Huffpost Brazil
Marcella Fernandes Headshot

Conselho de Ética instaura processo contra Jean Wyllys por post no Facebook

Publicado: Atualizado:
Imprimir

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou nesta quarta-feira (10) processo de quebra de decoro contra o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ).

Na representação, o PSC alega que Wyllys associou os nomes dos deputados Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Marco Feliciano (PSC-SP) ao atentando em uma boate gay em Orlando, nos Estados Unidos, em junho.

No post publicado no Facebook em 12 de junho, Wyllys afirma que discursos de ódio de pessoas com projeção podem levar cidadãos comuns a praticar atos de violência.

"Quando criticamos os discursos de ódio dos 'bolsomitos' e 'malafaias' e 'felicianos' e 'euricos' e das 'marisas lobos' e 'ana paulas valadões' da vida e dos legislativo contra gays, lésbicas e transexuais, estamos pensando justamente no quanto o discurso de ódio proferido por essas pessoas - agora em alta porque aliados dos golpistas que tomaram a presidência da República - pode levar pessoas 'de bem' a praticar atos de violência física - assassinatos e agressões físicas - contra membros da comunidade LGBT."

De acordo com o PSC, "o desequilíbrio manifestado" pelas opiniões do deputado do PSOL "incentiva que seus simpatizantes também o façam" e vai contra a responsabilidade de "construir uma sociedade com respeito às divergências".

O presidente do Conselho, deputado José Carlos Araújo (PR-BA), sorteou na tarde desta terça-feira a lista tríplice de relatores e vai escolher um nome nos próximos dias. Foram sorteados os deputados Júlio Delgado (PSB-MG), Silas Câmara (PRB-AM) e Capitão Augusto (PR-SP).

Conforme as normas da Câmara, foram excluídos da lista deputados do mesmo partido ou estado que o representado.

A partir da instauração, o colegiado tem 90 dias úteis para concluir a análise do caso.

LEIA TAMBÉM

- Bispo Marcos Klain, você envergonha todos os cristãos com sua ameaça a Jean Wyllys

- Cunha acusa Jean Wyllys de cometer 'crimes contra sua honra' e faz queixa no STF

- Jean Wyllys é condenado a pagar indenização de R$ 40 mil por post no Facebook

Também no HuffPost Brasil:

Close
Bolsonaro não leu a Declaração Universal de Direitos Humanos
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção