Huffpost Brazil

Alckmin, Pezão, Fernando Pimentel... Lembra do 'listão' da Odebrecht? Empreiteira deve delatar mais de 100 políticos

Publicado: Atualizado:
Imprimir

alckmin pezao

Os executivos da construtora Odebrecht, incluindo o ex-presidente da empresa Marcelo Odebrecht, citaram mais de cem deputados, senadores e ministros e políticos de outros cargos eletivos como beneficiários diretos de esquemas de corrupção. Desvio de dinheiro e repasses de verbas para campanhas. Segundo reportagem do jornal O Globo, ao menos dez governadores e ex-governadores foram beneficiados, incluindo Geraldo Alckmin (PSDB), Fernando Pimentel (PT) e Luiz Fernando Pezão (PMDB).

De acordo com postagem do jornalista Fernando Rodrigues de março deste ano, do UOL, mais de 200 políticos de 18 partidos constam em uma planilha apreendida com o presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Barbosa Silva Júnior, o ‘BJ’, na 23ª fase da Lava Jato, intitulada Acarajé que também teve como alvo o marqueteiro do PT, João Santana.

As planilhas citam pagamentos que teriam sido feitos a nomes como José Sarney (PMDB), Aécio Neves (PSDB-MG), Renan Calheiros (PMDB-AL), Romero Jucá (PMDB-RR), Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Humberto Costa (PT-PE) e Eduardo Campos (PSB), morto em 2014, entre outros. Alguns apelidos são curiosos: Cunha é ‘Carangueijo’, Renan é ‘Atleta’, e Sarney é ‘Escritor’.

LEIA TAMBÉM:

- Lava Jato: Segundo delator, Odebrecht comprou um banco só para propinas

- Oposição aposta em envolvimento de Temer na Lava Jato para pedir impeachment

- Lula pede investigação de Moro por abuso de autoridade na Lava Jato

- Subiu o tom: Temer nega pedido de propina e chama delação de 'mentirosa' e 'criminosa'

Também no HuffPost Brasil

Close
Entenda a Operação Lava Jato
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção