Huffpost Brazil

Venda de ingressos da Paralimpíada bate recorde: 133 mil vendidos em um só dia

Publicado: Atualizado:
PARALIMPIADA
Venda de ingressos da Paralimpíada bate recorde nesta semana | Getty Images/Phil Cole
Imprimir

A Paralímpiada começa no dia 7 de setembro. São 279 atletas de alto rendimento que se prepararam para disputar 11 dias de competições em 23 modalidades.

Esta é a maior delegação do Brasil na história do evento e, de acordo com informações da Agência Brasil, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) acredita que o País deve conquistar o 5º lugar no quadro de medalhas - duas posições acima do desempenho em Londres, em 2012, quando ficou em 7º lugar, com 43 premiações no total.

Porém, para que tudo aconteça da melhor maneira e os atletas consigam superar seus recordes, há um ingrediente que é indispensável: a torcida.

Quem já esteve em um estádio lotado durante uma disputa acirrada sabe o quanto os gritos de incentivo fazem a diferença.

Se antes o engajamento do público estava lento, parece que o torcedor brasileiro finalmente abriu os braços para receber a Paralimpíada.

O Comitê Paralímpico chegou a ficar preocupado com a lentidão das vendas dos ingressos - apenas 12% dos tickets disponibilizados haviam sido vendidos -, mas agora a situação é outra: na última terça-feira (23) a bilheteria atingiu seu recorde com a venda de 133 mil bilhetes para o evento em um único dia.

O diretor do Comitê Paralímpico Internacional, Xavier Gonzalez, diz que o aumento da procura empolgou os organizadores:

"O Brasil ganhar o ouro olímpico no futebol e voleibol na semana passada deu aos torcedores um sabor do que eles podem esperar nos Jogos Paralímpicos com a nação anfitriã visando um resultado dentro dos cinco primeiros no quadro de medalhas. Claramente eles querem mais e querem fazer parte dos jogos históricos que acontecerão no Rio."

Com preços mais acessíveis em relação aos ingressos do Jogos Olímpicos, que variam de R$10 a R$50, a expectativa da organização é que a Paralimpíada seja um evento para agradar à toda a família, não apenas ao fanático pelo esporte.

"Você pode pagar só R$ 10 para conhecer o Parque, quem tem direito a meia paga cinco reais e ainda parcela em três vezes sem juros. Tem que trazer sua família, seus amigos, vai ser uma festa inesquecível. E atendendo a pedidos, as pessoas estão trazendo famílias, grupos maiores e, por isso, aumentamos de oito para 12 ingressos comprados nas sessões de alta demanda e de 12 para 18 nas sessões de demanda regular. A gente quer que a pessoa venha, tenha um dia maravilhoso, apoie nossos atletas", disse Donavan Ferreti, diretor de ingressos do Comitê Rio 2016, em entrevista à Sportv.

Você pode adquirir a entrada aqui.

Ações de engajamento

Depois que a informação sobre as vendas abaixo da expectativa veio a público, algumas campanhas sugiram nas redes para incentivar a ida aos estádios.

A que mais reverberou foi uma ação da Agência Africa em parceria com a Vogue. Com a #SomosTodosParalímpicos, o objetivo de dar visibilidade aos jogos foi alvo de críticas uma vez que, no lugar dos próprios atletas, artistas estrelavam a campanha, simulando ter deficiência.

#SomosTodosParalímpicos: para atrair visibilidade aos Jogos Paralímpicos e ressaltar a relevância dos paratletas brasileiros no panorama do esporte nacional, @cleopires_oficial e Paulo Vilhena (@vilhenap) aceitaram o convite para serem embaixadores do Comitê Paralímpico Brasileiro e estrelam a campanha Somos Todos Paralímpicos. Concebido pelos atores com o apoio do @ocpboficial e dos atletas, com direção criativa de @ccarneiro, fotografia de @andrepassos e beleza de @carolalmeidaprada, o anúncio traz Cleo na pele de @bruninha_alexandre, paratleta do tênis de mesa, e Paulo, de @renatoleite10, da categoria vôlei sentado. Os ingressos estão à venda em ingressos.rio2016.com. Vogue mostra os bastidores do shooting com o quarteto no link da bio. #voguenasparalimpiadas

Uma foto publicada por Vogue Brasil (@voguebrasil) em

Pensando nessa situação, outra ação se popularizou, mas, desta vez, com um close certo na execução. Ana Júlia Rodrigues, 24 anos, e Andressa Fonseca, 23, se mobilizaram para criar uma "vaquinha virtual" para a compra das entradas.

A ideia das jovens é adquirir os convites e doá-los para escolas do ensino público e ONGs do Rio de Janeiro. Assim, os estádios ficam lotados de crianças e adultos que, em sua maioria, nunca frequentaram um evento desse porte. Em entrevista ao HuffPost Brasil, elas compartilham como desenvolveram a ideia:

"Estava nos Jogos Olimpícos no Rio e vi uma matéria que comentava da falta de adesão para os jogos paralímpicos. A informação era de que nem 30% dos ingressos tinham sido vendidos. Ainda, falava do possível corte de verbas para esses jogos e fiquei muito triste", conta Ana Júlia.



Por meio de grupos no Facebook, elas criaram uma página oficial da campanha e já arrecadaram mais de R$5 mil reais em doações em apenas um dia.

"O objetivo é ajudar tanto as crianças quanto os atletas. Nós não imaginávamos que chegaria a essa dimensão, tanto que a princípio nos comprometemos a pagar as despesas caso nos não conseguíssemos todo o valor. Está sendo ótimo ver o apoio de todos e o crescimento do projeto", explica Andressa.

A dupla já se comprometeu a viabilizar a ida de três ONGs aos jogos: a Amparando, a Viva Rio e a Casa Semente. São mais de 150 crianças confirmadas.

Ana Júlia acredita que a oportunidade de sediar um evento como esse vai muito além das medalhas:

"Eu não conheço todos os atletas que vão participar, mas adoraria conhecer a história de cada um deles, pois tenho certeza que vem carregada de muita superação. Historicamente, o Brasil sempre tem desempenhos melhores nas Paralimpíadas comparado às Olimpíadas, então tenho boas expectativas. Mas acho que o mais importante é fazer parte desse movimento, independente se vamos ganhar medalhas ou não! Espero também que o COI se mobilize para criar ações e reverter o pouco engajamento."

Close
Paralimpíadas: Os principais atletas brasileiros
de
Post
Tweet
Publicidade
Post isto
fechar
Slide atual

LEIA MAIS:

- A Paralímpiada não é feita de 'coitadinhos'. Mas de atletas de ALTÍSSIMO rendimento

- Fica, vai ter Paralimpíada! Estes atletas brasileiros querem fazer história na Rio 2016