Huffpost Brazil
Caio Delcolli Headshot

11 livros escritos por mulheres que vão brilhar na Flip deste ano

Publicado: Atualizado:
Imprimir

A Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) deste ano tem como marco ser a edição com a maior quantidade de mulheres convidadas até hoje.

Dos 39 autores a participarem do evento, 17 são escritoras – ou 44% do total. Em relação à festa de 2015, estamos diante de um aumento de representatividade: foram 32 homens e 11 mulheres.

Na edição de 2014, nove mulheres marcaram presença. Um número muito pequeno diante dos 38 homens. Em 2003, na estreia da Flip, apenas três autoras foram convidadas: Ana Maria Machado, Adriana Falcão e Patrícia Melo. Os homens, em contrapartida, eram 22.

O aumento – ainda longe do ideal – se deve à pressão que a Flip tem encontrado para expandir a representatividade de minorias neste que é um dos principais eventos literários do país.

Neste ano, a autora homenageada é a carioca Ana Cristina Cesar (1952-1983), a segunda em 14 anos de Flip. A primeira mulher a ser laureada na festa foi Clarice Lispector, em 2005.

Além de Ana C. estar no centro do debate, outras poetas brasileiras de porte estarão no rolê, como Marília Garcia, Laura Liuzzi e Annita Costa Malufe.

Entre as convidadas internacionais, estão Svetlana Aleksiévitch, Helen Macdonald e Kate Tempest lançando seus livros.

A Flip começa nesta quarta-feira (29) e vai até dia 3 de julho. Confira abaixo alguns exemplos de lançamentos das autoras que estarão por lá:

  • 1
    'Crítica e Tradução', de Ana Cristina Cesar
    Divulgação
    Reunindo ensaios sobre vários temas – como mulheres na poesia, tradução e documentários brasileiros –, textos críticos e traduções – como a do conto Bliss (1918), de Katherine Mansfield –, Crítica e Tradução revela facetas da autora que vão além da poesia que a consagrou.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 544
    Preço: R$ 64,90
  • 2
    'F de Falcão', de Helen Macdonald
    Divulgação
    Um dos livros mais elogiados pela crítica em 2014 e 2015, F de Falcão traz o relato sincero e tocante da autora, que entrou em depressão após a morte do pai. A inglesa Helen Macdonald superou o luto de uma forma inusitada: treinando um falcão. Isolada das pessoas ao seu redor, Macdonald compra o animal e decide – e explica como – domesticá-lo e caçar com ele. Macdonald encontrou na companhia de um dos animais mais ferozes do mundo e de leituras sobre o escritor T. H. White a possibilidade de se recompor e encontrar um rumo para sua vida. Vencedor do Costa Book Award.

    Editora: Intrínseca
    Páginas: 288
    Preço: R$ 44,90; e-book R$ 29,90
  • 3
    'Os Tijolos nas Paredes das Casas', de Kate Tempest
    Divulgação
    Rapper, escritora e artista de palavra falada, a inglesa Kate Tempest é a autora de Os Tijolos nas Paredes das Casas. Nele, duas jovens, Becky e Harry, estão entediadas na região sudeste de Londres, onde trabalham em empregos insignificantes e têm namorados ciumentos. Becky serve mesas e faz massagens eróticas à noite, enquanto Harry trafica cocaína – mas apenas até elas decidirem fugir da cidade. O Guardian elogiou o livro; classificou as metáforas como "explosivas" e destacou o "lirismo" da história.

    Editora: Casa da Palavra/LeYa
    Páginas: 336 páginas
    Preço: R$ 44,90
  • 4
    'A Teus Pés', de Ana Cristina Cesar
    Divulgação
    O primeiro e único livro que Ana Cristina Cesar lançou em vida por uma editora, em 1982, condensa material inédito até aquele momento e publicações feitas antes de maneira independente: Luvas de Pelica (1980), Cenas de Abril (1979) e Correspondência Completa (1979). Elogiada por romper barreiras entre poema, prosa e ensaio, e o eu lírico e biográfico, Ana C. – como era chamada pelos amigos – deixou em A Teus Pés um registro de sua intimidade com as palavras e de sua escrita vertiginosa, desafiadora e direta. Um marco da poesia considerada "marginal" feita naquela época.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 144
    Preço: R$ 19,90
  • 5
    'A História dos Meus Dentes', de Valeria Luiselli
    Divulgação
    O discreto Gustavo Sánchez Sánchez, ou simplesmente "Estrada", quer trocar todos os dentes. Ele viaja pelo mundo aperfeiçoando habilidades que podem ajudá-lo nisso, como sua imitação da cantora Janis Joplin. O romance mostra a importância da arte em nossas vidas e da construção de nossas identidades. Entrou na lista do BuzzFeed de melhores livros de ficção de 2015.

    Editora: Alfaguara
    Páginas: 126
    Preço: R$ 34,90
  • 6
    'A Guerra Não Tem Rosto de Mulher', de Svetlana Aleksiévitch
    Divulgçaão
    A jornalista bielorrussa vencedora do Nobel de Literatura de 2015 traz neste livro de não ficção relatos sobre a Segunda Guerra Mundial de um ponto de vista pouco lembrado: o das mulheres. Algumas soviéticas encararam de fato o confronto contra os nazistas – e trouxeram consigo lembranças de fome, tristeza, violência sexual e angústia, entre outras. A Guerra Não Tem Rosto de Mulher dá voz a voluntárias, enfermeiras e franco-atiradoras, por exemplo.

    Editora: Companhia das Letras
    Páginas: 392
    Preço: R$ 49,90
  • 7
    'Um Caderno para Coisas Práticas', de Annita Costa Malufe
    Divulgação
    Em seu novo livro, Annita Costa Malufe tece com suas poesias histórias sobre o cotidiano que se interligam. Além disso, a autora dá sinais de que, como o Estadão a classificou, ela é uma "herdeira" de seu principal objeto de estudo: a homenageada da Flip Ana Cristina Cesar. Malufe também é professora universitária de literatura.

    Editora: 7Letras
    Páginas: 104
    Preço: R$ 34,90
  • 8
    'Paris Não Tem Centro', de Marília Garcia
    Divulgação
    O novo lançamento de Marília Garcia, um dos principais nomes da poesia brasileira atual, é um longo poema que desafia as barreiras entre os gêneros de prosa e ensaio literário. Com edição artesanal limitada de 120 exemplares, a editora aposta que Paris Não Tem Centro se tornará item de colecionador.

    Editora: 7Letras
    Páginas: 24
    Preço: R$ 15
  • 9
    'Coisas', de Laura Liuzzi
    Divulgação
    Assim como Annita Costa Malufe e Marília Garcia, Laura Liuzzi também foi chamada pelo Estadão de "herdeira de Ana Cristina Cesar". Em Coisas, a autora oferece poesias que se iniciam em objetos prosaicos do cotidiano. Este livro também tem edição artesanal e de tiragem limitada de 120 cópias – a 7Letras aposta que será item de colecionador.

    Editora: 7Letras
    Páginas: 32
    Preço: R$ 22
  • 10
    'Correspondência Incompleta', de Ana Cristina Cesar
    Divulgação
    As correspondências que a poetisa carioca trocou com amigos entre 1976 e 1980. Em uma das mensagens, Ana C. escreveu: "cartas e biografias são mais arrepiantes que a literatura". O livro também traz dois áudios da escritora – eles podem ser ouvidos pelo aplicativo Kindle em tablets e smartphones e pelo Kindle Fire. Com organização de Heloisa Buarque de Hollanda e Armando Freitas Filho.

    Editora: e-Galáxia
    Páginas: 314
    Preço: R$ 12 (e-book)
  • 11
    'uísque e vergonha', de Juliana Frank
    Divulgação
    A adolescente Charlotiê é demitida do emprego, perde seu namorado para a morte e é expulsa de casa. Desiludida, cheirando cola de sapateiro e bebendo bastante uísque, ela inicia uma jornada pelo lado cinzento de São Paulo, passando por cemitérios, camas e botecos.

    Editora: Oito e Meio
    Páginas: 97
    Preço: R$ 38
  • 12
    BÔNUS: 'Ana C. – O Sangue de uma Poeta', de Italo Moriconi
    Divulgação
    Este livro não foi escrito por uma mulher, mas é a primeira biografia a respeito da homenageada da Flip. Moriconi lança a segunda edição no evento. No livro, o autor aborda o período em que Ana C. viveu na Inglaterra, sua intensa produção literária, a luta contra a ditadura militar e o enfrentamento da liderança dos homens no meio intelectual, por exemplo. E, é claro, honrando a laureada da Flip, com um texto que tem pé na crítica literária.

    Editora: e-Galaxia
    Páginas: 120
    Preço: R$ 12


LEIA MAIS:

- ASSISTA: Quem foi Ana Cristina Cesar, ícone da poesia homenageado na Flip

- 11 livros imperdíveis escritos por mulheres engraçadas

- 'Leitor, casei-me com ele': A razão NÃO feminista pela qual gostamos de Charlotte Brontë

Também no HuffPost Brasil:

Close
13 aplicativos indispensáveis para quem ama ler
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção