Huffpost Brazil

Luiza Brunet lembra 10 anos da Lei Maria da Penha: 'Que mais mulheres possam ter justiça no país'

Publicado: Atualizado:
LUIZABRUNET
Montagem
Imprimir

A Lei Maria da Penha, a primeira no Brasil que visa combater a violência doméstica contra a mulher, completa 10 anos neste domingo (7).

A data foi lembrada pela atriz Luiza Brunet, que no começo de julho denunciou seu ex-namorado, o empresário Lírio Parisotto, por agressão física.

O empresário bilionário se tornou réu em processo após o Tribunal de Justiça de São Paulo aceitar a denúncia feita pelo Ministério Público no caso de agressão contra Luiza. O processo segue em segredo de justiça.

Em seu perfil no Instagram, a modelo compartilhou um vídeo em que deseja: "Que mais mulheres possam ter justiça no país".

Dia especial . #10AnosLeiMariaDaPenha #CoragemPraMudar #institutoavon @institutomariadapenha

Um vídeo publicado por Luiza Brunet ❤️🌹 (@luizabrunet) em


A Lei Maria da Penha foi sancionada em 7 de agosto de 2006 com mecanismos para coibir e punir com mais rigor atos de violência contra a mulher.

Ela leva o nome da farmacêutica bioquímica Maria da Penha Fernandes que, aos 38 anos, além de sofrer agressões físicas do marido e pai de suas duas filhas, Marco Antônio Heredia Viveros, foi atingida por ele com um tiro - que a deixou paraplégica.

A luta de Maria por justiça foi árdua mas hoje, aos 71 anos, ela reflete:

“A minha luta foi tão grande que, hoje, essa parte [da agressão] para mim não tem mais nenhum sentido. Hoje existe uma lei que tem o meu nome e que está funcionando. A gente se alimenta com os resultados: eu vejo muitas mulheres lutando, muitos homens mais conscientes também. Há uma mudança, por mais que imperceptível para alguns."

LEIA MAIS:

- Dez anos após Lei Maria da Penha, Brasil ainda tem mais de dez mulheres mortas por dia

- A Lei Maria da Penha que não saiu do papel: Falta discussão de gênero nas escolas e muito mais

- ‘Meu sofrimento se transformou em luta', diz Maria da Penha sobre 10 anos da lei que leva seu nome

- Por que não precisamos alterar (ainda) a Lei Maria da Penha

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
#PorTodasElas: Mulheres protestam contra Cultura do Estupro
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção