Huffpost Brazil

Este é o passo a passo para quem sonha em conquistar uma das milhares vagas de emprego na Nova Zelândia

Publicado: Atualizado:
OTAGO NEW ZEALAND
Matteo Colombo via Getty Images
Imprimir

A notícia de que uma pequena cidade ao Sul da Nova Zelândia tem mais de 1.000 vagas sem nenhum candidato instigou o sonho de muitas pessoas (sobretudo os brasileiros) de conseguir um emprego em outro país.

Após a publicação, muitos leitores procuraram o HuffPost Brasil para saber mais sobre a oportunidade e, principalmente, como se candidatar. Entramos em contato com a prefeitura Clutha, região onde fica a cidade de Kaitangata, e aqui está o que você precisa saber para se candidatar a uma das milhares de vagas ofertadas:

O que foi noticiado

Na semana passada, sites internacionais como o The Guardian e a BBC noticiaram o desespero da pequena Kaitangata, com cerca de 800 habitantes, que tem mais de 1.000 vagas sem nenhum candidato para preenche-las.

"Quando eu estava desempregado com uma família para alimentar, Clutha me acolheu e me deu uma chance para recomeçar, e agora nós queremos oferecer esta mesma oportunidade para outras famílias", disse o prefeito de Clutha, Bryan Cadogen.

Alguns veículos informaram que a cidade estava pagando até 160 mil dólares neozelandeses para quem topasse se mudar para a cidade -- o que foi desmentido pela prefeitura.

"Agradecemos o interesse sobre morar e trabalhar aqui. Nós certamente não esperávamos que essa história se tornasse global", disse a prefeitura em nota.

As informações sobre as vagas foram confirmadas por Clutha, mas o distrito desmente que esteja oferecendo dinheiro para atrair pessoas à região. "Isso NÃO É VERDADE. Pessoas não estão sendo pagas para se mudarem para Kaitangata e vocês não devem contatar o prefeito para falar deste assunto."

Segundo a nota, o que a cidade oferece é um pacote de casa e terras à venda por a partir de 230 mil dólares neozelandeses (ou cerca de R$ 540.017).

Sobre as vagas

Apesar de não esperar toda a repercussão internacional, o distrito diz ser "excitante" e "muito positivo" ver tanta procura pelas vagas da cidade de Kaitangata.

Segundo a prefeitura, a maioria dos empregos está na área de agricultura, no entanto, existem muitas oportunidades para especialidades na indústria, na medicina, engenharia, educação e na área de serviços.

Muitas dessas vagas estão listadas nos sites de carreiras Seek e Tramede, nos quais você pode conferir quais estão disponíveis, suas determinadas funções, pré-requisitos e se imigrantes podem se candidatar a elas por meio de um visto de trabalho concedido pela ilha.

Os sites não mostram o salário das vagas, mas o prefeito Cadogan afirma que o distrito oferece empregos com salários iniciais de cerca de 50 mil dólares neozelandeses ao ano, ou cerca de R$ 115.415 anuais (ou quase R$ 10 mil mensais), de acordo com a BBC.

Como me candidatar a elas?

São milhares de vagas disponíveis não só em Clutha, mas em toda a Nova Zelândia. A escassez de profissionais em certas carreiras é de longa data e todos os anos o país atualiza a lista das profissões mais demandadas, para tentar atrair trabalhadores de outros países, inclusive do Brasil.

O país concede aos imigrantes três vistos: de estudante, de investidor e de trabalho. Para se candidatar às vagas, você precisa ter um visto de trabalho ou um visto de estudante com permissão para trabalhar.

Você pode tentar conseguir o visto antes de conquistar um dos empregos ou, mediante uma proposta, pedi-lo ao Departamento de Imigração da Nova Zelândia, que avaliará se você atende a todos os requisitos exigidos.

O site do Departamento de Imigração da Nova Zelândia tem uma sessão que explica os diferentes vistos de trabalho e estudo e disponibiliza uma ferramenta para compará-los de acordo com o seu perfil, antes de iniciar o procedimento. Após compará-los, você escolhe o tipo de visto que melhor se encaixa em seus objetivos profissionais. Para saber mais sobre os diferentes vistos de trabalho, clique aqui.

Além disso, se você já tem uma profissão, pode verificar se sua carreira é uma das requisitadas pelo governo neozelandês neste site. A ferramenta mostra se você é um profissional requisitado e em quais das listas sua carreira está incluída.

O governo disponibiliza quatro listas: ocupações demandadas de longo prazo, ocupações que precisam ser preenchidas imediatamente, ocupações escassas em Canterbury (região da Nova Zelândia) e ocupações requisitadas (que também recebem visto de residência permanente).

O inglês é um pré-requisito para trabalhar na Nova Zelândia. O governo permite que estudantes trabalhem durante o intercâmbio. A permissão vale para cursos vinculados às escolas chanceladas pela New Zealand Qualifications Authority.

Para saber mais sobre como conseguir permissão de trabalho sendo estudante, clique aqui.

Caso queira falar diretamente com Clutha, a prefeitura disponibiliza um canal de contato. Você também pode pesquisar no site Clutha Country Live & Work mais informações sobre como viver e trabalhar no distrito.

Com tanta demanda, a prefeitura lembra que a resposta pode demorar um pouco.

"Agora estamos sobrecarregados com tantos pedidos de todas as partes do mundo! Somos um pequeno distrito, então, por favor, seja paciente enquanto trabalhamos para responder os milhares de e-mails e outras solicitações. (...) Obrigado novamente por seu interesse em nossa pequena cidade e desejamos o melhor para seu futuro, onde quer que você esteja!"

LEIA MAIS:

- Cidade da Nova Zelândia oferece mais de 1.000 empregos com salário inicial de R$ 10 mil por mês e não tem nenhum candidato

- Nova Zelândia: Emprego 'perfeito' tem salário de R$ 88 mil, três meses de férias e nenhum candidato

Também no HuffPost Brasil

Close
Os 10 melhores países para viver
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção