Huffpost Brazil

Temer vai investigar porto de Cuba financiado pelos governos do PT

Publicado: Atualizado:
MARIEL
Alexandre Meneghini / Reuters
Imprimir

O governo de Michel Temer vai abrir uma auditoria sobre uma das principais obras dos governos de Lula e Dilma Rousseff: o Porto de Mariel, em Cuba, que foi construído pela Odebrecht. A notícia foi publicada pela colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo.

Uma equipe do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle já está preparando a auditoria nos contratos do porto. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) também será alvo da investigação porque foi a instituição que financiou aquele complexo portuário.

Integrantes do governo acreditam que não houve o devido retorno em prestação de serviços para empresas brasileiras já que, em Cuba, quase tudo está nas mãos do Estado, ou tem o governo como sócio majoritário. Em 2014, Marcelo Odebrecht, então presidente da empreiteira, fez defesa enfática da obra. Segundo ele, o BNDES financiou exportações de serviços de cerca de 400 empresas brasileiras lideradas pela Odebrecht. Na época, Odebrecht disse que "se o porto será de grande importância para o socialismo cubano, foi o capitalismo brasileiro que mais ganhou até agora".

O financiamento para construir o porto de Mariel já é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF). Procuradores de Brasília investigam se ocorreu tráfico de influência por parte de Luiz Inácio Lula da Silva — o uso de prestígio do ex-presidente para obter facilidades na obtenção de empréstimos do BNDES para a Odebrecht.

Além desse porto, são investigados o Metrô de Caracas, na capital venezuelana e empreendimentos no Panamá e Angola. Os do MPF são feitos pelos procuradores Francisco Guilherme Bastos, Ivan Cláudio Marx e Luciana Loureiro.

LEIA TAMBÉM

- Dilma desiste de se defender na Comissão do Impeachment e manda Cardozo

- Em um dia vaquinha para viagens de Dilma ultrapassa 70% da meta

- Posto do 'Não fale em crise, trabalhe' faliu. Temer diz que com ele seria diferente...

Também no HuffPost Brasil

Close
Os ministros de Temer
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção