Huffpost Brazil

Dilma diz que Temer quer antecipar impeachment por medo de denúncias

Publicado: Atualizado:
DILMA ROUSSEFF
Roberto Stuckert / PR
Imprimir

Na semana do julgamento final de seu processo de impeachment, a presidente afastada, Dilma Rousseff, afirmou, em entrevista ao SBT, que a intenção do presidente em exercício, Michel Temer, e de aliados em antecipar a votação definitiva do afastamento é para evitar denúncias contra o governo interino.

"Por que eles têm tanto interesse em antecipar, em dias, o impeachment? Para mim, eles têm medo de uma delação que mostre claramente qual é o grau de comprometimento de quem meu julgamento beneficia: o governo interino, provisório e ilegítimo", afirmou ao programa Conexão Repórter, exibido na madrugada deste domingo (21).

As declarações são parte do documentário Crepúsculo no Alvorada, que acompanhou por três dias a rotina de Dilma no Palácio da Alvorada. Segundo o apresentador do SBT, Roberto Caprini, a entrevista exibida neste fim de semana foi gravada em 4 de agosto.

O Senado inicia nesta quinta-feira (25) a etapa final do julgamento da petista, que pode se estender por cinco dias. Na segunda-feira (29), a presidente afastada fará sua defesa pessoalmente. São necessários 54 votos dos 81 senadores para que Temer assuma o Planalto definitivamente até o fim deste mandato, em 2018.

Dilma é acusada de crime de responsabilidade pela edição de decretos sem autorização do Congresso e pelas pedaladas fiscais, atrasos de repasses do Tesouro Nacional para o Banco do Brasil no Plano Safra.

A pestista afirmou que tem conversado com senadores e vê a possibilidade de conseguir os 28 votos para se salvar. “Realisticamente, lutarei até o fim”, disse. "Jamais eu jogo a toalha".

Dilma voltou a dizer que não cometeu nenhum crime que justifique seu afastamento, mas reconheceu que cometeu “vários erros”. “Inclusive o de não perceber que iria ser traída do jeito que fui”, disse.

Lava Jato

Citada em delações no âmbito da Operação Lava Jato, a presidente afastada afirmou que não teme ser condenada e que não sabia do esquema de corrupção na Petrobras.

Sobre a confissão do publicitário João Santana, marqueteiro de suas campanhas, que admitiu ter recebido dinheiro de caixa 2, Dilma disse que não assumiria essa responsabilidade. "Não controlo e não sei como foi feito."

Dilma disse ainda achar uma "temeridade" a Justiça determinar uma eventual prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Acho uma temeridade prenderem o presidente Lula, principalmente porque tenho certeza de que ele é absolutamente inocente das coisas de que é acusado. Acho que não será preso, acho que eles não cometerão esse equívoco."

LEIA TAMBÉM

- 100 dias de Temer: Sem mulheres, com Lava Jato e corte de gastos

- 'Visivelmente, eu errei na escolha do meu vice', diz Dilma Rousseff

- Em carta, Dilma oficializa apoio a plebiscito para antecipar eleições presidenciais

Também no HuffPost Brasil:

Close
Movimentos sociais se despedem do governo Dilma Rousseff
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção