Huffpost Brazil

Preta Gil sofre ataque racista na internet e desabafa: 'Estou cansada dessa onda de ódio'

Publicado: Atualizado:
PRETA
Reprodução/Facebook
Imprimir

Os racistas que se escondem atrás de perfis falsos nas redes sociais fizeram MAIS UMA VÍTIMA nesta semana: Preta Gil.

A cantora teve seu perfil no Facebook invadido por um grupo intitulado #MM, que disparou contra ela uma série de ofensas racistas.

Preta usou o Snapchat na madrugada de segunda para terça-feira (26) para relatar o ocorrido. No vídeo, a cantora declarou:

"Meu Facebook foi atacado por um grupo intitulado #MM. Estou em estado de choque. Chocante! Racismo é crime. Será que eles não sabem ainda?. O mais triste é que a maioria são crianças! Já com tanto ódio no coração!"

Na manhã desta terça, a cantora abordou o episódio em um longo desabafo. Na publicação feita no Facebook, ela conta que recebeu mensagens que insultavam sua pele negra, seu trabalho e sua forma física.

Leia a íntegra do relato:

"Me chamo Preta Maria Gadelha Gil Moreira de Godoy, tenho 42 anos, sou casada, mãe de um homem de 21 anos e avó de uma boneca de 8 meses, sou filha da mistura. Nasci em um país miscigenado, tenho em mim o sangue indígena dos meus tataravós, sangue negro do meu pai, sangue branco da minha mãe e um coração repleto de amor e orgulho pelas minhas origens.

Desde muito nova convivi com o preconceito de quem não aceitava ver filho de negro em uma escola particular, de quem não consegue aceitar que uma pessoa pode se chamar Preta.

Além do nome, sempre convivi com o fato de ser diferente aos olhos da maioria; de ser a filha do cantor, de não ter corpo de modelo de passarela, de meu cabelo ser liso, (sim acreditem tem gente que acha que eu aliso meu cabelo e com isso dizem que não aceito minha negritude), de mostrar meu corpo no meu CD, de casar com alguém mais novo e por aí vai….

Ontem fui atacada com diversas mensagens de ódio em minha pagina no Facebook; uns atacaram minha cor, meu trabalho, meu corpo, outros tentando fazer piadas de péssimo gosto apenas para tentar me denegrir ou magoar, eles assinaram todos os posts com uma # agiram em bando, são organizados e cruéis. SAIBAM esse tipo de ataque só me fortalece, eu conheço o meu VALOR !!!

São "pessoas" que usam imagens de cachorro, mordaças, mascaras, personagens em quadrinhos, vilões, monstros de filme,crianças, fotos nitidamente forjadas para que o dono do perfil não seja reconhecido.

São covardes, são pessoas vis, não sei quem são. Será que eu deveria não dar atenção ou querer me preocupar com isso? NÃO! Vou me defender em meu nome e de quem mais se sentiu ultrajado com essa verdadeira doença social. Essa epidemia de desamor e ódio que se alastra e atinge a todos.

Estou cansada dessa impunidade, dessa onda de ódio, de gente que escreve o que quer para atacar a quem está quieto. Quero justiça!

Não posso deixar de acreditar na vida, no valor do ser humano, na paz e em nossa raça humana que é uma só. Ilude-se quem acha que existem diferentes raças. Somos todos um só, queiram ou não queiram. Todos morreremos igual, não adianta nada atacar a opção sexual, o partido, o credo ou o time de futebol.

No final da vida, ninguém é diferente de ninguém e ao invés de nos atacarmos, nos matarmos, deveríamos nos unir para não aniquilarmos a dádiva que é viver.

Quero Paz e justiça, pra mim e para todo mundo."

Preta Gil também compartilhou em seu Instagram alguns dos ataques:

"Até quando veremos esse crime ser cometido impunemente na internet? Meu desabafo postei lá no meu Facebook PretaGilOficial! #maisamorporfavor #maiseducaçãomenosviolência"

Polícia já investiga o caso

Preta Gil esteve na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) para denunciar o caso. Em entrevista ao Correio Braziliense na saída, ela lamentou o episódio:

“Eu convivo com os ‘haters’, mas nunca houve algo tão grave e nunca foi organizado com um monte de uma vez só. Vim aqui prestar a denúncia, e eles vão ser investigados. A delegada disse que hoje é possível achar essas pessoas. A maioria parece ser jovem e adolescente, e isso me deixa mais preocupada e triste porque a gente vê a violência instaurada hoje no mundo e como as redes sociais podem ser usadas de uma forma tão equivocada pelas pessoas."

A Polícia Civil informou o jornal que o caso está sendo investigado e que os responsáveis, se identificados, poderão ser indiciados por injúria racial, cuja pena varia de 1 a 3 anos de prisão.

Novo caso em poucos dias

Na noite da última terça-feira (19), a cantora Paula Lima também foi atacada por racistas no Facebook.

Ela decidiu tomar providências contra o agressor. Com a ajuda de sua equipe, tirou um print do comentário e prometeu denunciar o crime de discriminação racial pela internet. Em entrevista à Rádio Estadão, a cantora comentou o ocorrido:

"Como negra, eu enfrento isso e sempre enfrentei. Eu acho que as pessoas eram menos transparentes em relação ao que sentiam e pensavam, então a internet trouxe essa coragem de ser ainda mais cruel. Infelizmente, o mundo está meio de ponta-cabeça, e acredito que isso infelizmente acontece com muita gente e ainda vai acontecer. Eu não posso falar que não me atingiu e tudo bem, não. Isso é crime e eu vou até o final, por uma questão de respeito, de negritude, de cidadania.”

LEIA MAIS:

- O dia de horror racista que Leslie Jones, de 'Caça-Fantasmas', viveu no Twitter

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
8 negros icônicos refletem sobre a influência incomparável de Muhammad Ali
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção