Huffpost Brazil

Marta já é rainha. E Cristiane e Andressa Alves têm tudo para BRILHAR no seu ❤

Publicado: Atualizado:
CRISTIANE
Divulgação / CBF
Imprimir

A Seleção feminina de futebol estreia nesta quarta-feira (3), antes mesmo da abertura oficial dos Jogos Olímpicos. A disputa será contra o time da China, no estádio do Engenhão, às 16h.

Para além da medalha de ouro - que nunca esteve tão próxima - as meninas da Seleção acreditam que a participação nos jogos é mais uma oportunidade de quebrar o estereótipo de que o futebol é um esporte masculino.

“A conquista do ouro seria decisiva para a evolução do futebol feminino no Brasil. As pessoas sabem que a gente ganhou uma prata, mas um ouro ninguém esquece. Atletas que ganharam medalhas de ouro não foram esquecidos e até hoje recebem ajuda, patrocinadores”, afirmou a goleira Bárbara em entrevista a EBC.

E a estreia em busca da medalha promete ser um show lindo de técnica e competência.

Para algumas jogadoras, porém, a primeira partida vai ter um gostinho especial: Cristiane, a maior artilheira da história dos Jogos Olímpicos, completa 15 anos desde que entrou pela primeira vez em campo com a camisa verde e amarela.

Nascida em Osasco, a atleta iniciou sua carreira atuando em pequenos clubes. Mas, logo começou a chamar atenção e foi jogar na Alemanha. Aos 15 anos, em 2001, voltou para o Brasil direto para a Seleção.

Quatro anos depois ela foi convocada para sua primeira Olimpíada, em 2004 na Grécia e durante a competição foi eleita a grande artilheira do Brasil, com cinco gols emplacados. Hoje a atleta também representa o time francês Paris Saint Germain, mas o seu coração está na grama do Engenhão. Em entrevista ao site da CBF, a atleta comentou o quão ansiosa está para a partida:

"É uma emoção saber que eu estou há tanto tempo aqui dentro servindo à Seleção e ajudando à modalidade. Eu era muito nova quando comecei e é muito bacana poder ter construído essa história. Tomara que a estreia seja com o pé direito e com um resultado positivo. A intenção é essa. Olimpíada é um tiro muito curto, então não dá para você fazer resultados negativos. Começando os Jogos Olímpico vencendo pelo menos as duas primeiras partidas, a gente teoricamente fica um pouco mais tranquila no terceiro confronto. Mas o desejo, claro, é vencer todos os jogos. Estou torcendo para que esse começo seja escrito de uma forma diferente."

Nunca esperei tanto por esse dia.Que Deus nos abençoe e nos guarde 🍀

Uma foto publicada por Atleta Sel.Brasileira🇧🇷 (@crisrozeira11) em

Além de Barbara, Cris e Marta, outro nome merece nossa atenção principalmente por sua versatilidade. Andressa Alves já foi lateral e volante, mas agora ela é atacante. A atleta do Barcelona participa de sua primeira Olimpíada e não esconde a emoção de compartilhar o gramado com seus ídolos.

Em 2012, enquanto Marta, Cristiane e outras meninas disputavam medalhas em Londres, ela integrava a Seleção Sub-20. Agora ela quer entrar para história com o time, como comentou em entrevista à CBF.

"O fato da Formiga, Cristiane e Marta estarem aqui, de já terem tentado duas vezes e batido na trave duas vezes, isso motiva a gente muito mais a conquistar (o ouro) por elas também, por tudo o que elas fazem. A Cristiane é a maior artilheira, a Marta cinco vezes melhor do mundo, a Formiga que é um mito no futebol, um exemplo. Então isso me motiva muito a conquistar junto com elas e entrar para a história junto com elas. Pensei que nunca fosse conhecer as três. Jogava na rua sempre imaginando como seria conhecer uma delas."

Que Deus nos abençoe e nos proteja🙏🏽👧🏻⚽️🍀

Uma foto publicada por Andressa Alves 👧🏻⚽️🙏🏽🇧🇷🇪🇸 (@dessah07) em

Barbara, Aline, Mônica, Rafaelle, Érika, Bruna, Poliana, Tamires, Fabiana, Thaísa, Formaiga, Andressa, Marta, Cristiane, Raquel, Beatriz, Andressa Alves e Debinha.

Guardem estes nomes!

Candinho pronto para torcer, sonhando com a nossa estréia amanhã 😂🐶💬💤

Uma foto publicada por martavsilva10👻 (@martavsilva10) em

LEIA MAIS:

- Com mais de 5 mil atletas, Rio 2016 é a Olimpíada mais feminina da história

- A NBA subiu o morro na cidade olímpica: É bola na cesta e a Rocinha no coração

- A Vila Autódromo venceu a Olimpíada: Conheça a comunidade que resistiu às desapropriações no Rio

Também no HuffPost Brasil

Close
As meninas da Seleção buscam o ouro
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção