Huffpost Brazil

Arianna Huffington vai deixar o The Huffington Post para construir site de saúde e bem-estar

Publicado: Atualizado:
ARIANNA HUFFINGTON
Arianna Huffington vai deixar The Huffington Post | DENIS BALIBOUSE / REUTERS
Imprimir

NOVA YORK – A editora-chefe do The Huffington Post, Arianna Huffington, anunciou na quinta-feira que vai deixar a empresa que co-fundou há 11 anos para construir o Thrive Global, um novo site de estilo de vida, saúde e bem-estar.

Huffington lançou o site que leva seu nome em 2005, após a reeleição de George W. Bush e em meio à guerra do Iraque.

O que começou como uma resposta de esquerda ao Drudge Report, composta principalmente pela agregação de notícias de outros sites e blogs de amigos, transformou-se ao longo dos anos em uma grande empresa de mídia digital, hoje presente em 15 países e vencedora de vários prêmios, incluindo um Prêmio Pulitzer.

Embora Huffington tenha se mantido envolvida em política, incluindo sua forte oposição à candidatura de Donald Trump desde os primeiros dias, ela vinha voltando sua atenção cada vez mais para questões de saúde e bem-estar, foco de seu livro A Terceira Medida do Sucesso, de 2014, e The Sleep Revolution (a revolução do sono, em tradução livre), deste ano.

Em junho, Huffington anunciou o lançamento do Thrive Global, que ela planejava conduzir em paralelo com o comando do HuffPost.

Em entrevista, Huffington disse ter percebido que “não poderia construir uma empresa trabalhando meio período”, especialmente depois de começar a contratar sua equipe e os investidores começarem a apostar em milhões de dólares no site.

O papel de Huffington já tinha mudado uma vez, depois da aquisição do The Huffington Post pela AOL por 315 milhões de dólares, em 2011. Ela manteve o cargo de editora-chefe e também se tornou presidente do novo Huffington Post Media Group.

Ela disse que sua partida não tem relação com a recente decisão da Verizon -- que comprou a AOL no ano passado por 4,4 bilhões de dólares -- de também adquirir o Yahoo, por 4,8 bilhões de dólares.

“O negócio com o Yahoo pode ser ótimo para o HuffPost, por causa da incrível distribuição que ele pode representar para o nosso conteúdo”, disse ela.

Huffington disse que vinha pensando nessa transição havia tempo, mas a decisão tinha de coincidir com o fechamento de uma rodada de financiamento para o Thrive Global, na sexta-feira.

Aos investidores, ela descreveu a nova empresa como uma plataforma para “promover o bem-estar e a produtividade”, “enfrentar a pandemia de estresse”, “maximizar a criatividade” e "transformar nossa cultura: em vez de sobreviver, prosperar”, de acordo com um prospecto.

A Thrive Global deve oferecer conteúdo tanto para os consumidores, na forma de site, aplicativos e eventos, e quanto para as empresas, com workshops e seminários.

Estamos “neste momento de transição, essa mudança cultural em que não temos de continuar trabalhando e vivendo como sempre”, disse Huffington.

“Sinto que posso dar uma contribuição real aqui, ajudando as pessoas a mudar seus comportamentos, sugerindo micropassos para que seja fácil.”

A notícia da saída Huffington foi um choque para muitos na redação da empresa. Alguns executivos sêniores só souberam da decisão na quarta-feira.

A maioria da equipe só soube na quinta-feira, com memorandos de Huffington e do chefe da AOL, Tim Armstrong, que disse que um comitê editorial interino foi criado para buscar um novo editor-chefe. O processo deve incluir candidatos internos e externos.

Huffington disse estar confiante que o Huffington Post “vai fazer coisas incríveis no futuro” sob nova liderança.

“Nosso DNA e nossas crenças são muito sólidas”, disse ela.

O timing da mudança foi surpreendente, pois ela acontece nos meses finais de uma eleição presidencial acalorada, na qual o site de Huffington tomou uma posição forte contra o candidato republicano.

Desde dezembro, uma nota do editor acompanha as matérias sobre Trump, rotulando-o de “mentiroso em série”, “racista” e “misógino”.

Huffington disse que está orgulhosa de cobertura Trump no site e acredita que o HuffPost foi o primeiro meio de comunicação “a enxergá-lo como ele é”.

Em meados do ano passado, o site publicou a cobertura de Trump temporariamente na seção de entretenimento.

“Estivemos na vanguarda aos nos recusar a tratá-lo como um candidato republicano normal com quem discordamos”, disse ela.

Apesar de se afastar da cobertura política do dia-a-dia, Huffington sugeriu que há uma relação entre o bem-estar e nosso processo político.

“Em primeiro lugar, quando as pessoas estão mais conectadas consigo mesmas e com sua sabedoria, vão tomar decisões melhores sobre o voto e sobre sua liderança”, disse ela.

“Acredito que exista uma conexão entre políticos privados de sono e exaustos – e é claro que Donald Trump é o melhor exemplo -- e as decisões que eles tomam baseadas no medo.”

Ela também indicou que ela não vai sair completamente da arena política, na qual tem marcado presença há décadas.

“Para mim”, disse ela, “a política será sempre parte da minha vida.”

Eis os memorandos de Huffington e Armstrong:

HuffPosters,

Nos últimos 11 anos, The Huffington Post tem ocupado lugar central na minha vida, e sinceramente achei que ele seria meu último ato. O que construímos juntos superou minhas expectativas. Quando éramos apenas cinco trabalhando na minha casa em Los Angeles, nunca imaginei que transformaríamos o HuffPost em um dos sites de notícias mais visitados do mundo, com edições em (logo mais) 16 países e um líder mundial em notícias e política, jornalismo de soluções e bem-estar, além de um Prêmio Pulitzer.

Como todos sabem, desde a publicação de A Terceira Medida do Sucesso, me tornei mais e mais apaixonada -- bem, obcecada -- com a exaustão e o estresse e como podemos reduzir seu impacto em nossas vidas. Viajando pelo mundo para falar sobre o livro e ouvindo as histórias das pessoas, passei a acreditar ainda mais na necessidade urgente de transformar essa paixão em algo real e tangível. É por isso que, quando assinei um novo contrato no começo do ano passado, incluímos uma cláusula prevendo que eu também poderia lançar um empreendimento dedicado a colocar em prática os valores de A Terceira Medida, ajudando pessoas e empresas em todo o mundo a reduzir o estresse e a exaustão e a melhorar a saúde e a produtividade.

Quando eu escrevi para vocês em junho, realmente esperava ser capaz de continuar a liderar HuffPost e, ao mesmo tempo, construir o Thrive Global. Mas, quando o Thrive passou de idéia a uma realidade, com os investidores, funcionários e escritórios, ficou claro que era ilusão. Um dos princípios do livro é saber quando é hora de começar um novo capítulo, e essa hora chegou para mim. Assim, decidi renunciar ao cargo de editora-chefe do HuffPost. Foi uma decisão muito difícil, mas, em muitos aspectos, inevitável, dado o meu compromisso de transformar o Thrive em uma empresa que tem um impacto global na forma como trabalhamos e vivemos. Construir algo a partir do zero não é mais fácil ou menos desafiador só porque você já o fez antes. Há apenas uma maneira de fazê-lo: com toda a atenção e todo o seu coração. Foi assim que dirigi o HuffPost ao longo dos anos, em nossa evolução e nosso crescimento, correndo os riscos que nos trouxeram aonde estamos hoje.

O que tornou a decisão mais fácil é a minha total confiança no que construímos juntos. Temos uma redação de primeira classe, guiada pela equipe de liderança mais forte da história do HuffPost, começando com Jared, que tem sido um incrível CEO e parceiro, e Tim, que amou e acreditou no HuffPost desde o princípio. O talento, empenho e valores que todos colocam em tudo o que fazemos aqui fazem do HuffPost o que ele é – e o que você fizer agora será mais importante do que nunca. Então, acima de tudo, quero terminar agradecendo a todos vocês. Tenho muita gratidão e admiração por todos os colegas e amigos que fiz ao longo dos anos nesta incrível aventura. Você tornaram meus últimos 11 anos verdadeiramente inesquecíveis e serão sempre parte da minha vida. E, claro, nunca vou deixar de recrutar blogueiros para Bryan, de sugerir manchetes para Whitney de agir como a ombudsman não-oficial do sono do HuffPost.

AOLers -

Nosso DNA de colocar no mundo os melhores desenvolvedores de cultura e de software está acontecendo de novo hoje. Depois de uma parceria sem precedentes nos últimos cinco anos, que transformou o Huffington Post de um site de blogs em uma potência global de mídia, Arianna está se dedicando à sua paixão, para se dedicar em tempo integral ao seu novo empreendimento, o Thrive Global. O Huffington Post continuará seu esforço para se tornar o líder mundial em notícias e informação, e a liderança do The Huffington Post está preparada para levar essa missão adiante.

Arianna é uma pioneira indiscutível em novas mídias, e o The Huffington Post é nada menos que uma marca icônica. Queremos agradecer Arianna por seu espírito empreendedor, visão e liderança, que ajudaram a transformar o The Huffington Post na plataforma de notícias bem sucedida e próspera que é hoje. Sabemos que ela vai trazer a mesma paixão para o Thrive Global e acreditamos que o Thrive global vai ajudar a transformar a indústria do bem-estar.

O Huffington Post vem trabalhando numa estratégia de próxima geração ao longo dos últimos meses, e o CEO do The Huffington Post, Jared Grusd, vai liderar a execução e comunicação desse plano, que se concentra ampliar nossas notícias e vídeos para uma audiência ainda mais global. Formamos um comitê editorial provisório (Ryan Grim, Liz Heron, Katie Nelson, Kate Palmer, e Whitney Snyder) que vai preencher o papel de Arianna e buscar um novo editor-chefe para o The Huffington Post. Sabemos que a nossa equipe excepcional continuará realizando um trabalho poderoso, escrita e análise, que trazem mais de 178 milhões de pessoas em todo o mundo ao The Huffington Post diariamente.

O Huffington Post é um pilar fundamental da nossa estratégia e se torna ainda mais importante com os nossos movimentos recentes em AR / VR com a RYOT. À medida que o mundo conectado se expande, junto com a necessidade global de notícias e informação, o The Huffington Post está bem posicionado para ser líder nas próximas décadas.

Teremos uma celebração apropriada para Arianna antes de ela sair para mudar o mundo mais uma vez -- e vamos continuar a missão e a inovação do The Huffington Post com a nossa equipe incrível. Vamos fazer notícias. – TA

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.


LEIA MAIS:

- Precisamos acordar para o problema do sono ao volante

- 'A Terceira Medida do Sucesso', edição nacional do livro de Arianna Huffington chega às livrarias do Brasil

- Arianna Huffington comenta mudança de nome do Brasil Post para HuffPost Brasil