Huffpost Brazil

Omran Daqneesh: Esta é a face mais cruel da guerra da Síria. Mas não é a única

Publicado: Atualizado:
Imprimir

Mais uma vez, por meio da imagem de uma criança, a guerra da Síria escancarou sua face mais cruel. Depois do menino Alan Kurdi, foi outro menino que chocou o mundo: Omran Daqneesh, de apenas cinco anos.

Uma imagem onde ele aparece ferido, atordoado e em uma ambulância depois de sobreviver a um ataque aéreo em Aleppo rodou o mundo e mais uma vez nos fez pensar sobre o conflito que assola o país desde 2011 e que já matou pelo menos 400 mil pessoas.

syria

Segundo o Guardian, o pequeno foi levado para um hospital conhecido como M10 e já recebeu alta. Segundo um médico da cidade ouvido pela CBC, ele ficou ferido após um ataque na região de Qaterji, controlada pelos rebeldes. Ele teve ferimentos na cabeça, mas nenhum dano cerebral.

Pelo menos cinco crianças não tiveram tanta sorte quanto Omran e morreram no bombardeio, que ocorreu durante as orações do pôr do sol, por volta das 19h (horário local). O restante de sua família - pai, mãe, e irmãos de 1, 6 e 11 anos - também ficaram feridos no ataque. O apartamento que a família morava foi destruído.

A briga pelo controle de Aleppo se intensificou nos últimos meses, aumentando os combates entre as forças rebeldes e as leais ao regime de Bashar Al Assad, que contam com o apoio de potências como a Rússia e também do Irã.

Ataques sistemáticos contra civis e contra hospitais têm se tornado cada vez mais comuns no conflito. O próprio M10, hospital onde o pequeno foi tratado, foi alvo de bombardeio no começo deste mês. Algumas cidades também estão cercadas, sem ajuda humanitária há meses, e com a população morrendo de fome.

Na manhã desta quinta-feira (18), o enviado especial da ONU Staffan de Mistura pediu por um "gesto de humanidade de ambos os lados" e pediu uma pausa de 48 horas nas hostilidades em Aleppo para permitir que a ajuda humanitária chegue aos dois milhões de civis que seguem no local, reporta a BBC.

De acordo com informações do Observatório Sírio para os Direitos Humanos, 233 civis foram mortos na cidade nas últimas duas semanas.

Aos cinco anos, tudo o que Omran conhece é a guerra. E o pior de tudo: enquanto nós nos comovemos com imagens chocantes como as de Omran e Aylan, muitas outras crianças perdem seus pais, suas famílias e suas vidas. A guerra - infelizmente - não para. A nossa comoção, parece que sim.

LEIA MAIS:

- Mulheres sírias pedem ajuda: 'Estamos morrendo de fome'

- Síria: Bombardeio a hospital mata um dos últimos pediatras em Aleppo

- Prejudicados pela guerra, atletas da Síria sonham com glória olímpica

Também no HuffPost Brasil

Close
Gatos abandonados na Síria
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção