Huffpost Brazil

Site promove trocas, doações e vendas de produtos usados de recém-nascidos e crianças

Publicado: Atualizado:
Imprimir

espichamos

Até mesmo quem ainda não é mãe ou pai sabe o quanto os bebês crescem rápido e perdem suas roupinhas e sapatos com o tempo.

Sem contar que é comum que algumas famílias exagerem e acabem comprando mais do que o bebê realmente precisa, seja por empolgação ou por medo de faltar algo.

Além disso, carrinhos, banheiras, berços e brinquedos naturalmente deixam de ser usados, e não é difícil ver objetos assim encostados em algum canto.

Esta fase acaba gerando enormes desperdícios de roupas, sapatinhos, acessórios e brinquedos. Mas tudo o que eles precisam, na verdade, é de novos donos.

Decididas a oferecer uma solução para essa situação, Vanessa Delpy e Viviane Araújo criaram o site Espichamos, uma plataforma para facilitar a venda, a troca e a doação de objetos de recém-nascidos a adolescentes.

O objetivo do Espichamos é, sobretudo, promover o consumo consciente de quem teve filhos recentemente. Para isso, elas incentivam o compartilhamento de produtos entre as famílias.

O site, que funciona desde o inicio de 2015, permite que qualquer pessoa se cadastre para realizar compras diretamente com outros usuários. Há uma taxa 20% de comissão sobre as vendas e a cobrança de R$ 3 por cada troca realizada.

As feiras de trocas acontecem virtual e fisicamente. No site, ao anunciar o produto, qualquer usuário pode selecionar a opção "aceito trocar". Ao encontrar um produto disponível que seja de seu agrado, em vez de comprar, ele pode "propor uma troca". Se as duas partes concordarem, elas combinam a data para realizá-la.

A ideia deu tão certo que agora também acontecem em espaços físicos, como escolas. A última feira realizada pelo Espichamos aconteceu em junho, em uma escola de São Paulo, e foi um evento focado em materiais escolares e uniformes. Segundo as organizadoras, em duas edições da feira, quase 200 peças de uniformes deixaram de ser produzidas por causa do reaproveitamento nas trocas.

feira de uniformes

feira de livros

Para as idealizadoras do site, a experiência da troca é um caminho sem volta - e para melhor.

"Pretendemos despertar nas pessoas o interesse em adquirir itens usados e seminovos – que têm preços mais acessíveis e ajudam a diminuir a quantidade de artigos produzidos no mercado – e, quem sabe, influenciá-las para que, ao invés de pagarem contas ou consumirem novos produtos com o valor que levantaram no site, invistam esse dinheirinho no futuro dos seus espichadinhos”, afirma Viviane.

Na medida em que os pais ficam felizes porque conseguem economizar, as famílias percebem que a possibilidade de consumir menos é bem mais simples do que parece. A ideia do consumo sustentável deixa de ser apenas uma teoria e é colocada em prática, além de ser mais um incentivo para que os pequenos continuem com este comportamento.

Outra iniciativa importante do site são as doações. Vanessa e Viviane cadastram instituições que ajudam causas sociais e facilitam o caminho para as doações. Ao todo, são sete ONGs cadastradas, como a APAE e a Saúde da Criança, mas é possível sugerir novos nomes por meio de mensagens no site do Espichamos.

"É claro que a ideia é que os usuários possam levantar um dinheirinho com aquilo que não usam mais, mas queremos que o site vá além disso. A parte de doações tem o objetivo de ajudar a quem mais precisa e fazer com que o que está
parado nas casas dessas famílias seja melhor aproveitado”, explica Vanessa.

LEIA MAIS:

- Com a música, a esperança vence a preocupação nesta UTI para bebês

- Uma garota de 12 anos arrecadou livros e fez uma biblioteca comunitária no sertão baiano

- Escola municipal Nelson Mandela fala de racismo com as crianças e inspira ensino transformador

Também no HuffPost Brasil

Close
Estes bebês não querem sair da praia ❤
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção