Huffpost Brazil

Balbuciar e brincar podem ajudar a garantir a saúde mental dos bebês

Publicado: Atualizado:
BEB
JGI/JAMIE GRILL VIA GETTY IMAGES
Imprimir

Os bebês podem não ser capazes de nos dizer como estão se sentindo, mas isso não significa que a gama de emoções que eles sentem é menos variada que a dos adultos.

“Bebês têm a capacidade de sentir picos de alegria, excitação e euforia”, disse ao The Huffington Post UK Clair Rees, diretora-executiva da instituição de caridade Infant Parent Partnership (PIP).

“Eles também sentem medo, sofrimento, tristeza, desespero e raiva. Muitos adultos compreensivelmente têm dificuldade de acreditar, ou aceitar, que crianças muito jovens pequenas possam experimentar essa emoções.”

“Os bebês têm um mundo emocional que se desenvolve no contexto de suas primeiras relações, começando logo nos primeiros meses de vida, bem antes que eles possam usar palavras para se expressar.”

“A saúde mental começa na primeira infância, que abre uma janela de oportunidade para formar uma boa fundação da mente das crianças.”

É por isso que a PIP uniu forças com muitos pais e organizações de crianças, incluindo a Public Health England e o Royal College of Midwives, para lançar a primeira Semana Nacional de Conscientização sobre Saúde Mental dos Bebês, no início de junho.

bebê 1

O foco da semana da consciência foi “Desenvolvendo a Mente das Crianças”, e o objetivo era destacar a importância de lançar as bases de uma boa saúde mental nos primeiros 1001 dias de vida.

“Enquanto sociedade, é fundamental que criemos nossos cidadãos mais jovens em um ambiente atento às suas necessidades físicas e mentais”, disse Rees.

“A saúde mental dos bebês mostra que, quando isso não é posto em prática para bebês e crianças pequenas, há maior probabilidade de formação dos primeiros sinais de doença mental.”

Há um crescente corpo de pesquisa mostrando o impacto que as primeiras experiências podem ter sobre nossa saúde mental. De acordo com a PIP: “Desde o nascimento até aos 18 meses, foi calculado que novas conexões cerebrais se formam a uma taxa de 1 milhão por segundo”.

Tessa Baradon, psicoterapeuta infantil e gerente de projetos pais-bebês no Anna Freud Centre, disse ao HuffPost UK que os primeiros 1001 dias de vida de um bebê são cruciais para a saúde mental.

“O que acontece na primeira infância pode ser importante para toda a vida”, disse ela.

“Desde o período pré-natal (antes e logo após o nascimento) até os primeiros anos de vida, o cérebro tem o desenvolvimento mais rápido, e o ambiente em que o bebê se desenvolve proporciona experiências poderosas, que formam a base da arquitetura cerebral, para melhor ou para pior.”

Relacionamentos, aprendizado, comportamento e saúde são todos construídos sobre essa fundação.”

“Experiências positivas previsíveis e repetidas nas relações do bebê com os pais estimulam o desenvolvimento de caminhos no cérebro que sustentam a capacidade do bebê de prosperar e se adaptar.”

“A exposição a ambientes altamente estressantes pode prejudicar o desenvolvimento do potencial do indivíduo para aprender, brincar, trabalhar, lidar com tensões comuns do dia-a-dia, e pode afetar sua saúde física e mental ao longo da vida.”

bebê

Então, o que os pais podem fazer para ajudar a "construir as mentes" dos bebês?

“Pesquisa recente mostra que o comportamento dos pais perto do bebê nos primeiros 1001 dias de vida dele tem impacto direto sobre o desenvolvimento do cérebro”, disse Rees.

“Essa é a base de como a sua mente irá trabalhar conforme a criança vai crescendo. Portanto, se o cérebro do bebê se desenvolve de maneira saudável, é mais provável que ele seja feliz e bem sucedido como as crianças mais velhas e os adultos.”

“Quando o bebê tem a oportunidade de formar uma ligação segura com os pais ou cuidadores, isso pode sustentar seu potencial e sua capacidade de formar relacionamentos saudáveis ao longo da vida.”

“Ser sensível e atento à comunicação do bebê é um dos maiores presentes que os pais podem dar aos filhos para que eles desenvolvam a confiança, o senso de ser amado e aceito no mundo.”

bebê

Baradon acrescentou: “Seu bebê está constantemente se comunicando com você por meio do comportamento. Por exemplo, quando se vira para você ou te dá as costas, olho nos seus olhos, sorri ou reclama ou chora, ele está te dizendo – na sua “linguagem” -- o que está sentindo e de que precisa de você naquele momento.

“Tente entender o que ele está dizendo e responda o mais rápido possível.”

“Você não tem de entender tudo imediatamente para que seu bebê se sinta seguro de que você está emocionalmente com ele e vai ajudá-lo quando ele precisar de você.”

“Um dos princípios mais importantes no desenvolvimento saudável é essa troca. Bebezinhos tentam se comunicar balbuciando e fazendo gestos e expressões faciais. Os adultos geralmente respondem espontaneamente com o mesmo tipo de vocalização e expressividade.”

“Proporcionar essas experiências vai reforçar seu vínculo com ele/ela e formará as bases do aprendizado e da felicidade.”

Baradon também explicou que é importante que os pais também cuidem de seu próprio bem-estar mental.

“Bebês precisam de ambientes seguros e estáveis, para que os pais possam se concentrar nos filhos”, explicou ela.

“Crises emocionais -- conflito conjugal ou depressão, por exemplo -, podem absorver atenção e energia emocional dos pais e tirar sua capacidade de responder ao seu bebê.

“Se você enfrentar tensões – cuide delas e procure ajuda, porque seu bebê vai perceber e pode ser afetado.”

O sono é uma grande preocupação para a maioria dos pais de recém-nascidos, pois pode ter impacto na saúde mental dos pais e da criança.

Vicki Dawson, fundadora e CEO da The Children’s Sleep Charity, disse ao HuffPost UK:

“É provável que a questão do sono preocupe muitos pais nos primeiros 1 001 dias, pois é uma necessidade básica. A privação do sono pode ter impacto negativo na saúde mental dos pais.”

“É importante que os pais descansem quando os bebês estão descansando e que se permitam um tempo para entrar na nova rotina.”

“Entretanto, também é importante que os pais saibam que os bebês vão acordar durante a noite, por vários motivos. Os relógios internos dos bebês demoram vários meses para se desenvolver. A ideia de dormir a noite toda não é realista para a maioria das crianças.”

bebê

A instituição de caridade Barnardo’s criou um “Treino do Cérebro do Bebê”, composto de 15 atividades que estimulam um desenvolvimento mental e emocional saudável.

As atividades são baseadas nos princípios “Cinco para Prosperar” - falar, brincar, relaxar, abraçar e responder -, que ajudam as crianças a desenvolver cérebros saudáveis.

“As mentes dos bebês são formadas por suas experiências. Brincar com eles não é só muito divertido, também é muito bom para o desenvolvimento cerebral e para o bem estar”, explica Javed Khan, presidente-executivo da Barnado’s.

“Felicidade ajuda a criar bebês felizes.”

Experimente as atividades abaixo com seu filho.

As atividades do “Treino do Cérebro do Bebê”:

FALAR: Hora da historinha

Leia um livro para o seu bebê ou criança pequena e dê ao seu filho a oportunidade de participar. Se o seu filho é mais velho, peça que ele vire as páginas, tente adivinhar o que vai acontecer ou repita a história com brinquedos.

BRINCAR: Diversão na água

Encha um balde ou bacia com água quente. Ajude a criança a brincar. Jogue um pouco de água nos braços e pernas dele. Responda às expressões faciais do bebê, copiando-as.

RELAXAR: Hora da ioga

Você não precisa ser especialista em ioga para fazer alguns alongamentos relaxantes. Estique os braços para cima e para baixo e peça que seu filho copie seus movimentos. Os bebês também podem participar. Ajude-os a levantar os braços para fazer um bom alongamento.

ABRAÇAR: Cócegas

Faça cócegas nos pés, nas palmas das mãos ou em qualquer outra áreas que eles gostem. Peça para que eles façam cócegas em você também. Você também pode experimentar outras brincadeiras de contato físico.

RESPONDER: Copie-os

Responda ao seu filho copiando suas expressões faciais e dê um tempo para que eles respondam. É uma brincadeira ótima e pode ser muito divertida para você também.

Mais atividades podem ser encontradas no site da Barnardo’s.

As organizações responsáveis pela Semana Nacional de Conscientização sobre Saúde Mental dos Bebês se uniram a fim de pedir mais investimento para cuidar da saúde mental dos bebês nos primeiros 1001 dias de vida.

As principais recomendações do “Manifesto dos Críticos 1001 Dias” foram divulgadas numa conferência nacional em Westminster.

“O manifesto pede mais apoio para famílias vulneráveis, nas quais violência doméstica ou abuso de substâncias podem estar presentes durante o desenvolvimento da primeira infância”, explicou Rees.

“Queremos garantir que cada bebê tenha o melhor começo de vida possível e a oportunidade de desenvolver uma boa saúde mental na infância, juntamente com o apoio necessário para o bem-estar dos pais.”

Este artigo foi originalmente publicado pelo The Huffington Post UK e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- 8 conselhos para ajudar pais cujos bebês não os deixam dormir

- Uma boa relação entre pais e filhos não tem a ver com perfeição

- Ansiedade na infância: Como os pais podem passar confiança para crianças ansiosas