Huffpost Brazil

Veterana das Forças Armadas reage a bilhete misógino da melhor maneira possível

Publicado: Atualizado:
MULHERES NAS FORAS ARMADAS_USA
Nota aos misóginos: as mulheres também servem nas Forças Armadas. | Branden Camp/AP
Imprimir

As mulheres deram grandes passos em direção à igualdade de gêneros nas Forças Armadas, mas parece que ainda temos um longo caminho pela frente até que os misóginos se deem conta disso.

Rebecca Landis estava fazendo compras num shopping em Concordo, Carolina do Norte, quando estacionou seu carro numa vaga reservada para veteranos.

Quando voltou, encontrou um bilhete mal-educado no pára-brisa:

bilhete

Esta vaga é para veteranos, senhora. Aprenda a ler e tenha respeito.

“Esta vaga é para veteranos, senhora”, dizia o bilhete anônimo. “Aprenda a ler e tenha respeito.”

Só um problema: Hays é veterana.

Hayes serviu oito anos como médica na Marinha dos Estados Unidos, mas parece que só porque ela não estava fardada o autor do bilhete decidiu que ela não era veterana.

Ela respondeu ao missivista anônimo da melhor maneira possível, com um post no Facebook que viralizou.

“Sei que estacionei em uma vaga para veteranos hoje, estava calor”, escreveu Hayes. “O estacionamento estava cheio, então simplesmente estacionei. Foi a primeira vez, e não vou fazer o mesmo de novo.”

“Sinto muito”, continuou ela.

Sinto muito que você não possa ver meus oito anos de serviço na Marinha dos Estados Unidos. Sinto muito que sua visão de mundo estreita e misógina não possa conceber o fato de que existem mulheres veteranas.”


Para a pessoa que deixou este bilhete no meu pára-brisa hoje no Coddle Creek Harris Teeter, em Concord, Carolina do Norte:

Sei que estacionei em uma vaga para veteranos hoje, estava calor. Tinha entrado e saído do carro várias vezes esta tarde, e só ia demorar um minuto. Além disso, o estacionamento estava cheio, então simplesmente estacionei. Foi a primeira vez, e não vou fazer o mesmo de novo. Sinto muito...

Sinto muito que você não possa ver meus oito anos de serviço na Marinha dos Estados Unidos. Sinto muito que sua visão de mundo estreita e misógina não possa conceber o fato de que existem mulheres veteranas. Sinto muito que tenha de me explicar para pessoas como você. Acima de tudo, sinto muito que não pudemos ter essa conversa cara-a-cara e que você não tenha tido a integridade e a firmeza intestinal de se identificar, qualidades enfatizadas pelas forças armadas.

O que levanta a questão: eu servi, e você?

O sentimento mais preponderante suscitado pelo bilhete foi de decepção, diz Hayes.

“Me sinto decepcionada que, em 2016, o fato de ser mulher de alguma maneira signifique que eu não possa ser veterana”, disse ela ao The Huffington Post, acrescentando que sempre evitou usar as vagas para veteranos por medo de ter de “explicar ou justificar o fato de ser veterana”.

Hayes disse que seu marido, veterano do Exército, usa esse tipo de vaga o tempo todo, sem problemas.

“Ele nunca foi questionado, e as pessoas o agradecem por ter servido”, disse ela ao HuffPost.

hayes em 2005 marinha
Hayes, que foi médica da Marinha, em 2005.

Hayes diz que escreveu o “pedido de desculpas” na esperança de que o autor aprendesse uma lição importante: não existem veteranos típicos.

Veteranos têm todas as formas, tamanhos, cores, raças, gêneros e afiliações religiosas”, disse Hayes à emissora WCNC. “Você não pode estereotipar a aparência de veterano americano.”

No fim do post no Facebook, que foi compartilhado mais de 12 000 vezes, Hayes faz uma última pergunta ao autor do bilhete: “Eu servi, e você?”

ATUALIZAÇÃO: Rebecca Landis Hayes, veterana da Marinha que encontrou um bilhete mal-educado no pára-brisa do seu carro por ter estacionado numa vaga exclusiva para veteranos, recebeu um pedido de desculpas.

O autor do bilhete diz ter achado que Hayes não era veterana, pois já tinha visto “tantos jovens estacionando em vagas de veteranos, além de vagas para deficientes”.

Hayes disse ao The Huffington Post que recebeu uma carta no trabalho, sem identificação, assinatura ou endereço. Leia o pedido de desculpas abaixo:

carta

Para a senhora em cujo carro deixei um bilhete

Por acaso li seu post no Facebook, que foi compartilhado por um amigo meu. Gostaria de pedir desculpas. Sei que não é justificativa, mas nos últimos tempos vi tantos jovens estacionando em vagas de veteranos, além de vagas para deficientes, que perdi a calma. Sinto que você tenha sido a vítima de meu ataque de raiva naquele momento. Me senti péssimo sobre a situação – achei que estava defendendo alguém. Claramente, não era o caso. Você não mereceu aquilo, e espero que aceite esse pedido de desculpas. Aprecio seu serviço pelo país e respeito muito homens e mulheres militares. Foi um erro e, mais uma vez, me desculpe. Obrigado por tudo o que você fez.

Deus te abençoe.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Taís Araújo é 'a estrela de TV mais estilosa e corajosa do Brasil', diz Vogue norte-americana

- 'Star Trek: Discovery', nova série da franquia, será protagonizada por mulher e terá personagem gay

- 10 mulheres poderosas que SAMBARAM na cara do machismo

TAMBÉM NO HUFFPOST BRASIL:

Close
33 fotos poderosas de mulheres nas Forças Armadas
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção