Huffpost Brazil

Na Suíça, Museu Olímpico ensina estrangeiros a falar 'gostosa' e 'bundão'

Publicado: Atualizado:
RIO DE JANEIRO
Jeremy Walker via Getty Images
Imprimir

"Gostosa". Essa é uma das palavras que uma exposição no Museu Olímpico de Lausanne apresenta aos turistas que tenham interesse em conhecer o Brasil e aprender e testar o "carioquês".

Criado num dos edifícios mais visitados da Suíça, uma exposição sobre a cultura brasileira apresenta aos estrangeiros o país sede dos Jogos Olímpicos deste ano, com sua música, sons, arte, culturas regionais e até mesmo o vocabulário usado no Rio de Janeiro.

Numa das instalações, o estrangeiro pode ter seu primeiro contato com as palavras usadas na cidade que receberá o evento em agosto. São cerca de dez termos apresentados em uma tela eletrônica, como Copacabana, Botafogo ou muvuca.

Mas o equipamento também apresenta a palavra "gostosa" acompanhada por uma explicação em francês:

"Deliciosa, serve para qualificar a beleza feminina ou masculina. No seu uso masculino, gostoso".

Outro termo apresentado ao público: "bundão", com a explicação em francês de alguém medroso. "Literalmente, bunda grande", esclarece.

O visitante pode usar um microfone para repetir a palavra e a máquina diz se o estrangeiro pronunciou o termo que acabou de aprender com um sotaque correto do carioca.

Procurado pela reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, a direção de Comunicação do Comitê Olímpico Internacional (COI) não respondeu ao ser questionado sobre o motivo da inclusão dos termos e sobre quem teria sido o autor da iniciativa.

A gerente de Relações Públicas do Museu, Claire Sanjuan, admitiu que não sabia o significado das palavras e nem sua conotação. Mas, visivelmente sem graça, tomou nota para "informar" os responsáveis. A exposição, que leva o nome "Destination Rio", foi aberta em fevereiro e vai durar até setembro.

Desde o ano passado, o Ministério do Turismo lançou uma campanha contra a exploração sexual de crianças e adolescentes.

A ação visa o fluxo de turistas que viajarão para a Olimpíada. Na semana passada, foi o Vaticano que lançou uma campanha para alertar aos turistas que irão para o Rio para que não paguem por serviços sexuais de meninas que podem estar envolvidas no tráfico.

LEIA MAIS:

- Sem papel, água e gasolina: Policiais do Rio cruzam os braços em protestos às condições precárias e ameaçam greve na Olimpíada

- Por doping generalizado, Rússia é excluída do atletismo nos Jogos Olímpicos do Rio

Também no HuffPost Brasil

Close
Renzo Agresta, a esgrima e a luta por uma medalha na Olimpíada
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção