Huffpost Brazil
Gabriela Bazzo Headshot
Andre Murched Headshot

O que os brasileiros estão achando das Olimpíadas?

Publicado: Atualizado:
Imprimir

"Do que adianta Olimpíadas enquanto ainda tivemos situações como essa", questiona a jornalista Luciana Melo, enquanto conversamos no vão livre do Museu de Arte de São Paulo sobre a proximidade dos Jogos Olímpicos no Brasil. Servidora do Governo do Estado de São Paulo, ela aponta para um mendigo que anda na região, sem sapatos e com roupas rasgadas, em pleno inverno paulistano.

Assim como Luciana, a maioria dos entrevistados pelo HuffPost Brasil pensa que a verba gasta com as Olimpíadas poderia ser investida em outros setores, como educação e saúde. Para Isaac (que pediu para não ter o sobrenome divulgado), jovem de 20 anos que trabalha como auxiliar administrativo, o fato de o País sediar os jogos no momento de crise econômica e política que vive, chega ser quase irônico: "Não tem como você sediar um dos maiores eventos do mundo sendo que sua própria casa não está arrumada, né?!"

No total, cerca de R$ 39 bilhões serão gastos com as Olimpíadas do Rio. Cabe aos governos (federal, estadual e municipal) custearem cerca de 40% desse montante, referente a despesas com infraestrutura: tanto de obras feitas exclusivamente para os jogos quanto das chamadas "obras de legado", que vão ficar como herança para os moradores do Rio - as vias urbanas, a ampliação do metrô e a revitalização da zona portuária, por exemplo.

Desses R$ 39 bilhões, R$ 7 bilhões são para as despesas da organização dos jogos, como alimentação de atletas, pagamento de recursos humanos e campanhas de marketing, com investimento 100% privado - de patrocinadores e do próprio comitê organizador.

Mesmo com uma opinião predominantemente pessimista, também há gente que acredita que os jogos serão bons para o desenvolvimento do Brasil e da América Latina. É a opinião do colombiano Camilo Correa, que atualmente cursa doutorado na área da Física, na USP.

A professora de matemática Ana Lúcia Junqueira também torce para que tudo dê certo. Seu filho, conta ela, está trabalhando na organização do evento, no Rio de Janeiro. "A mídia só mostra a parte ruim, tem muita coisa dando certo também", comenta ela, que pretende assistir aos jogos, e torcer "para que o Brasil conquiste muitas medalhas".

Segundo uma pesquisa conduzida pelo Instituto Datafolha e divulgada no último dia 19, a rejeição aos Jogos Olímpicos do Rio dobrou de 2013 para 2016 e chegou a 50% da população brasileira.

O Datafolha apontou também que 63% dos entrevistados acreditam que o evento trará mais prejuízos do que benefícios para os brasileiros em geral, ante 38% no levantamento de 2013.

  • Danillo, profissional de marketing
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Me indigna nos jogos, o fato deles [os governantes] gastarem um dinheiro com Olimpíadas, sendo que a saúde, a educação do nosso País são precárias", conta ele, que também mencionou a morte da onça Jumá como um aspecto negativo dos jogos.
  • Gilmar Melo Jr., pedagogo e vendedor
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Levantem a cultura e a educação antes de levantarem os arcos olímpicos. Minha impressão das Olimpíadas é de que é algo ridículo, eu odeio, tenho nojo. Acho que vai dar tudo errado... Torço para dar tudo errado. Acho que a gente tem outras prioridades, muitas outras... Nem sei por onde começar. Peguem esse dinheiro e coloquem primeiro na consciência de vocês, para ver se ela funciona. Depois coloquem na dignidade humana... Na hora que eu passo e vejo uma pessoa dormindo na rua eu me sinto eu dormindo ali, e isso me mata. O ego humano é muito grande, as pessoas pegaram o ego do mundo para elas, pagam R$ 15 mil numa bolsa mas não enxergam o mendigo dormindo na calçada"
  • Márcia, enfermeira
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Hipocrisia. Tanta coisa acontecendo no País. O feijão a R$ 15, para fazer uma coisa idiota tosca por causa de uma tocha que vai passar no Brasil inteiro, matar um animal que está em extinção, hospital precisando de remédio, e gastar tanto dinheiro... Isso é hipocrisia demais".
  • Vitor Tonioli, auxiliar administrativo
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "O Rio de Janeiro não teve condição de fornecer os recursos necessários para que desse certo... Quando leio notícias, por exemplo, que contam que as delegações estão comprando material do próprio bolso, eu acho que é uma vergonha, e não sei o que esperar. Com certeza a mídia vai dar um jeito de mascarar e fazer tudo parecer bonitinho, mas eu acho que com certeza vai ter muito roubo de turista, muita violência... E em relação aos jogos em si eu não sei se pode dar alguma coisa errada."
  • Vitória, dona de casa, e sua filha Coraci
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Pela situação que o País se encontra é muito complicado. Não é que eu sou contra as Olimpíadas, entendeu? Eu sou contra os jogos dentro da atual situação que o País se encontra, acho que não deveria ter."
  • Nina, estudante de ensino médio
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Não tenho muita opinião, mas acho que definitivamente a gente não está preparado para receber tudo isso de gente aqui no Brasil, ainda mais com os problemas políticos que a gente está tendo agora... E a gente tem resultados claros de que ainda tá faltando muita coisa para fazer, para montar... Metrô, outros meios de transporte... Não está pronto."
  • David Bogdanski, estudante de Biologia na USP
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Eu acho que é o investimento errado, porque não era nisso que deveria estar indo dinheiro, não é aqui que deveria estar sendo as Olimpíadas, e o dinheiro investido deveria ir para outra coisa, como educação... A USP, por exemplo, onde eu convivo muito, está cheia de problema, cheia de dinheiro faltando, cheia de descontentamento, e nada de alguém resolver o problema", conta ele que diz não estar animado para acompanhar os jogos.
  • Ana Lúcia Junqueira, professora
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Estou torcendo para que tudo dê muito certo. Estou um pouco envergonhada de algumas coisas, como o atraso nas obras. Da postura do prefeito [do Rio, Eduardo Paes] em não reconhecer que errou e ficar falando de cangurus para os australianos. Eu sei que é um evento enorme. Mas é fantástico, nós somos um país maravilhoso. Eu espero que a segurança esteja atenta, acho que temos algumas coisas amadoras mas agora eles parecem ter tomado um pouco de tenência, espero que esses malucos não resolvam fazer nada e que vá correr tudo bem. Eu amo esse País e quero que dê tudo certo, estou torcendo e quero assistir e ver se a gente ganha bastante medalhas."
  • Luciana Melo, jornalista
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Porque eu acho que tem ouras prioridades, né?! O Brasil está 'uma festa de oba oba'... Me desculpem os partidos, os governos, eu sou empregada do governo do estado mas nem por isso vou compactuar. Não aprovo, como não aprovei a Copa, que foi um fracasso, muito menos as Olimpíadas... Não vou acompanhar os jogos, nem pensar."
  • Isaac, auxiliar de escritório
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Acho que não é tão bom, né, porque o País está ruim. Não tem como você sediar um dos maiores eventos do mundo sendo que sua própria casa não está arrumada, né?! Todo mundo pensa que é mil maravilhas ter o país como sede das Olimpíadas, mas na verdade não é. O Brasil está passando vergonha lá fora... Os turistas que vierem para cá, se é que virão, vão ver que o País é um caos, tem impunidade, não tem transporte público decente, não tem infraestrutura para sediar isso".
  • Giovani, profissional de marketing digital
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "As Olimpíadas têm seus pontos negativos e positivos, óbvio. Entre os pontos positivos está o que prometem, o grande retorno que vai ter para a economia do País. Só que o ponto ruim é que como fizeram na Copa do Mundo: prometeram que teria um grande retorno, que o país iria desenvolver e alavancar, só que o que aconteceu foi que o país decaiu mais ainda. Então fica esse ponto de interrogação, se as Olimpíadas realmente são importantes para o país ou não. Porque vai gerar gastos, mas não se sabe ainda se vai ter um retorno."
  • Camilo Correa, doutorando em Física na USP
    Andre Murched/HuffPost Brasil
    "Para mim parece algo incrível, que vai ser bom para o Brasil e para a América Latina. Já a situação, por conta do terrorismo e tudo mais o que está acontecendo, é complicada para o Brasil e para o mundo. Acho que vai ser um pouco preocupante e que precisamos estar prevenidos, mas penso que o evento vai ser bom."