Huffpost Brazil

'Descanse em Paz'. Família se despede de brasileira morta em ataque na França

Publicado: Atualizado:
VITIMA NICE
Reprodução/Facebook
Imprimir

O Ministério das Relações Exteriores confirmou, na noite deste domingo (17), uma brasileira entre as vítimas fatais do ataque terrorista de Nice.

Elizabeth Cristina de Assis Ribeiro estava desaparecida desde a quinta-feira (14), quando Mohamed Lahouaiej Bouhlel avançou com um caminhão em direção a uma multidão que comemorava o feriado nacional e matou pelo menos 84 pessoas na orla da cidade litorânea.

Kayla Assis Ribeiro, filha mais velha de Elizabeth, também morreu no ataque. A menina, de seis anos, vivia na Suíça com a mãe, o padrasto e mais duas irmãs. O casal e as filhas passavam o feriado na cidade francesa quando Elizabeth e Kayla foram atingidas pelo caminhão. O pai conseguiu salvar o bebê e a filha do meio.

De acordo com a Folha de S.Paulo, a família chegou em Nice pouco menos de uma semana antes da tragédia. Eles iriam passar um mês no balneário, aproveitando as férias de verão no continente europeu.

A família estava há três dias sem notícias de Elizabeth estava há três dias sem notícias de mulher, nascida no Rio de Janeiro. A mãe da jovem Inês Gyger, viajou para a França em busca de informações. "Grande obrigado a todas autoridades, suíça, brasileira, francesa, os jornais, rádio,televisão, redes sociais e o Centro de Ajuda Universal", escreveu Gyger.

Investigações

Em meio ao luto e às homenagens, autoridades francesas seguem investigando as motivações para o ataque. Ao todo, sete pessoas já foram detidas por conexões com o atentado.

Segundo a Agência Ansa, antes do ataque, Bouhlel enviou ao irmão dele uma foto em que aparece no meio da multidão que celebrava data nacional do país.

Jabeur, citado pela emissora francesa M6, contou que Bouhlel parecia estar "muito contente. Ele disse que estava em Nice com seus amigos europeus para comemorar a festa nacional. Parecia muito feliz e contente, e ria", disse o irmão do criminoso.

Outro fato que pode ajudar a entender o caso foi divulgado pela rádio Europe 1. De acordo com a emissora, que cita fontes próximas à investigação, o assassinor fez uma espécie de reconhecimento na Promenade des Anglais, local do ataque, nos dias 12 e 13 de julho.

O motorista foi gravado por câmeras de segurança ao volante do caminhão usado no massacre, enquanto observava o local muito atentamente. Já a BFMTV revelou que, pouco antes do ataque, Bouhlel mandou um SMS com a frase "envie mais armas". O receptor da mensagem, que não teve a identidade revelada pela polícia, está entre as pessoas já presas pela polícia por suspeita de ligação com o atentado.

Ao menos uma delas, a ex-mulher de Bouhlel, já foi recolocada em liberdade - o casal havia se divorciado recentemente.

LEIA TAMBÉM

- Crianças e muçulmanos estão entre as vítimas do ataque em Nice

- #PrayforNice: Charges e ilustrações lamentam mais um atentado na França

- Ataque em Nice: Caminhão atropela dezenas de pessoas durante festejo no sul da França

Também no HuffPost Brasil

Close
Atentado em Nice
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção