Huffpost Brazil

O mosaico de Barbie criado por esta artista denuncia a violência contra mulheres

Publicado: Atualizado:
Imprimir

“Muitas pessoas encaram as mulheres como bonecas”, explica Lady Be, “pensando que elas podem ser tratadas como brinquedos, descartadas ou maltratadas.”

Com o projeto “Beaten Barbie — Stop Domestic Violence” (Barbie espancada – vamos acabar com a violência doméstica), a artista plástica Lady Be, residente em Roma, criou um mosaico aflitivo de uma boneca Barbie espancada e contundida, para chamar a atenção para a violência baseada no gênero.

Exposto entre 9 e 12 de junho na Trienal de Arte Contemporânea, em Verona, Itália, o mosaico é composto de fragmentos de centenas de bonecas e brinquedos, além de outros objetos que perderam sua função original.

“Muitas pessoas encaram as mulheres como bonecas – acham que elas podem ser tratadas como brinquedos, jogadas fora ou maltratadas”, disse a artista ao HuffPost Itália. Lady Be escolheu a boneca Barbie porque ela é um símbolo de grande popularidade e com o qual um público amplo pode se identificar.

“Para transmitir uma imagem universal – a de acabar com a violência --, escolhi uma figura para representar todas as mulheres e todas as idades”, explicou Lady Be. “Alguma coisa negativa acontece com mulheres todos os dias. Com minha ‘Barbie espancada’, quero conscientizar as pessoas e transmitir uma mensagem forte que possa chegar a todo o mundo.”

Veja abaixo mais fotos de “Barbie espancada”

  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
  • Rosario Cascino
Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Educação é essencial para combater violência doméstica, diz primeiro-ministro

- A violência doméstica está perto de você e independe de renda ou escolaridade

Também no HuffPost Brasil

Close
Nova coleção de Barbies abraça a diversidade
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção