mês, é incentivar redes de supermercados a acabar com a confusão sobre as informações sobre prazos de validade nos Estados Unidos, o que gera desperdícios enormes.

Não é de surpreender que as pessoas fiquem confusas ao ler “vender até”, “usar até” e “melhor antes de”, muitas vezes impressos em letras pequenas. O motivo é que nenhum desses rótulos é um indicador eficaz para saber se a comida ainda está boa.

Vamos trabalhar com a Feedback.org, que tem o apoio da Fundação Rockefeller, para incentivar os varejistas a formular um código voluntário e comum para as informações sobre os prazos de validade, o que por sua vez vai apoiar os parlamentares que tentam estabelecer um padrão nacional para esse tipo de informação.

Além de incentivar a ação, também estamos lançando um desafio de 30 dias para ajudá-lo a reduzir o seu lixo. Serão dicas de como fazer compras e cozinhar, que vão desde estocar restos a transformar seus cookies amanhecidos em uma torta épica.

Nossa campanha desperdício de alimentos é a mais recente expressão da nossa iniciativa global TEM JEITO!, que visa empoderar nosso público para conseguir mudanças positivas no mundo, destacando a arte do possível.

É o antídoto para o foco negativo de grande parte das notícias, o que pode levar os cidadãos a se sentirem oprimidos e alienados -- exatamente o oposto do que precisamos.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Comida de laboratório: A ciência pode nos ajudar a alimentar o mundo

- Comida Invisível: Projeto busca diminuir o desperdício de alimentos em SP

- Com discurso sobre desperdício de alimentos, Lee desponta como favorito no MasterChef Brasil

Também no HuffPost Brasil:

Close
Selfies com lixo, um protesto na Tunísia
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção