Huffpost Brazil

#JeSuisÉpuisé: atentado em Nice gera manifestações de ‘exaustão' com o terror

Publicado: Atualizado:
NICE
Women react near the scene where a truck mowed through revelers in Nice, southern France, Friday, July 15, 2016. A Tunisian living in France drove a large truck through crowds celebrating Bastille Day along Nice's beachfront, killing more than 80 people, many of them children, according to police and hospital officials. (AP Photo/Francois Mori) | ASSOCIATED PRESS
Imprimir

#JeSuisCharlie
#JeSuisParis
#JeSuisBruxelles
#JeSuisOrlando
#JeSuisIstanbul
#JeSuisBaghdad
#JeSuisBangladesh
#JeSuisNice

Juntas, essas hashtags representam pelo menos 623 mortos e 1.248 feridos, espalhados em seus países nos últimos 19 meses.

Depois de cada atentado, uma delas surgiu nas redes sociais como demonstração de solidariedade com as vítimas.

O ataque mais recente, em Nice, na França, gerou uma resposta nova e um tanto esvaziada.

“Estamos cansados. Queremos paz”, diz o tweet.

Outros foram mais diretos.

Je Suis cansado dessa merda

A hashtag #JeSuisÉpuisé, “estou exausto”, surgiu nas redes sociais na manhã da sexta-feira quando começou a ficar claro o horror do ataque com um caminhão contra a multidão que comemorava o dia nacional da França.

E era tudo muito familiar.

Tão incrivelmente farto disso. Não deveríamos estar dizendo ‘de novo?’ depois de um ataque terrorista. #JeSuisNice #jesuisepuise

#JeSuisEpuise a hora de orações para resolver nossos problemas acabou. Temos de ser ativos na promoção da paz em nosso mundo ferido.

Vivemos numa era de normalidade, em que o primeiro pensamento que vem à mente depois de um ataque terrorista é “de novo?” #jesuisepuise #NiceAttack

Foi assim que chegamos até aqui...

#JeSuisCharlie

je suis charlie

Em 7 de janeiro de 2015, dois irmãos armados de rifles de assalto invadiram a redação do jornal satírico Charlie Hebdo.

Saïd e Chérif Kouachi mataram 11 pessoas e deixaram outras 11 feridas. Na fuga, também mataram um policial.

Gerard Biard, editor-chefe do Charlie Hebdo, disse: “Não entendo como as pessoas possam atacar um jornal com armas pesadas. Jornais não são armas de guerra”.

Os assassinos afirmaram estar agindo em retaliação aos cartuns do profeta Maomé publicados pelo jornal. Imagens do profeta são proibidas no islamismo.

Ao sair do prédio, eles foram filmados gritando: “Vingamos o profeta Maomé, vingamos o profeta Maomé, matamos o Charlie Hebdo”.

Depois, os dois foram mortos pela polícia.


Talvez o melhor cartum #JeSuisCharlie até agora...


A foto de Banksy resume melhor #JeSuisCharlie

#JeSuisParis

je suis paris

O ataque mais sangrento em solo europeu deixou 130 mortos em Paris em 13 de novembro de 2015. As ruas da França não viam uma carnificina tão grande desde a Segunda Guerra Mundial.

Nove terroristas, divididos em três grupos, atacaram um restaurante, o Stade de France e a casa de shows Bataclan, onde 87 pessoas morreram assistindo a um show de rock.

O Estado Islâmico reivindicou responsabilidade pelo ataque, afirmando ter sido retaliação pelos ataques aéreos franceses contra alvos terroristas na Síria.

Na época, o premiê britânico, David Cameron, afirmou: “Este não é um ataque só contra Paris, não é um ataque só contra o povo francês, é um ataque contra toda a humanidade e os valores universais que compartilhamos”.

#JeSuisBruxelles

brussels terror

O Estado Islâmico mais uma vez reivindicou a autoria dos três atentados a bomba realizados no aeroporto e numa estação de metrô de Bruxelas, em 22 de março deste ano.

Os ataques deixaram 32 mortos e 340 feridos. Cinco terroristas participaram dos dois atentados.

O primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, disse: “Aconteceu o que temíamos. Nesse momento de tragédia, esse momento negro para nosso país, apelo a todos para quem mantenham a calma mas também demonstrem solidariedade”.

Foi o ato de terrorismo mais mortal da história do país.

Bruxelas, você NÃO está sozinha... nossos corações se derramam por você #JeSuisBruxelles

A Torre Eiffel foi iluminada com as cores da bandeira belga depois dos #BrusselAttacks #JeSuisBruxelles

#JeSuisOrlando

orlando shooting

Nas primeiras horas do domingo 12 de junho deste ano, Omar Mateen, 29, abriu fogo no clube Pulse, em Orlando, Estados Unidos.

O ataque deixou 49 mortos e 53 feridos, até Mateen ser morto pela polícia.

Mateen havia jurado lealdade ao Estado Islâmico em uma ligação para as autoridades antes do ataque.

O presidente americano, Barack Obama, afirmou: “Enquanto país, nos inspiramos pela coragem daqueles que arriscaram suas vidas e cuidaram dos outros. Parceiros que passaram seus últimos momentos protegendo uns aos outros. A mãe que deu a vida para salvar o filho. O ex-fuzileiro cujo pensamento rápido salvou dezenas de vidas”.

É o atentado a tiros com o maior número de vítimas da história dos Estados Unidos.


Estamos unidos. #Je Suis Orlando #LoveWins #LoveIsLove

#JeSuisIstanbul

istanbul airport

O Aeroporto Ataturk, em Istambul, foi atacado por três homens bomba armados com rifles automáticos em 28 de junho deste ano, matando 45 pessoas e deixando pelo menos 230 feridos.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que o ataque, que aconteceu durante o Ramadã, mês sagrado do islamismo, “mostra que o terrorismo ataca sem consideração pela fé ou pelos valores”.

#JeSuisBaghdad

iraq attack

O ataque mais mortal de todos aconteceu quando um terrorista suicida dirigiu um caminhão cheio de explosivos contra um shopping center lotado.

Pelo menos 292 pessoas morreram, e centenas ficaram feridas no ataque, orquestrado pelo Estado Islâmico.

Uma pessoa que participava de um memorial pelas vítimas disse: “Digo para o Daesh (Estado Islâmico), toda vez que vocês atacam um lugar, nos unem mais”.

Nunca nos acostumaremos com o mal e a crueldade #JeSuisBaghdad #Baghdad

#JeSuisBangladesh

bangladesh attack

Militantes islâmicos mataram 20 pessoas, incluindo pelo menos nove italianos e sete japoneses, em um restaurante de luxo em Daca, a capital de Bangladesh.

Cinco terroristas mantiveram reféns entre 1º e 2 de julho, até a intervenção de forças especiais.

O tiroteio deixou 22 reféns e dois policiais mortos.

Sheikh Hasina, a primeira-ministra do país, afirmou: “Foi um ato abominável. Que tipo de muçulmanos são essas pessoas? Elas não têm religião nenhuma”.

“Que tipo de muçulmano, no mês do Ramadã, na hora das preces do Esha, sai matando pessoas inocentes? Isso mostra claramente que não são muçulmanos. Na verdade, eles não têm religião nenhuma. O terrorismo é a religião deles.”

Não posso acreditar nessa notícia. 20 pessoas foram mortas pelo ISIS em Bangladesh. Estamos com suas famílias. #JeSuisBangladesh

#JeSuisNice

nice

Pelo menos 84 pessoas morreram quando um caminhão atacou a multidão que acompanhava a queima de fogos em comemoração do dia nacional da França na cidade de Nice, na Riviera Francesa.

Os detalhes ainda estão sendo apurados, mas testemunhas descrevem “corpos por toda parte”.

O presidente François Hollande disse: “A França está cheia de tristeza com essa nova tragédia. O caráter terrorista (do ataque) é inegável. Toda a França está sob ameaça dos terroristas islâmicos”.

Reze por Nice #JeSuisNice #JeSuisÉpuisé

Terrível o que aconteceu em Nice. Meus pensamentos vão para as vítimas, suas famílias e amigos afetados. #JeSuisNice

Então, de novo, para concluir:

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost France e traduzido do francês.

LEIA TAMBÉM

- Crianças e muçulmanos estão entre as vítimas do ataque em Nice

- #PrayforNice: Charges e ilustrações lamentam mais um atentado na França

- Ataque em Nice: Caminhão atropela dezenas de pessoas durante festejo no sul da França

Também no HuffPost Brasil

Close
Atentado em Nice
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção