Huffpost Brazil
Willa Frej Headshot

Crianças sírias usam Pokemon Go para lançar apelo ao mundo, pedindo que as salve

Publicado: Atualizado:
SIRIA
Reprodução/Twitter
Imprimir

A mania do Pokemon Go também está presente na Síria, país dilacerado pela guerra, e algumas crianças sírias estão aproveitando a popularidade do aplicativo para lançar um apelo para serem resgatadas.

A coalizão Forças Revolucionárias da Síria, composta por alguns dos grupos oposicionistas do país, postou no Twitter uma série de fotos comoventes de crianças segurando desenhos de personagens Pokemon com dizeres escritos abaixo.

O app usa a realidade aumentada, com a qual os usuários podem captar o Pokemon em locais no mundo real.

“Há muito #Pokemon na #Síria. Venha me socorrer!”, escreveu o menino na foto ao alto, segurando um desenho de Pikachu.

Na foto abaixo, o menino escreveu: “Estou em Kafr Nabl na zona rural de Idlib venha me resgatar”.

“Sou de Kafr Nabudah…Me salve”, escreveu este garoto segurando um desenho de Squirtle.

O país está em guerra civil desde 2011. Muitas das cidades principais são alvos de ataques aéreos incessantes, deixando à população muito poucas chances de sobrevivência.

Segundo cifras da entidade Save the Children, nos últimos cinco anos quase 12 mil crianças foram mortas e mais de 2,3 menores foram obrigados a deixar o país.

O país está em guerra civil desde 2011. Muitas das cidades principais são alvos de ataques aéreos incessantes, deixando à população muito poucas chances de sobrevivência.

Segundo cifras da entidade Save the Children, nos últimos cinco anos quase 12 mil crianças foram mortas e mais de 2,3 menores foram obrigados a deixar o país.

Este artigo foi originalmente publicado pelo LINK">HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Mulheres sírias pedem ajuda: 'Estamos morrendo de fome'

- 60 famosos juntam-se à ONU em solidariedade aos refugiados

Também no HuffPost Brasil

Close
Refugiada fugiu da Síria nadando e foi à Rio 2016
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção