Huffpost Brazil

Poluição do ar pode estar ligada a problemas de saúde mental em crianças, revela pesquisa

Publicado: Atualizado:
Imprimir

crianças

Pode haver uma ligação entre poluição do ar e problemas de saúde mental em crianças, revelou estudo recente de pesquisadores da Universidade Umeå, na Suécia.

Publicado em junho no periódico BMJ Open, o estudo é o primeiro a trazer evidências convincentes de um vínculo entre ar poluído e problemas psiquiátricos em crianças e adolescentes.

Ele partiu de uma pesquisa anterior que havia vinculado poluentes atmosféricos a doenças mentais e sugere que mesmo aumentos pequenos na poluição atmosférica podem ter efeito dramático sobre a saúde mental de crianças.

Os pesquisadores analisaram a exposição à poluição do ar de mais de 500 mil crianças na Suécia, comparando seus níveis de exposição à poluição com seus históricos de uso de medicamentos receitados por médicos.

Constataram que crianças que vivem em áreas com concentrações mais elevadas de dióxido de nitrogênio, ou NO2 – um poluente aéreo perigoso – apresentam probabilidade maior de tomar medicamentos associados a doenças mentais de longo prazo.

O estudo não confirma se existe uma relação causal entre poluição do ar e problemas infantis de saúde mental, mas parece indicar uma correlação entre as duas coisas. As descobertas sugerem que reduzir a poluição do ar pode aliviar os problemas de saúde mental de crianças, dizem os pesquisadores.

“Os resultados podem significar que uma concentração menor de poluentes, vindos primeira e principalmente do tráfego de veículos, pode reduzir os transtornos psiquiátricos em crianças e adolescentes”, falou Anna Oudin, pesquisadora da Universidade Umeå e líder do estudo, falando ao jornal The Guardian esta semana.

poluição
Smog (misto de neblina e poluição) em Sandy, Utah, em fevereiro, durante um período de poluição do ar especialmente forte.

A poluição do ar é um problema grave de saúde em todo o planeta. Quase 4 milhões de pessoas têm morte precoce todos os anos devido à poluição externa do ar, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Nos Estados Unidos, a poluição do ar causa 200 mil mortes precoces a cada ano. Ela geralmente é associada a problemas de saúde como asma e doenças cardíacas, mas há evidências de que poluentes como o NO2 e materiais particulados finos possam contribuir para problemas de saúde mental como ansiedade e depressão.

Nos Estados Unidos, bairros cujos habitantes têm baixa renda e são minorias muitas vezes existem em áreas de alta concentração dos chamados superpoluentes – as piores fontes de poluição industrial do país.

As pessoas desses bairros são expostas a um nível desproporcional de poluentes ambientais, fato que aumenta seu risco de sofrer problemas de saúde física e mental ligados à poluição atmosférica.

Os pesquisadores observam que será preciso realizar mais estudos para entender a relação precisa entre poluição do ar e saúde mental.

Os autores do estudo observaram: “O impacto forte que os problemas de saúde mental infantis e juvenis exercem sobre a sociedade, além da associação plausível e evitável da exposição à poluição do ar. merecem atenção especial”.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Crianças vítimas de bullying precisam de apoio, não de antidepressivos, alerta ativista

- Antidepressivos tomados por crianças são ineficazes, sugere estudo

- Crianças e jovens com problemas mentais esperam 10 anos por tratamento no Reino Unido

Também no HuffPost Brasil:

Close
Acesso a tratamento para problemas mentais é negado para quase 25% dos jovens e crianças no Reino Unido
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção