Huffpost Brazil

'Nós estávamos em uma poça de sangue', diz testemunha de atentado em Istambul

Publicado: Atualizado:
TURKEY
Osman Orsal / Reuters
Imprimir

O governo da Turquia atualizou para 41 o número de mortos no atentado contra o aeroporto de Ataturk, em Istambul. O número de feridos subiu para 239 pessoas, tornando o ataque de ontem o pior deste ano na Turquia.

No início da noite de terça-feira (28), três homens-bomba perpetraram um ataque suicida no terminal do aeroporto internacional, o terceiro mais movimentado da Europa e o 11º do mundo. Segundo o Guardian, 13 vítimas são estrangeiras, e o restante turcas.

Membro da OTAN, a Turquia faz fronteira com a Síria e, dessa forma, seu aeroporto é uma porta de entrada para muitos estrangeiros que desejam se juntar a grupos extremistas no Oriente Médio, inclusive o Estado Islâmico. O aeroporto de Ataturk também se destaca por conta de seu sistema de segurança sofisticado - mais complexo no setor de embarque do que no de desembarque, onde as explosões ocorreram. De acordo com o The WorldPost, os dispositivos foram acionados antes do primeiro controle de segurança.

"A polícia atirou nos suspeitos na entrada do terminal internacional, antes do controle de segurança, em um esforço para neutralizá-los", contou um oficial turco ao The WorldPost.

De acordo com a CNN, os passageiros são submetidos a dois procedimentos de segurança: um antes da entrada do aeroporto, e outro que antecede o controle de passaportes. Especialistas em segurança internacional também indicam que há um ponto de inspeção de veículos do lado de fora.

"Foi como o inferno... Havia pânico por todo lugar. Eu não vi nenhum corpo enquanto deixava a área, mas havia muito sangue por todo o lugar", disse Mine Iyidinc, testemunha do ataque, à CNN.

"Eu estava levando minha mãe para pegar um avião quando o ataque aconteceu", contou outra testemunha ao veículo turco Habeturk. Ela descreveu as explosões como "muito violentas": "Estávamos em uma poça de sangue".

Autoria

Ainda não houve reivindicação da autoria do ataque, mas o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, afirmou que investigações iniciais apontam o envolvimento do Estado Islâmico no atentado.

“As suspeitas iniciais apontam que o grupo terrorista Estado Islâmico está por detrás dos ataques, mas as investigações ainda estão em andamento”, disse Yildirim em uma coletiva de imprensa reproduzida pelo jornal Daily Sabah.

O ataque foi um dos piores em uma série de atentados suicidas nos últimos meses na Turquia, que participa de uma coalizão liderada pelos EUA contra o Estado Islâmico e sofre para tentar conter o transbordamento da guerra na vizinha Síria.

O presidente Tayyip Erdogan disse que o ataque deve servir como um ponto de virada na luta global contra o terrorismo, que, segundo ele, "não respeita fé ou valores".

A agência de notícias Dogan disse que as autópsias nos três suicidas, cujos torsos foram dilacerados, foram concluídas e que eles podem ser estrangeiros, sem citar suas fontes.

Também no HuffPost Brasil

Close
Atentado na Turquia
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção