Huffpost Brazil

Não deu para o Brasil: Ágatha e Bárbara perdem das alemãs e ficam com a prata

Publicado: Atualizado:
VOLLEY BEACH
Brazil's Agatha Bednarczuk (L) and Barbara Seixas De Freitas celebrate after winning a point during the women's beach volleyball final match between Brazil and Germany at the Beach Volley Arena in Rio de Janeiro late on August 17, 2016, for the Rio 2016 Olympic Games. / AFP / YASUYOSHI CHIBA (Photo credit should read YASUYOSHI CHIBA/AFP/Getty Images) | YASUYOSHI CHIBA via Getty Images
Imprimir

Ágatha e Bárbara foram gigantes durante toda a Olimpíada. Só perderam um jogo no torneio todo. Na semifinal, enfrentaram as gigantes Walsh e Ross - grandes favoritas ao ouro. A dupla brasileira nunca se amendontrou. Não seria na final, contra as alemãs Ludwing e Walkenhorst que isso iria acontecer. Foi uma grande partida, digna de uma final olímpica.

Já no hino nacional, a torcida foi à loucura. E mais do que nunca as brasileiras precisariam da força das arquibancadas. O jogo começou equilibrado. As duplas se estudavam a todo momento, trocando pontos com perfeição. Escolha a palavra que você preferir: drama, tensão, medo, alegria. Assistir a esse jogo foi uma mistura desses quatro sentimentos.

volley beach

Até o ponto 13, era impossível saber quem venceria o primeiro set, mas o Brasil começou a errar: foram três erros de ataque e um no saque. O suficiente para as alemãs abrirem quatro pontos de vantagem. O set terminou com vitória da Alemanha, por 27 a 18.

volley

Ludwig e Walkenhorst começaram a segunda parte da partida arrasadoras. Em menos de quatro minutos, 5 a 1 para as alemãs. Durante todo o set, as brasileiras perderam muito pontos e a vantagem da Alemanha só aumentava. O ouro no vôlei de praia ia escapando com o passar do tempo. A nossa dupla tentou se recuperar, foram guerreiras até o final. Mas, infelizmente, não deu para nossas meninas. O jogo terminou com um erro de saque da Bárbara em um 21 a 14. Uma medalha de ouro inédita para a Alemanha.

volley beach

Também no HuffPost Brasil

Close
Thiago Braz, o herói improvável do atletismo brasil
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção