Huffpost Brazil

Justiça alemã proíbe estudante de usar véu muçulmano em sala de aula

Publicado: Atualizado:
NIQAB
Khaled Abdullah Ali Al Mahdi / Reuters
Imprimir

Em julgamento realizado nesta segunda-feira (22), a justiça alemã manteve a decisão de uma escola que proíbe uma jovem de 18 anos de frequentar as aulas usando niqab - traje muçulmano que cobre o rosto inteiro, e deixa apenas os olhos a mostra.

De acordo com a agência RT, o argumento da instituição de ensino foi de que o véu iria impedir o aprendizado da garota - que não compareceu ao julgamento para evitar o assédio da imprensa.

A decisão judicial foi anunciada poucos dias depois que a chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que a burca - traje diferente do niqab, mas que também cobre todo o corpo - é um "obstáculo à integração".

De acordo com a imprensa local, a jovem nasceu e foi criada na Alemanha. A decisão é a primeira que proíbe o uso de um traje religioso em espaço público.

Segundo o Independent, o julgamento do caso é especialmente complexo porque confronta dois princípios constitucionais da Alemanha: o de que cada estado pode decidir as regras de ensino, e o da liberdade religiosa.

A escola argumenta que não pode garantir o aprendizado pleno da estudante, que frequenta as aulas desde o mês de abril. Ainda de acordo com os advogados da instituição de ensino, o uso do niqab também é um obstáculo para identificar a jovem.

Segundo a escola, a comunicação entre professores e alunos é baseada "não apenas na palavra falada, mas também em elementos não verbais e linguagem corporal".

LEIA MAIS:

- A proibição do burkini em Cannes compromete a liberdade das muçulmanas

- Controvérsia: Alemanha estuda proibição parcial da burca e do niqab

- Estado laico ou islamofóbico? Cannes proíbe uso de 'burkini' em praias

Também no HuffPost Brasil

Close
Angelina Jolie em campo de refugiados
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

Sugira uma correção